Uncategorized

Santa ingenuidade

Acreditem. Os deputados Durval Amaral e Caíto Quintana tinham a certeza de que disputavam a próxima vaga do Tribunal de Contas. Imaginaram que Requião deixaria uma boca dessas para alguém que não da família. Santa ingenuidade.

Dançaram. Apareceu o candidato in pectore do Duce. Maurício, o irmão caçula, que precisa desesperadamente de um posto vitalício porque o ciclo Requião se aproxima do fim. Imaginem o moço no temporal, sem guarda-chuva, sem teto para se proteger. Requião não o deixaria desprotegido a responder sobre os televisores laranjas e outras que ornamentam o seu currículo.

9 Comentários

  1. Nada mais justo que o Muricio assuma a vaga no tribunal, ele afinal foi 2 vezes secratário, presidente da fundepar e deputado Federal além de presidente do PMDM e professor universitário…qual de vcs tem uma vida assim prestada à nação com apenas 50 anos??
    Falem o que falarem, mas é justo.

  2. Pobre Durval sonha com o TC e vc ta um pouco atrasado Campana, essa conversa ta rolando faz uns dois meses, atualiza a fonte…

  3. MX, patrão do irmão Responder

    Maurício vai dar um brilho no Tribunal de Contas. Vai ser uma carreira das mais brilhantes. Bom moço.

  4. El Kabong (espero que seja nome próprio, pois abomino pseudônimo), concordo com a sua opinião.

  5. Se tem algo que a sociedade deve mudar são estas indicações de um poder ao outro. Em princípio, seria para melhor controle, só que a degradação política fez com que cada vez mais se colocassem pessoas ou desqualificadas ou de interesse do indicador, logicamente sem qualquer independência para exercer o munus público, com isenção e impessoalidade. Agora chega-se ao abismo da desfacatez da indicação de um irmão daquele cujas contas devem ser controladas. É a comprovação cabal de que não podem mais serem mantidas essas normas de indicação. Não contrárias ao interesse público.

  6. HA! HA! HA!

    “Se tem algo que a sociedade deve mudar são estas indicações de um poder ao outro.”

    Jango, com está frase acabou por arrumar um monte de inimizades com aquela “rapaziada” togada que coabita o prédio com o fosso inundado.

    Dizem que se não é toda aquela água para “esfriar” as “batatas quentes” que são os processos de prestações de contas o prédio pegaria fogo.

  7. Eu acho que o Maurício merece…
    Por mim ele fica com duplo emprego:
    A secretaria de Educação e o tribunal…
    E pode trabalhar só meio período em cada um… Com a competência que tem…

Comente