Uncategorized

Moraes quer ampliar promoção de PMs

O projeto do governo que prevê a promoção de policiais militares por tempo de serviço é um avanço, mas ainda não contempla todos os membros da corporação, diz o deputado Mauro Moraes (foto).

A matéria foi aprovada em primeira discussão na Assembléia Legislativa, mas recebeu seis emendas e retorna ao plenário na semana que vem.

Presidente da Comissão de Segurança, Mauro defende, além da inclusão de categorias integrantes da corporação que ficaram de fora da proposta, a equiparação e recomposição salarial da PM.

Na avaliação do parlamentar, as emendas apresentadas ao texto original do governo sugerem alterações fundamentais, mas ainda não resolvem todos os problemas hoje enfrentados pela corporação.

O deputado defendeu outros mecanismos para tornar o projeto mais abrangente e justo, como a equiparação do salário inicial da PM com o dos agentes penitenciários. A Casa aprovou uma indicação legislativa, de autoria de Moraes, prevendo a isonomia nos vencimentos. O parlamentar também apresentou outra proposta ao governo para que seja encaminhado à Casa um projeto de reposição salarial ao efetivo da Secretaria de Segurança Pública de 15%. “A Assembléia não pode perder a oportunidade de voltar a insistir em melhores salários para a policia militar, que sofre uma grande defasagem em seus vencimentos”, comentou.

2 Comentários

  1. Parabéns Deputado Mauro Moraes! Temos certeza de que o Governador REQUIÃO sabe que a valorosa POLÍCIA MILITAR é merecedora deste reajuste. NÃO É AUMENTO. É REPOSIÇÃO SALARIAL PARA AQUELE (A) QUE SAI DE CASA SEM PODER SABER SE VOLTARÁ VIVO (A). Os ativos e inativos terão o equilibrio de seu COMANDANTE-CHEFE, que irá atender o pleito, podendo ser um pouco maior.

  2. Vigilante do Portão Responder

    Eu gosto de eleição, todos querem distribuir bondades.
    O Lula elevou o bolsa-esmola; O Requião já mandou dizer que vai dar aumento para os professores.
    “todo dia ele faz tudo sempre igual…”
    Quanto aos professores, claro que merecem o reajuste. Só que a lei vai ser aprovada com a mesma ressalva da que concedeu o último aumento para o funcionalismo estadual – uma inovação, em termos de legislação, ilegal até, pois não se pode aumentar despesa, sem indicar a fonte-. A norma diz que o reajute vai ser de X%, e só será implantada quando a arrecadação comportar – é o tal do aumento diferido…, invensionice do marqueteiro do Requião.
    Qual o motivo de anunciar um aumento de salário, que não se sabe quando será implantado na folha de pagamento, logo após a pesquisa que deu 1% para o candidato do Governador?
    Será que se o candidato Moreira não logre êxito na campanha, o tal aumento vai entrar em vigor? Tenho minhas dúvidas.

Comente