Uncategorized

Independentes querem eleger o Procurador Geral de Justiça

Há sete candidatos a Procurador Geral de Justiça. Três serão eleitos por 543 procuradores e promotores para compor lista tríplice que será apresentada ao governador Requião, que destes escolherá, enfim, o Procurador.

Nas duas eleições anteriores, Requião não escolheu o mais votado pela corporação. Preferiu Milton Riquelme, de sua confiança. Agora a maioria que torce pelo Ministério Público independente espera indicar os três mais votados para impedir a repetição da manobra do governador.

Não será fácil. Requião deverá concentrar esforços para eleger ao menos um nome que lhe seja palatável. Não importa que não seja o mais votado. O importante é estar na lista tríplice para ser o eleito por ele. No núcleo do governo a possibilidade de que um independente venha a ser o Procurador Geral provoca frouxos intestinais.

Os sete candidatos ao cargo são: Fuad Chafic Abi Faraj, Olympio de Sá Sotto Maior Neto, Bruno Sérgio Galatti, Ervin Fernando Zeidler, Ernani de Souza Cubas Júnior, Angela Khury Munhoz da Rocha e Clayton Maranhão.

3 Comentários

  1. FILOSOFO PARANAENSE Responder

    Pra quem tem que aturar o Lipmann, qualquer procurador que for eleito é indiferente….

  2. Fuad Chafic Abi Faraj, Olympio de Sá Sotto Maior Neto, Bruno Sérgio Galatti, Ervin Fernando Zeidler, Ernani de Souza Cubas Júnior, Angela Khury Munhoz da Rocha e Clayton Maranhão?

    Quem decide no final é o REQUIÃO, não adianta!!!

  3. O Procurador-geral de Justiça deveria ser escolhido por antigüidade, ou seja, o decano seria eleito, podendo ser reconduzido por mais um mandato, depois o seguinte e assim por diante.

    Isso pouparia os membros do Ministério Público da política rasteira que atuamente compromete de forma indelével a instituição.

Comente