Uncategorized

Gleisi diz que promessas não cumpridas afetam trânsito e segurança

O trânsito e a segurança de Curitiba foram as áreas mais prejudicadas pelo não cumprimento das promessas da atual administração municipal, conforme balanço publicado pelo jornal Gazeta do Povo na edição do último domingo.

Os dois pontos são, justamente, os que geram mais queixas da população. Na avaliação do coordenador de campanha da candidata Gleisi Hoffmann, vereador André Passos, a principal causa é a ausência de políticas integradas de atendimento ao cidadão.


“Pela relação de promessas do atual prefeito, o que fica evidente é que existem ações pontuais, mesmo nas áreas onde ele diz ter cumprido o que prometeu. Mas não existem políticas públicas estruturadas para atender às necessidades de desenvolvimento da cidade de maneira mais global”, analisa Passos. O coordenador cita como exemplo a questão da geração de empregos, pelo fato de a Prefeitura não ter qualquer programa de estímulo para que pequenas e micro empresas aumentem o número de postos de trabalho.

Passos afirma, ainda, que a estratégia adotada pela atual gestão é mais voltada para as questões eleitorais do que para a administração pública. “O fato de ter realizados metas pontuais, muitas delas de forma parcial e sem resultado efetivo, revela uma estratégia de fazer um pouco de cada coisa para dizer que fez tudo”, afirma.

Na área de segurança, por exemplo, a promessa não cumprida de levar infra-estrutura urbana para as favelas, fez com que os jovens dessas comunidades continuassem sem perspectivas ou atividades, aumentando os episódios de violência.

Para o tráfego, as promessas não cumpridas da atual gestão são a causa direta do caos que se transformou o trânsito da cidade. Nem mesmo as medidas pontuais propostas foram realizadas como: a modernização do eixo Norte-Sul (as avenidas Sete de Setembro, República Argentina e João Gualberto não passaram por mudanças); solucionar definitivamente o problema de manutenção e reparo de calçadas; repensar todo o sistema de semáforos da cidade e criar anéis viários binários interbairros para desafogar o trânsito em áreas centrais, para citar apenas alguns pontos.

Prejuízos para os mais pobres

As promessas não cumpridas da atual administração afetaram principalmente a população mais pobre da cidade. “São os cidadãos que mais precisam da intervenção do poder público”, diz Passos. No quadro de promessas não cumpridas as favelas e a integração com a Região Metropolitana aparecem com nenhuma realização e a área de habitação teve apenas 17% dos compromissos realizados, mesmo assim, alguns deles apenas em parte.

Na área de habitação, as únicas iniciativas partiram do Governo Federal, que transferiu recursos para a relocação de famílias que viviam em áreas de invasão ou de risco. Através do PAC, o governo Lula repassou R$ 70,9 milhões para construir novas casas e beneficiar 5,5 mil famílias de baixa renda de Curitiba.

Sobre a integração com a Região Metropolitana, antes de ser eleito, o atual prefeito falava em “estreitar a solidariedade com as cidades vizinhas”. No entanto, a Associação dos Municípios da Região Metropolitana (Assomec) afirma que Curitiba debate temas que interesse regional, sem levar em conta os problemas dos municípios do entorno e a opinião dos prefeitos metropolitanos.

8 Comentários

  1. levaram todo este tempo para analisar a matéria?

    a matéria mostra é que o beto fez muita coisa, por isso tem 80% de aprovação

  2. Isso, o Beto fez muita coisa. Os amiguinhos milionários dele estão todos felizes, os terrenos nas margens da Linha Verde tiveram um crescimento fantástico na avaliação imobiliária. Enfim, os ricos estão cada vez mais ricos, já os pobres …

  3. ITAIPU – o ‘desempenho’ dessa moça na ITAIPU é o retrato do grupo que a apoia:
    gastos superfluos, propaganda , e principal-
    mente MENTIRAS, MENTIRAS, MENTIRAS.
    Por favor, confiram com os funcionários da
    ITAIPU BINACIONAL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  4. A matéria da Gazeta do Povo Jornal “independente”(R$) do Governo Federal, destaca que de 177 promessas de campanha em 2004,o Beto Richa mesmo sem o apoio do Governo do Estado, já cumpriu e está cumprindo mais de 70% delas, isso significa que as aspirações da População são ouvidas e realizadas. Muita coisa ainda tem por fazer,mas será realizada na reeleição de Richa. Agora em relação a Londrina e Mato Grosso do Sul,além de nãocumprir promessas estãomais envolvidos com casos policiais do que Obras, que quase não existem! Gleisi, aprenda a trabalhar e ouvir a população, depois faça seus comentários enfames e eleitoreiros!

  5. Vigilante do Portão Responder

    Todo mundo sabe o motivo pelo qual não ocorre integração entre o Estado e a Prefeitura. O Napoleão do cangüiri não quer dar nada para Curitiba em represália por ter perdido a eleição na capital e pelo apoio do Beto ao Osmar Dias.

  6. ô companheira Greici, deixa de fazê firula e vai pra rua pedir voto. Ocê tá muito acomodada e dá muito ouvido pra esse asa-negra do André Passos…

  7. Vigilante do Portão Responder

    Vocês sabem quem fez a pesquisa publicada na Gazetona?
    Foi o pessoal do ministério do planejamento, gentilmente cedido para a campanha da Gleise.
    A Gazeta não tem estofo para fazer uma pesquisa. Recebeu a matéria pronta do comite do PT. Vejam que não tem jornalista responsável, cita fontes genéricas. Uma vergonha. Não é jornalismo, é CAPACHISMO.
    Tudo em troca de uns trocados em propaganda.
    Que tal a gazetona fazer o mesmo com as promessas do LULA.
    Só nas obras do PAC, lembrando que do orçado, menos de 20% foi empenhado e só 4% do dinheiro foi liberado.

Comente