Uncategorized

Professores param no dia 29 para lembrar cavalaria de Alvaro Dias

Professores e funcionários da rede estadual de ensino em assembléia (foto) programam paralisação de um dia em 29 de agosto.

A mobilização, aprovada em assembléia realizada no sábado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Paraná (APP-Sindicato), em Curitiba, relembra os 20 anos do ataque à categoria em frente ao Palácio Iguaçu, segundo matéria do Jornal do Estado.

Em 30 de agosto de 1988,uma manifestação dos professores foi coibida pela Polícia Militar com cavalos, cães, cassetetes e bombas de gás. Na época, o governador era Álvaro Dias. Segundo os organizadores, as doações de sangue serão ação simbólica referente ao “derramamento de sangue” ocorrido naquela ocasião.

Assista ao vídeo:


Entre os atos programados estão uma caminhada entre Praça Santos Andrade e a Praça Nossa Senhora da Salete, e campanhas de doação de sangue e estímulo à doação de medula óssea.
Os funcionários da educação aproveitam o ato para relembrar alguns itens de sua pauta de reivindicações, como aposentadoria especial para diretores e pedagogos, aprovação do plano de carreira dos funcionários, equiparação salarial dos professores com os demais servidores de nível superior e a implantação do cargo de 40 horas.

Os professores aceitaram o reajuste de 10% para professores anunciado pelo governo do Estado na semana passada, mas cobra que o aumento seja concedido já em agosto. Segundo a APP, o salário da categoria ainda precisaria de acréscimo de 26% para ser equiparado ao dos demais servidores com curso superior. O governo promete enviar hoje à Assembléia Legislativa a mensagem que autoriza o reajuste e o projeto de lei que cria o plano de carreira para os funcionários das escolas.

17 Comentários

  1. Esse vídeo do You Tube fala por sí só. Não sou professor mas não dá para ficar indiferente ao que ocorreu há vinte anos atrás. Aquilo foi uma vergonha e nada justifica a atuação da polícia. Muita pancada, cavalos, agressões e todo o resto. Um mancha forte na carreira política do governante da época. Oremos para que jamais tenhamos que ver novamente tais cenas em qualquer lugar desse País. Foi muito feio.

  2. Querem fazer reivindicações por melhoria salarial , melhoria de condições de dar aula, melhoria de qualificação, muito justas, mas deixar um só aluno sem aula, já perde a credibilidade e desautoriza os professores a que tenham o apoio da população!
    Manifestem mais dando aulas, não deixem pais e alunos punidos por erros que não são nossos!

  3. Eu sou desta terra, sou deste lugar, sou Alvaro Dias, eu sou Paraná.

    Não importam o que digam ou que mostrem, tem meu voto e apoio sempre.

  4. Professores, não sou contra às reivindicações, a pedirem o que acham justo, e, com certeza seus salarios são de fome, mas vcs acabam de ter almento salarial, então porque não fazerem suas reivindicações no Sabado ou Domingo, assim nossos filhos não ficarão sem aula! 30 de Agosto é um Sabado!!!!!!!!! QUE TAL!!!

  5. concordo com os professores, pois são eles que formam as outras profissões então por que recebem salários tão injustos. outra coisa adianta fazer reividicação no sabado e domingo se os nossos queridos governantes estão passeando/descançando por ai! as manifestações devem sim acontecer em momentos em que eles os governantes estão trabalhando, e outra coisa não é facial agradar gregos e troianos alguem em algum momento vai sair prejudicado. concordo e apoio os professores só acredito de essa classe deve se organizar mais, ter argumentos mais claros e objetivos. e principalmente estarem cientes que a sua pratica pedagogica é realmente boa e com responsabilidade, pois não adianta reinvindicar algo e não ter ou realizar um ttrabalho excelente digno de aumento!!!!!!!!

  6. Nós, quem?

    http://brasilquequeremos.ning.com/profile/EmilioJoseLemosdeLima

    Em seu “O Processo Civilizatório”, Darcy Ribeiro escreveu que, pela primeira vez na história da espécie, chegamos à possibilidade concreta de administrar coletivamente a evolução e o desenvolvimento das sociedades humanas.

