Uncategorized

Quando ela é cega, surda e muda

No último fim de semana deste mês, o Tribunal Regional Federal da 2a. Região (Rio de Janeiro) reunirá juízes e convidados em evento num luxuoso resort no balneário de Búzios, com despesas pagas por empresas, dinheiro intermediado pela Ajufe (Associação dos Juízes Federais do Brasil), pois o tribunal não pode receber diretamente os recursos captados, conforme reportagem na edição de hoje da Folha de São Paulo.

As diárias do resort variam de R$ 400 a R$ 1.000 e todos os apartamentos estão reservados, de quinta (28/8) a domingo (31/8).As fotos reproduzem o ambiente onde os magistrados, segundo o TRF-2, terão “um momento de reflexão e debate sobre o tema dos 200 anos e o papel do Judiciário no contexto histórico-cultural-social”.


O evento faz parte do projeto “200 Anos: Da Corte a Corte”, a título de homenagear a vinda da família real portuguesa para o Brasil, e disputa incentivos da Lei Rouanet.

O tribunal calcula que cada magistrado desembolsará cerca de R$ 900. No ano passado, em evento semelhante promovido pelo tribunal em Angra dos Reis, autoridades do Judiciário foram transportadas em helicópteros da Marinha.

O Conselho da Justiça Federal negou que pretenda realizar sessões de trabalho em Búzios, ao contrário do que estava previsto originalmente pelo TRF-2, conforme edital para contratação de empresa de áudio e vídeo.

Durante três meses, o tribunal recusou-se a prestar informações sobre o evento. Só enviou informações ao editor deste Blog depois que o questionário foi enviado com cópias ao Supremo Tribunal Federal e ao Superior Tribunal de Justiça e quando foram consultados os demais tribunais regionais federais.

3 Comentários

  1. Não quero acreditar, só o que faltava o Poder Judiciário se reunir em resort pago por emprêsas. Que emprêsas, do Maluf, do Daniel Dantas, de empreteiras que gravitam por Brasília.E o Ministério Público Federal, não diz nada; o Presidente do Supremo não comenta nada sobre esse assunto.Coitado desse nosso povo, desse nosso Brasil. Ficarei profundamente descepecionado se ocorrer esse evento. Chego a conclusão que essa justíça é cega porque não enxerga a situação do povo brasileiro, é surda porque não ouve o clamor diário desse povo e muda por conveniência.

Comente