Uncategorized

Quem foi Irene Rolek?

Irene Rolek era muito discreta. Morava com a irmã Sophia na rua Ermelino de Leão há 30 anos. “Sophia passava o dia lendo e assistindo televisão e Irene pintava seus quadros”, contou a prima Halina Paulo, 74, aos repórteres do Paraná Online. Ontem, sua vida foi brutalmente interrompida, sua casa foi invadida e ela foi espancada até a morte.

Segundo o blogueiro Zé Beto, Irene Rolek “tem obras em diversos museus mundo afora e é uma das poucas artistas paranaenses (ao lado de Guido Viaro e do Calderari) citada no Dicionário Júlio Lousada de Artes Plásticas (a “Biblía” da arte brasileira!). Discretíssima, sempre foi celebrada pelo talento e profundidade de sua produção artística”.

Lavadeiras II, gravura em metal de Irene Rolek.

10 Comentários

  1. Cade os Direitos Humanos????

    Direitos Humanos só serve para proteger bandidos e vagabundos.
    Pena de morte para os criminosos já.

  2. Essa é uma das características desta pobre província… Só se valorizam artistas em geral que tem recohecimento na terrinha da roça local… precisam ser premiados nos concursos de arrabalde e de quermesse de paróquia… tem que freqüentar as galerias de arte dos colunáveis locais (marchands, sic)… Os que fazem sucesso fora, lógico, são estrangeiros, desterrados da roça pátria… Grande parte dos artistas celebrados no terreiro da província, não vendem um livro ou um quadro fora da terrinha… mas são gente da terra, precisam ser louvados…. enquanto isso, anônimos são reconhecidos e laureados mundo afora, sem que a academia local tome conhecimento…

  3. Um brutal assassinato desses acontece nas barbas da polícia do Requião. Estão ali, a uns poucos metros de onde Irene passou a vida — na Delegacia de Explosivos Armas e Munições e Delcon Crimes Contra Economia e Protecao Ao Consumidor, 1ª Delegacia de Trânsito-Plantão, Polícia Civil-Coordenação de Informática — e não chegaram a intimidar os ladrões-assasinos que vitimaram Irene. Seria atrevimento ou simples falta de respeito com o que não funciona, que não serve?
    Adeus Irene

  4. Está rotina “insana” de falta de Segurança Pública, para nós que somos de uma população reféns da bandidagem está ficando insuportável!
    Meus respeitos e sentimentos a família da Sra.Irene Rolek e Sra. Sophia, que tão estupidamente foram agredidas por marginais que andam livremente pelas ruas, apavorando e seifando vidas covardemente! Cabe ao Sr. Delazari(Secretario Segurança Pública) e ao Sr. Requião(Governador) as devidas explicações, do que não estão fazendo, para ter uma crescente a questão de violência em nosso Estado? São senhoras, jovens, trabalhadores, agricultores, estudantes, todos os dias notícias e mais notícias de violência com crueldade para com as vítimas, aonde vamos chegar? Chega de fazerem politicagem e se preocuparem só com seus interesses pessoais e familiares! Queremos respostas e trabalho sério ao combate da insegurança, a responsabilidade é toda dos senhores que tem que vir a público e darem as devidas explicações e medidas concretas tomadas para cessar está onda absurda de violência!
    Não aguentamos mais como está!

  5. Raimundo Fuentes. Responder

    Que morte dura…. cruel ,agredida até a morte….Onde está esse DEUS? perguntaria Madre Teresa de Calcutá,que tantas vezes revoltou-se contra os seus desígnios…uma mulher ,indefesa como uma criança…Como se explica…tamanha violência…Vamos encontrar eesses monstros e faça-se justiça…

  6. Parabéns Teodoro, você expressou nosso sentimento em relação a insegurança! Com a palavra Sr. Delazari e Sr. Requião para responder!

Comente