Uncategorized

Assassinaram a professora Binha

Maria Benigna Martinelli de Oliveira, a professora Binha, de Bioquímica, e pró-Reitora da Universidade Federal do Paraná, foi assassinada a tiros por assaltantes na entrada de sua residência, no Jardim Social. Foi levada ao Hospital Vitta, mas não resistiu. Tinha 52 anos e três filhos. Seu marido é Benedito de Oliveira, médico, ex-diretor clínico do Hospital Erasto Gaertner. Maria Benigna era cunhada do deputado Luís Carlos Hauly.

6 Comentários

  1. “Não é possível refazer este país, democratizá-lo, humanizá-lo, torná-lo sério, com adolescentes brincando de matar gente, ofendendo a vida, destruindo o sonho, inviabilizando o amor. Se a educação sozinha não transformar a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda.”
    Paulo Freire

  2. Vivemos uma situação de terror no Jardim Social, assaltos a mão armada a luz do dia, patrimônio e tranquilidade sendo brutalmente tomados, agora vidas também! A dolorosa perda desta nobre mulher cala fundo no coração de toda vizinhança do bairro. O que nos responde o Secretário de Segurança Publica? Será que por morarmos em um bairro residencial extenso não temos o direito a segurança? Já não temos ensino publico descente, saúde publica muito menos, agora sequer direito a segurança publica temos? Devemos ficar à mêrce das empresas privadas de segurnaça? Meu Deus!!! Que loucura!!! Quanta incompetência, ter um governo assim ou não ter nada pouca diferença faz, vivemos numa verdadeira anarquia!

  3. Nos ùltimos dois dias foram registradas 50 ocorrencias na DP especializada, detalhe: quinta 9 roubos e sexta 15 roubos o restante furtos…se diminui o numero de BOs aumenta o numero de ROUBO ( extração do bem via grave ameaça )…

  4. Curitiba e o Paraná estraõ perdendo (ou já perderam??) a guerra contra os bandidos.
    Onde está o sec. de segurança?

  5. É lastimável. Mas, esse é o custo do voto das últimas eleições. Ocorre que o povo do Paraná ainda não aprendeu a fazer esta contabilidade política. Falta segurança (eis as mortes inaceitáveis), saúde (cadê os hospitais prometidos em campanha ?), educação (são as tv laranjas ?). Pagam a conta os culpados e os inocentes, principalmente estes que não tem defesa contra a incompetência e o descalabro instalado na administração pública estadual, por que também as ditas autoridades de controle público cheias de prerrogativas, régios salários pagos pelo povo e calhamaços de leis e normas se acham encolhidas e até o momento não apresentaram nenhuma apuração à extensa folha corrida de irregularidades denunciadas pela mídia. Aprendam a fazer a conta do valor e do custo do voto, povão bão de voto do Paraná. Você está pagando o que não merece e não deve.

Comente