Uncategorized

Lula estimula debate sobre terceiro mandato

Reportagem de Gerson Camarotti publicada na edição deste domingo do jornal ‘O Globo’ mostra que os movimentos políticos do presidente Lula para antecipar o debate sobre sua própria sucessão foram calculados e com um objetivo claro: federalizar a disputa municipal deste ano e ganhar musculatura entre os aliados no Congresso Nacional.

A estratégia palaciana é dar um caráter plebiscitário de aprovação ao governo durante as eleições deste ano. A avaliação reservada de assessores do Palácio do Planalto é a de que, dependendo da força política do presidente depois do pleito municipal, ele terá condições de ditar o rumo político a partir de 2009.

Apesar das negativas oficiais do governo de um terceiro mandato para o presidente Lula, a estratégia alimenta a especulação em torno da idéia. Para qualquer cenário, Lula decidiu priorizar a eleição municipal e colocar na pauta temas como o bom momento da economia, as ações sociais do Bolsa Família e as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Surpreendidos com a decisão de Lula de antecipar a sucessão faltando quase três anos para a disputa de 2010, até mesmo aliados estranharam o comportamento do presidente. Internamente, a percepção é de que a mais recente vítima desse processo foi a chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, o nome que estava sendo testado pelo próprio Lula. Segundo um interlocutor privilegiado do Planalto, a decisão do presidente de desafiar a lógica política e antecipar a própria sucessão tem como objetivo primeiro ampliar o seu capital político pessoal.

1 Comentário

  1. Mas alguém ainda tem dúvidas acerca de um terceiro mandato?
    Esquerda é esquerda. A perpetuação do poder está na base da constituição esquerdista. Sempre foi assim.
    E, não se iludam, a Dilma SABE disso.

Comente