    O livro, que elevou a ciência social brasileira aos mais altos padrões internacionais, é pequeno, extraordinariamente denso e deveria ser lido por todos.

    É bem verdade que mesmo que o luminoso brasileiro não tivesse escrito o que escreveu, empreenderiamos o que empreendemos agora.

    Nós, quem? Perguntará você…Nós, o povo brasileiro: barnabés, empresários, profissionais liberais, acadêmicos, camelôs, moradores das ruas, ambulantes, pescadores, gente da noite, agricultores, produtores, industriais, comerciantes, militares, o MST, o SAS, o inter-redes, a CNBB, a Cut, a Força Sindical, associações, sindicatos, federações, confederações, etc…

    Temos que lembrar, entretanto e todo o tempo, daquele que tem sido um protagonista extraordinariamente importante de nossa história: o interesse internacional, que depois da segunda guerra mundial passou a ser representado e capitaneado pelos EUA.

    O interesse internacional quando não a escreveu, torceu nossa história, desde o início: foi assim quando da implantação dos engenhos e culturas de cana-de-açucar que inseriram o que viria a ser o Brasil na economia globalizada pelas grandes navegações. Foi assim quando a rainha de Portugal mandou fechar todas as manufaturas das Minas Gerais. Foi assim quando Getúlio Vargas disparou contra seu próprio coração cedendo/neutralizando às terríveis pressões que os militares da “República do Galeão” e seus aliados nacionais, sòzinhos, não conseguiriam exercer. Foi assim quando militares e outros implementaram o golpe de 1964 e foi também assim quando homologou-se a demarcação contínua da Reserva Indígena Raposa-Serra-do-Sol…

    Quem vai carregar os minérios estratégicos da Reserva? Quem impedirá que tropas transitem da Guiana à Venezuela, através da Reserva?

    O que é isto? Uma provocação à super-potência? Não, claro que não…A história de outros impérios tampouco o recomendaria.

    Entretanto, se trataremos de discutir com todos os protagonistas, pacificamente, os caminhos futuros de nosso país, precisaremos obter, também dos Estados Unidos da América, uma atitude respeitosa e de não intervenção.

    Não ver as pegadas norte-americanas nos últimos 65 anos de história brasileira equivale a não perceber a influência romana na europa do primeiro século da era cristã.

    Por ora começaremos a disponibilizar conteúdos e reflexões pertinentes, produzidos por indivíduos e por organizações, a comparar, discutir e reelaborar a partir destas contribuições, passando sempre que possível ao debate e às interações com estes listados protagonistas brasileiros.

    Aguardamos sua participação!

  7. Isso que alguns disseram sobre deixar alunos sem aula é uma babaquice. Concordo c/ a Talita. Direitos nunca são conquistados sem luta e a luta não se faz no fim de semana pra ser observado como mais um espetáculo para distrair o povo. A função da paralização é atrapalhar o funcionamento de determinado setor, para chamar atenção. Infelizmente os trabalhadores não têm outras armas. É preciso incomodar a sociedade inteira se for possível, esse comodismo tipicamente brasileiro é nossa desgraça. E viva a luta dos professores que são simplesmente desprezados nesse país!

  8. Na minha opinião as professoras nunca estão contente com o que ganham,tem pessoas que não ganham um terço do que elas ganham.Elas tinham que aprender a dar valor a essas coisas.

  9. Essa manifestação foi em frente ao Palácio Iguaçu? Já pensou se todas as classes fizessem o mesmo? Eu acho que lá não é lugar, tem que se manter a ordem e não ser intimidados por meia dúzia de desordeiros que se dizem representantes da classe.
    Deveriam sim lutar por melhores professores, pois tem uns que se dizem professores e não sabem dar aula, só passam todo mundo de série tendo como resultado profissionais desqualificados no futuro.

