Uncategorized

Requião irritado com a falta de interesse pelo debate na TV Educativa

Como Beto Richa não vai ao debate da TV Educativa e as expectativas de audiência são iguais aos índices de Carlos Moreira nas pesquisas, isto é, zero, nem os outros candidatos estão dando importância para o evento.

Requião ficou fulo com tamanha desconsideração pela sua TV. Antes de viajar para Londrina e para o Paraguai, mandou o Marcos Batista (foto) colocar cadeira vazia no lugar dos faltosos, com nome do candidato ausente e de seu partido. Mesmo que isso contrarie as regras criadas pela equipe do próprio Marcos Batista.

14 Comentários

  1. Perguntar não ofende; esse debate vai ser numa terça-feira no horário da escolinha ?

  2. Mano da Vila Reply

    Isso deveria servir alerta ao Requião Chaves sobre o seu desempenho como governador, Duce, coordenador de campanha do Coquinha O, nepotista-mor, Maria Loka, político napoleônico ……….

  3. Vai ser o antigo “Cirquinho Canal 6”, só que aquele era bom, os irmãos Queirolos animavam a programação da antiga retransmissora da TV Tupi. O da TV Educativa vai ser o “Cirquinho Canal 9”, onde o grande palhaço é compartilhado entre a figura do Requião e o Povo que “paga a conta” dos delírios inconsequentes do Rei Quião. Ninguém vai perder seu tempo, em assistir uma coisa armada e tendenciosa, os candidatos que não aparecerem, fazem bem em não comparecerem no picadeiro! Audiência será 0% igual ao índice do candidato “Bobeira”, o Bobo da Cortê.

  4. Acho que todos os candidatos deveriam comparecer. É uma chance dos eleitores analisarem as propostas de cada postulante ao cargo. Na minha opinião, quem não comparecer estará desrespeitando o eleitor que ainda está indeciso ou que ainda pode mudar de opinião.

  5. A conta é simples: visitando qualquer bairro, facilmente um candidato fala com 300 pessoas; participando do debate na TV do requião, quantos assistirão?

    Acho que não dá 300…

  6. A TV EDUCATIVA tem alguns programas de real interesse da comunidade. Quanto ao uso indevido é outra coisa. A direção é eleita pelo povo através do voto – GOVERNADOR. Portante, a demissão é via voto, no indicado para sucessão. É bom dar uma olhada na Educativa, vale a pena. Se não gostar, mude de canal…

  7. Vigilante do Portão Reply

    Mediador? kkk, para ser mediador tem que ter equilíbrio emocional. Não vai dar para o Requião.Ele é um desequilibrado, toma dois comprimidos de Gardenal.

  8. O Vigilante do Porcão, sempre prestando bons seviços ao seu patrão, aquele que inventou o pedagio, a venda da copel e a venda da sanepar e governou sempre em favor de seu grupo onde esta incluido o Vigilante do Porcão.

  9. Vigilante do Portão Reply

    Pense comigo, õ mesmo cara que inventou o pedágio, foi quem criou a cidade industrial, troxe as montadoras e outras indústrias. Entregou um Paraná moderno e bem mais desenvolvido. No governo Lerner, o estado quase ultrapassou o Rio Grande do Sul (PIB), Curiosamente, no governo Requião, as grandes empresas preferiram outros estado. Veja o caso da Toyota, por exemplo.
    Não dá para ver um lado só de uma administração.
    Você acha certo colocar o Irmão no Tribunal de Contas?
    Então continue votando no Requião…kkk

  10. Opa, mas com toda experiência que o Marcos Batista tem, ele ainda não conseguiu vender esta vaga na cadeira ?

  11. Se ele ainda não vendeu, é porque o Requião não deixou. Aliás, o Sr. Marcos Batista esta trabalhando com o Requião depois daquela história acontecida lá na Rede Paranaense de Comunicação. Lembram o comentário de que foi publicado aqui, neste mesmo blog, do Ari Gomes Amorim:
    “Marcos Batista foi expulso da TV paranaense por justa causa e acabou se metendo num buteco, (ele dizia que era restaurante) virou Alcoólatra e foi salvo pelo Mauricio Requião, que deve estar perguntando agora, porque meu Deus eu fiz isso, esse cara não merece. A historia agora todos sabem, maracutaia e maracutaias na TV Educativa do Parana, tem nome e sobre nome MARCOS BATISTA.”
    O velho maçom Réquiem, digo, Requião, deve estar arrependido a essas alturas.

Comente