Uncategorized

Falta polícia

“Em Curitiba, no ano de 1970, tínhamos 500 mil habitantes, hoje são quase 2 milhões. Mas hoje temos menos policiais nas ruas e nos quartéis do que há 20 anos. A população cresceu e o efetivo da polícia não acompanhou esse crescimento”. A afirmação é do deputado Durval Amaral (DEM) ao apontar a falta de polícia nas ruas como uma das principais causas para o surto de violência sem controle que aterroriza Curitiba e a Região Metropolitana.

Durval criticou a falta de estatísticas da Secretaria de Segurança. “Não temos estatísticas recentes divulgadas pela Secretaria Estadual de Segurança, mas temos dados da Secretaria Municipal de Saúde de que foram mais de 700 mortes violentas no ano passado”, afirmou Amaral.

O deputado, junto com outros parlamentares da Oposição, utilizou a tribuna para manifestar repúdio à situação caótica da área da segurança no Paraná que apresenta números assustadores. Os deputados cobraram políticas públicas para a busca de soluções.

Durval lembrou ainda que em Curitiba, em sete anos, o índice de mortes violentas aumentou assustadoramente. Segundo o deputado, no ano 2000 a média era de 23 mortes violentas a cada 100 mil habitantes. “Hoje esse número saltou para 38 assassinatos. Números que nos deixam perplexos, pois estão na contramão do que acontece em outras cidades que tinham a fama de serem violentas”, disse Amaral.

No Rio de Janeiro, ainda segundo o deputado, o índice que era de 55 mortes para cada 100 mil habitantes, hoje é de 45. Em São Paulo caiu de 65 para 29 assassinatos.

“Estamos enxergando que não há tranqüilidade em lugar algum de Curitiba, Londrina, Maringá ou de qualquer pequeno município do Paraná. No campo, o agricultor dorme com uma Winchester ao lado da cama esperando o momento de ser assaltado. Nós todos, cidadãos paranaenses, estamos muito preocupados com o aumento da violência no Paraná”.

Comente