Uncategorized

Na escolinha de Fidel

Castro

Requião vai à Cuba, na sexta-feira. Vai ver de perto como funciona o regime que garante Fidel no comando há quase meio século. Todo esse tempo no poder é o sonho maior dos políticos destas periferias. Requião não é exceção.Por isso se irrita ao ver as pesquisas e perceber que do ponto de vista da maioria ele já ultrapassou os limites desejáveis. Saturou. Afinal, está no poder há cinco anos consecutivos, sem contar o primeiro mandato

Outra curiosidade de Requião e sua troupe caribenha é sobre a mídia cubana que existe da maneira que Benedito Pires gostaria que funcionasse a mídia paranaense. Lá, o editor único é o próprio Fidel Castro, que por decreto tem o monopólio da verdade e da informação.

Requião leva com ele comitiva que inclui o secretário Luís Mussi e o presidente da Imprensa Oficial, Éviton Machado. Os dois costumam acompanhar Requião nas cavalgadas matinais.

6 Comentários

  1. Lula foi a Cuba e ninguem disse que ele havia ido aprender como se manter no poder.

    Porque somos levados a pensar sempre o ruim sobre os motivos de Requião ?
    Endendem como estão sutilmente manipuladas as mentes jornalísticas ?

    Pensem que talvez Requião vai dar conselhos a Fidel para ser mais democrático…
    Ou propor-lhe a comprar nossos produtos como Biodiesel

  2. Roberto Requião Responder

    Fabio. O Machado esta lendo varios livros sobre Cuba, inclusive A Ilha e assistindo filmes, a exemplo do Buena Vista Social Club. Anda treinando fumar charuto. Acho que esta fazendo curso de rumba clandestinamente. Tenho sentido que mudou o molejo quando anda a cavalo comigo. Quer demonstrar conhecimento e não pagar mico. Tenho certeza que este capitalista vai voltar comunista.

  3. A grande verdade é que Fidel Castro está chegando ao fim. Então, ocorre esta revoada de prosélitos e pseudoadmiradores para uma última foto. La revolucion se perdió. Cuba está na miséria, o povo se salva cantando ou fugindo. Talvez la revolution tenha sido bela no início, mas não se mostrou muito eficaz nos métodos, mantidos através das décadas. E pela simples razão de que – como dizia Heráclito de Éfeso – não se entra no mesmo rio duas vezes. Tudo muda, só não muda Castro. E agora não poderá – nunca jamás.

  4. O Recoreco pode ir e ficar por lá.

    Não será por falta de adeus.

    Olha, se o Recoreco ficar por lá, acho que o regime finalmente acaba ou então o barbudo caribenho manda toda a corja requianista – o “próbrio” incluído – para “el paredon”.

Comente