Uncategorized

IML proíbe a imprensa

Mudou a direção do IML – Instituto Médico Legal. A primeira providência foi cortar a informação para a imprensa. Sinal de que há algo para esconder. Ou a preocupação seria com a divulgação do índice crescente de assassinatos em Curitiba e Região Metropolitana?

5 Comentários

  1. Pelo jeito a estratégia do governador e do secretário de segurança deu certo, era só colocar um militar no IML, proibir a divulgação de informações que os índices da criminalidade de Curitiba e RM reduziram drásticamente! Por que não pensaram nisso antes? Por que não fazem isto no Rio de Janeiro? Em São Paulo? Em Bagdá?

  2. vc realmente é maldoso nas suas informações Campana, o que está acontecendo no IML é uma moralização, vc deveria citar o que se passava por lá, as funerárias em cima dos corpos e das famílias, como corvos, faça uma enquete com as pessoas que precisaram dos serviços daquele órgão e veja se ficaram satisfeitas, os funcionários recebendo comissão das funerárias, os médicos legistas nunca aparecia para o plantão, funcionários fazendo esquema com as funerárias recebendo o seguro obrigatório nas mortes por acidente, algumas faziam plantão lá dentro, com mesa e tudo, isso com a anuência da prefeitura, teve até um caso de acidente que o corpo dividiu-se e duas funerárias foram atender e cada uma ficou com uma parte, vc acha isso correto ou também está mexendo no seu bolso, as informações não foram cortadas, foram sim passadas a limpo para que os dados sejam corretos, aqui o governo não maquia dados nem informações e tem mais, o IML não é a “casa da mãe Joana ” a impensa tem acesso a dados, mas em horário determinado, duas vezes ao dia, chega de bagunça.
    Parabéns Secretário de Segurança.

  3. Concordo com o Jorge Cirino, o IML estava uma máfia só. Além do mais, passar informações incompletas ou equivocadas para à imprensa não resolve nada, só atrapalha.

Comente