Uncategorized

Educação registra melhora, mas notas continuam baixas

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) é o principal indicador de qualidade da educação no país. Divulgado na quarta-feira pelo Ministério da Educação, os índices mais recentes revelam melhora em todas as etapas do ensino entre 2005 e 2007. As notas dos alunos, no entanto, mostram que o ensino brasileiro foi reprovado.

Na escala de 0 a 10, as médias nacionais ficaram abaixo de 5. Os dados são de 2007 e refletem o conjunto das médias de escolas públicas e particulares. No ensino fundamental, o Ideb das séries iniciais (1ª a 4ª série), o equivalente ao antigo primário, foi 4,2. Nas séries finais (5ª a 8ª série), ficou em 3,8 e, no ensino médio, em 3,5.

Apenas o Distrito Federal e o Paraná atingiram a média 5 no Ideb. Ainda assim, somente de 1ª a 4ª série, onde a responsabilidade administrativa é dos municípios. No Paraná as séries finais do ensino fundamental melhoraram de 3,6 para 4,2. No ensino médio a nota passou de 3,6 para 4,0. Estes dados podem ser considerados positivos, pois ao menos mostram que o foco do sistema educacional tem sido no aprendizado dos alunos.

Mas fica uma dúvida: os resultados divulgados misturam o desempenho de alunos da rede pública, inclusive dos colégios federais que tiram as notas mais altas, e das escolas privadas. O MEC minimiza o impacto das redes privada e federal, que representam 10% das matrículas. Como seriam os resultados se a metodologia fosse outra, mais complexa e analítica? Aguardam-se os dados da rede pública separados da privada.

2 Comentários

  1. No meu tempo de escola, ter índice 5 não habilitava ninguém. Hoje, atingir índice 5 é bom desempenho ? Desconfiar de estatísticas é a primeira regra infalível do cidadão que não é otário. Se estas estatísticas representam alguma coisa – onde se viu média representar a realidade – o Brasil é o país do mínimo máximo comum ! Ou não ?

  2. E como é que estes aventureiros comissionados que passam pela secretaria de educação, a cada 4 anos, olham para este indicador de qualidade da educação no país, “precisamos fazer com que os alunos tirem mais notas”, mas até aí tudo bem, o problema é que estes aventureiros, pensam em campanha política, então a qualidade é o que menos importa, por isso os(as) diretores(as) são pressionados(as), outros por que são interesseiros mesmo, a fazer com que os professores FORNEÇAM estas notas para os alunos, muitas vezes através de conselhos extraordinários no meio do ano, onde alunos são promovidos de uma série para outra, apenas para que o índice de repetência fique baixo, e os pais, nesta onda de remorso, por trabalhar demais e atenção de menos aos filhos, vão na “onda” destes milagres educacionais, e esquecem que o que faz a educação e o país melhorar é trabalhar, mesmo que seja trabalhar em cima dos cadernos e livros, ou seja, SENTAR A BUNDA NA CADEIRA E ESTUDAR COM ANTECEDÊNCIA, para que não tenhamos uma velhice cuidada por médicos medíocres,e políticos ignorantes, advogados inescrupulosos, etc.

Comente