Uncategorized

Paraná lidera exploração do trabalho infantil

A realidade mais uma vez desmente a propaganda oficial. Na Região Sul, o Paraná é o estado que mais tem meninos e meninas trabalhando e fora da escola, segundo o IBGE. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad/2006) e indicam que 18,3% dos paranaenses entre 5 a 17 anos trabalham e não estudam.

Há 2,4 milhões de crianças de 5 a 17 anos no Paraná. Destas 318 mil trabalham, ou seja, 13% – número acima da média nacional, que é 11,5%.

Desse universo, 260 mil estão nas escolas e 58 mil estão fora. Em todo o Brasil há 5,1 milhões de crianças trabalhando. O Paraná ainda tem 7,5% de crianças que não trabalham, mas estão fora da escola, enquanto no Rio Grande do Sul há 9,1% e em Santa Catarina, 4,4%.

9 Comentários

  1. Há muitos anos havia reflorestamentos na região de Campo do Tenente, onde os “gatos” exploravam famílias inteiras, inclusive crianças e o ilustre MP do Trabalho, apesar de várias reclamatórias trabalhistas em curso, nunca quis tomar conhecimento do assunto… isso faz 10 anos, numa empresa tida como altamente respeitável na sociedade… O MPT prefere intimar empresas para cumprir cotas de deficientes, etc…, realizando audiências com ar condicionado, do que se embrenhar no mato à cata de trabalho semi-escravo no PR… quem procura acha..

  2. É revoltante o gesto de desumanidade de gente que explora inocentes carentes.
    Deve haver o confisco de bens, como foi definido para as propriedades que servem para a produção ou tráfico de entorpecentes. O confisco com multas pesadas deve ocorrer com os bens vinculados aos trabalho ilegal e exploratório de menores. Uma boa sugestão para o Osmar Dias, autor de medidas legais de apoio ao primeiro emprego.

  3. José Carlos. Quem faz o trabalho de fiscalização no campo e nas empresas é a Superintendência Regional do Trabalho, ex-DRT, atrravés de seus auditores fiscais. O MPT não faz fiscalização, pede fiscalização para a Superintendência. Se voce assistiu a denuncia de trabalho infantil no setor do fumo no Parana, onde 80 mil criança trabalham, outro dia no Fantastico da Globo, deve ter percebido que quem fez a denuncia e luta para acabar com este flagelo é uma procuradora do MPT a Margareth Mattos.

  4. É triste ver este tipo de noticia e informação, mas ainda nos mais velhos, existe máxima do trabalho, que tem trabalhar desde cedo, e isto é cultural e precisa mudar, e ainda hoje na minha Terra natal Cêrro Azul, terra onde o Rio Ribeira banha e flôr de laranjeira perfuma, apesar do amor que sinto pela minha cidade, não dá pra ignorar que é o menor IDH do Paraná índice de desenvolvimento Humano, por não ter industrias, e ter somente uma agricualtura de subsistencia, e de terrenos acidentados que hoje não tem como competir a agricultura moderna que existe em terrenos planos e com máquinas modernas, e só resta a agricultura de Citros, que a mais de um Século sustenta a economia do Municipio.
    E hoje a noticia Gazeta do Povo da visita do Ministerio Publico do Trabalho e do Ministerio do Trabalho, cumpurindo seu papel, e deve ter se assutado com o que viram de pessoas sendo transportados em cima de carroceiras de caminhões e em tratores no trabalho de colheita da laranja, mas este trabalhadores são parentes amigos vizinhos e familiares do dono da propriedade e funciona assim muito tempo é totalmente diferente da relação capital e trabalho de outras regiões do Paraná, em Cêrro Azul não existe a industria neste trabalho, e exploração ainda estilo feudal de nosso Brasil imperio.
    E Cêrro Azul pela sua contribuição historica e suas riquezas naturais merecia um projeto de desenvolvimento no turismo rural, ou seja uma atenção do estado, para com esta comunidade, e vale ressaltar que devido o asfalto feito pelo Governador Roberto Requião reivindicado por anos Cêrro Azul lhe deu maior votação de um municipio no Paraná, e queiram ou não ficará na historia.
    E para reavivar a memória o primeiro prêmio Shel de Jornalismo do Paraná é de um Cerroazulense e seu nome é lembrado em sua homenagem na sala de Redação do Jornal o Estado do Paraná Percival Jarquetti ou simplesmte Perci.
    E Waldomiro Pereira um dos pioneiros no Brasil da homeopatia também de é natural de Cêrro Azul e orogulho dos Paranaenses
    Um humilde filho da Terra
    Adir de Souza

  5. Carlos Venico Marcon Responder

    Bom dia Adir meu amigo a sua cidade veja meu email

    Vc viu esta noticia….parece que não acaba nunca.

    Ontem, Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, uma equipe de auditores da Superintendência Regional do Trabalho de Curitiba e membros do Ministério Público do Trabalho (MPT-PR) flagraram 27 trabalhadores em situação análoga à escravidão. O caso foi constatado no município de Cerro Azul, a 92 quilômetros de Curitiba. De acordo com o MPT, os trabalhadores estavam sendo transportados em uma carreta carregada com caixas de frutas. Entre os trabalhadores, três eram adolescentes, com idades entre 13 e 15 anos.

    Segundo o procurador Luercy Lino Lopes, o flagrante aconteceu quando as equipes se dirigiam para averiguar uma denúncia similar na região. “Nos deparamos com um trator que puxava a carreta com as frutas e as 27 pessoas”, afirmou o procurador, que também confirmou que nenhum dos trabalhadores abordados possuía registro profissional.

    Carlos Venicio Marcon

  6. eu acho um absurdo explorar essas pobres crinças indefesas.As pessoas que fazem de tal crueldade como esse merece um castigo,mas a justiça desse pais nao nos ajuda a combater isso.

Comente