Uncategorized

Pesou a barra em Balsa Nova

Em Balsa Nova onde o número de eleitores quase empata com o número de habitantes (10.639 moradores e 9.335 votantes), a sessão da Câmara Municipal de hoje será das mais agitadas. Tudo por conta de um documento falsificado que o Executivo encaminhou ao Tribunal de Contas.


O prefeito José Franco Pellizzari foi autorizado pelo Legislativo a fazer a suplementação orçamentária em até cinco por cento no orçamento de 2007, de quase 19 milhões de reais ano. A autorização esta registrada em ata, devidamente transformada na Lei 465, e publicada em dezembro de 2006.

No início deste ano os vereadores verificaram que a suplementação realizada passou dos 20 por cento. Inicialmente, no projeto de lei do Executivo, o prefeito queria 30 por cento.

O presidente da Câmara, Renato Coltro, encaminhou ofício (n. 47/08-C) ao TC oferecendo representação contra o prefeito, depois de descobrir que a Prefeitura enviou cópia adulterada da Lei ao órgão fiscalizador, aumentando o teto da suplementação de cinco para 30 por cento. Também foi encaminhada denúncia a Promotoria de Justiça em Campo Largo. O caso é semelhante ao que aconteceu em Pontal do Paraná com um agravante a mais: envolve o envio de documentação fraudulenta para uma autoridade estadual.

Comente