Uncategorized

Alegria, alegria, Requião e Joel Malucelli comemoram a Usina de Mauá.

Há pouco, na escolinha, cena imperdível. O empresário Joel Malucelli (foto), que Requião costuma achincalhar, lá apareceu para receber a ordem de serviço para construção da Usina de Mauá, obra considerada a jóia da coroa desta administração. O valor da obra é de R$ 1 bilhão.

Todos lembram que Requião tinha críticas ferozes à obra que vai alterar todo o ecossistema do rio Tibagi. Todas as entidades de defesa do meio-ambiente foram contrárias à construção da usina. Agora, Requião muda o discurso para dizer que a usina é a melhor opção ambiental. “Deus nos livre de termonucleares”, justificou.

12 Comentários

  1. E o Paraná Banco diminuiu a taxa de juros para os aposentados e servidores como fez o SICOOB do Jefferson Nogarolli?
    E o genro, sobrinho querido de Requião, João Arruda, comemorou a Usina Mauá que levará o nome de Maurício Requião?

  2. Pois é tudo é possível! Depois que as famílias estão se unindo devido um “namoro entre filhos” podem ser parentes, e segundo a Carta de Puebla de Rei Quião “Preferência será sempre pelos Parentes”, e de inimigos se tornam parentes, e sendo parente pode tudo da Reiquiolândia!

  3. Como disse o DESgovernador Requião no dia da posse que ia seguir a “Carta de Puebla”(o governo do Paraná trabalhando para os pobres), ta ai o resultado, como os Malucelli são “pobres” e “miseráveis”, o Requião na condição de “governador” está fazendo caridade para essa família tão humilde. Isso que é a Carta de Puebla.

  4. Mas, que “mal há” quando se trata de uma bolada de 1 bilhão de reais ?
    Por que ficar com o meio ambiente se podem apropriar-se do ambiente inteiro ?
    Não é a Carta de Puebla é a Fatura de Mauá.

  5. Quando se trata de empreiteiros, nunca há inimizade perpétua. Uma boa obra e os amores são retomados com ardor e entusiasmo. Só o calote os separa até o pagamento, como o desamor entre Fantin e Alvaro Dias.

  6. Soático Dantos Responder

    SUB-INTENÇÃO OU SUB-EMPREITADA
    A memória é fundamental para entender os governantes e sua intenções.
    Espremendo a memória vamos lembrar do Requião xingando a turma da APEOP com adjetivos menos nobres.
    E hoje, que faz a maioria dos empreiteiros paranaenses que ajudaram a construir a infra-estrutura em outras épocas.
    Só sobrou uma elite de “empreendedores” encarapitada no poder. Para sobreviver teve empreiteiro aluguando maquinário ou fazendo pequenas obras Rondônia além.
    E depois vem me falar em governo dos pobres para os pobres.
    Me poupem, já dizia a madame do Batel.

  7. Carla Romanelli Responder

    Voce sabe quem vai receber subempreita da obra? Vai ai dois códigos para desvendar: CG ou MX. Ok operante?

  8. Não estão cobrando do REIquião uma grande obra em seus seguidos mandatos??
    Então … ta aí !!!!
    Daqui dois anos, o Rei vai sair dizendo por aí que fez uma grande obra ao nosso Estado do Paraná!!!
    Uma pena a todos paranaenses … o dia que o povo cair na real, vai ser tarde … mas tomara que seja antes da eleição do senado … tomara!

  9. Essa das termonucleares foi uma pérola da imbecilidade! Se for o caso, cabeças pensantes como Romanelli, Pugliesi, Kielse, Doático e Moreira podem começar a delinear as estratégias futuras.

  10. Quanto recebeu meu chará para apressar a Licença Ambiental? Não sei, mas foi uma bolada.

    Ele que antes de receber a proposta já chegou a dizer que “o EIA RIMA é um lixo” e que “se depender dele não tem usina”.

    Depois que voltou dos EUA com passagem e tudo mais pago pela Monsanto (repassados pela FAEP pra não perceberem) ficou bem amaciado.

    E os Pinheiros continuam caindo de maduros na Serra da Esperança…

  11. Nossa como o povo tem que achar coisa onde não tem, a usina é importante para o desenvolvimento do estado, mas sempre vai ter as pessoas que são contra obra só pq é no governo Requião!

  12. Quando der um apagão esses babacas que gostam de banho quente irão falar que a culpa é do governo por não ter liberado as usinas, de um jeito ou de outro os babacas reclamariam.

Comente