  10. Olá Fabio. Procurei por essa reportagem hj por causa dos últimos acontecimentos. Pela manhã, vi o senador Alvaro Dias em um programa da CNT falando sobre a candidatura para o governo do estado, dizendo que ele é a melhor opção pelo fato de se ele entrar, o seu irmão não será candidato. Será que que ele não tem vergonha? que deve desistir é ele, já que o Beto e o Osmar são os melhores nomes e na disputa entre eles o povo poderá escolher democraticamente entre dois bons candidatos. E, afinal, quem perde pro Requião quer ganhar de quem? Obrigada.

  11. Jéssica Santos Responder

    Quando fiquei sabendo desse caso, eu ainda era aluna. Hoje sou professora e minha opinião continua a mesma: quando se trata de melhorar as condições do ensino no Brasil, nunca há acordo com o Governo, diferente do aumento do salário dos políticos, que acontece de 6 em 6 meses, e é resolvido em apenas uma reunião com duração de 1 hora. Simples assim. Vi os comentários de alguns colegas acima, inclusive de pais. Como pode haver gente que não se preocupa com a educação dos próprios filhos? Estes só querem saber de se livrar de suas crianças por algumas horas. O que os professores reinvindicam não diz respeito somente ao salário, que sim, é pequeno (lembrando que é graças a nós que a população tem médicos e advogados), mas sim de melhores oportunidades para seus filhos, com a melhoria do ensino, pois este anda tão fraco, que hoje tornou-se necessário “tapar o sol com a peneira” através do Prouni, pois 99% dos alunos de escola pública são incapazes de passar em um vestibular de Universidade Pública. Pensem nisso e comecem a apoiar e a valorizar mais o educador e o professor (que muitas vezes vira pai e mãe).
    Lembro-me também que o Dr. Álvaro Dias foi o mandante de tal violência. Hoje ele é senador do nosso país. Pois é, a memória do povo brasileiro é fraca, tão fraca, que ontem fui a uma colação de grau de uma faculdade particular de minha cidade, e lá estava Álvaro Dias como paraninfo geral. Do meu ponto de vista, isso é vergonhoso para a faculdade e ofensivo para os professores desta instituição.
    Sou grata aos que estiveram nessa manifestação e os admiro muito. Junto-me a vocês pois honro minha profissão e viso um Brasil melhor para nossas crianças.

  12. Carlos Silveira Responder

    As pessoas que criticam as greves dos professores por sálarios, podem esperar que em mais alguns anos seus filhos não terão professores qualificados nem nas escolas particulares pois de tão baixo que é o salário dos professores, os alunos de licenciatura se formam e vão trabalhar em outras profissões, muitas vezes de nivel médio e até fundamental, pois os salários são melhores.
    Sou professor de física e matemática formado na USP, e professor da rede estadual de ensido do estado de São Paulo, e estou pensando em trocar de profissão, pois, por incrível que pareça, as condições de trabalho é ainda pior que nossos salários.

  13. *Concordo veementemente com OS PROFESSORES, eles têm mesmo é de PARA TUDO.Afinal o que chegam a aguentar em sala de aula de algum aluno!!!! Desacato,e outras coisas, ELES LUTAM para trazer um ensino melhor para nossos filhos e netos.Mas infelizmente não SÃO RECONHECIDOS pelos políticos, têm de fazer GREVE para conseguir um pequeno ….aumento! ENQUANTO, os DEPUTADOS,eles mesmos ELEVAM SEU SALARIO A 62%,como no caso de 2012.Aqui mesmo em W.Braz, os vereadores AUMENTARAM SEUS SALARIOS EM 68%!!!! Isso mesmo, 68%.E os professores??????????como ficam????????
    #ME RESPONDAM AI?????#

  14. Eita hipocrisia do Diabo, sou professor, minha esposa idem, e acho isso FALTO DO Q FAZER. Vão estudar e melhorar o nível do seus alunos. É TUDO PETISTA ENRUSTIDO. Alvaro Dias ñ deu ordem nenhuma p/ agredir professores. Veja se o governador Fleury de SP, foi punido pela tragédia do Carandiru, o fato de vc estar a frente de um governo ñ quer dizer q seus comandados ñ façam COCÔ!

Comente