Uncategorized

A opereta do aumento da tarifa da Sanepar

A notícia é essa: a tarifa dos serviços de água e esgoto vai subir. Tudo o mais é firula, despiste, manobra para livrar o governador Requião do desgaste que representa subir o preço de serviço público. Tarefa ainda mais desgastante neste caso, pois o serviço público é de empresa imersa em escândalos e denúncias de falcatruas de diversos calibres.

Requião ensaiou um lance de opereta no qual aparece no papel de bom velhinho que não admite reajuste de 14%. Na outra ponta do palco, Stênio Jacob, o presidente da Sanepar, encena o papel de vilão. Faz cara de aluno repreendido, pego com a boca na botija. Mau ator. Mal disfarça a satisfação com a verdadeira notícia embutida no enredo: a tarifa da Sanepar vai subir.

Será mais uma sangria no bolso do cidadão. E pensar que a conta de água dos paranaenses tem sido usada para pagar aditivos a empreiteiras como a Pavibrás ou para pagar desapropriações de valores dilatados.

Cabe a pergunta: os paranaenses ainda caem nessa de Requião aparecer como indignado protetor do bolso do povo mesmo quando aumenta tarifa pública?

7 Comentários

  1. O “acerto” para a Sanepar aumentar a tarifa e o governador aparecer de defensor dos pobres consumidores foi feito no sábado passado, às 11h40, durante encontro de Roberto Requião e Stênio Jacob, no retiro do Cangüiri…

  2. Vigilante do Portão Responder

    Coisa de marqueteiro.
    Então o Jacob, amigo do Requião desde os bancos de escola, vai fazer uma “ursada” com o governador de aprovar um aumento de 14% na tarifa da Sanepar?
    Claro que não.
    Foi assim: Faiter um reajuste de mais ou menos 5% (inflação do período). Anunciam um aumento maior, para em seguida o Governador passar uma descompostura pública na diretoria da estatal e posar para a patuleia como defensor dos pobres e oprimidos veta o reajuste.
    Semana que vem a Sanepar anuncia que o aumento foi de 5% e a imprensa noticia que por interferência do governador Requião (bonzinho) a tarifa não subiu 14%.
    Tudo jogo de cena.
    O mesmo engodo foi encenado na gestão anterior com a Copel. Igualzinho.
    Caso fosse para valer, certamente cabeças rolariam na Cia.
    Serve para aumentar um pontinho a aprovação do governador, pois os incautos vão acreditar na farsa.

  3. A “indignação” do Pinochavez é encenação escrachada. Por que não se indignou ou se dignou até o momento em tirar a limpo os aditivos da Pavibrás, a compra de área de proteção ambiental com multa da Sanepar e as desapropriações superfaturadas todas denunciadas amplamente pela mídia ? É por todos os modos lamentável a gestão farsesca e temerária que toma conta da administração pública sem que, por outro lado, as autoridades de controle público ponham um paradeiro no interesse da população que lhes concede prerrogativas e régios salários para tal mister. É lamentável e vai custar caro ao bolso do povo.

  4. Realmente é jogo de cena, mas jogo de cena para tirar a atenção da mídia das desapropriações superfaturadas. Não se deixem enganar a coisa é pior do que vocês pensam…

  5. Um exemplo de hipocrisia,demagogia e populismo baratos.

    Ordenou que a Sanepar reajustasse a tarifa, já considerando que bancaria o justiceiro, posteriormente, vetando o reajuste.

    Tudo armado, puro teatro. Quem conhece os integrantes da cúpula da Sanepar sabe que isso é jogo de cena. A passagem do Sr. Stênio por Blumenau não é vista com saudosismo pelos moradores daqui…

  6. Desculpem…
    O ” Poxa! Voce entende dessa parte”
    é para o vigilante do Portão,
    mas que parece ser de um ex-marqueteiro, parece…

Comente