Uncategorized

Ruth Bolognese condenada à revelia por questionar concurso de juízes

O Zé Beto deu em seu blog a situação kafkiana em que se encontra a jornalista Ruth Bolognese (foto). Em 2004 ela questionou no jornal Folha de Londrina a lisura do concurso público no qual a Juíza de Direito Letícia Pacheco Lustosa foi aprovada.

A Juíza Letícia Lustosa é filha do atual Corregedor-Geral de Justiça, desembargador Leonardo Pacheco Lustosa. Ruth Bolognese baseou-se em informações de que Letícia Lustosa e outra juíza pularam uma fila de 180 outros juízes para serem transferidas do Interior para Curitiba. Situação registrada no Tribunal de Justiça para quem quiser acessar.

Ora, pois, o jornal Folha de Londrina, à revelia de Ruth, fez um acordo na Justiça e aceitou a condenação do veículo e da jornalista. Como parte do entendimento, o jornal não recorreu. Ruth não sabia do acordo e a sentença transitou em julgado. Cada qual terá de pagar R$ 50 mil de danos morais à Juiza Letícia Pacheco Lustosa.

A Associação dos Magistrados do Paraná (Amapar) informou a decisão com o seguinte comentário: “Assim, a condenação lavrada pelo Juiz Jaime Sampaio serve como lição. A Imprensa livre é um dos pilares da Democracia. A Sociedade deseja apenas maior cautela, a fim de que essas acusações levianas não se repitam.”

Soa como ameaça à imprensa que ouse questionar concurso público na área da Justiça. Vejam bem, concurso público deve ser questionado, acompanhado, investigado pela imprensa e por todos os cidadãos, seja lá onde for. E quando um fato surpreendente, como esse em que uma juíza salta sobre 180 pessoas na fila, deve suscitar todo tipo de suspeição. É o papel da imprensa na democracia. Não acredito que o papel da justiça na democracia seja condenar jornalistas por cumprirem o seu papel. Ou é melhor deixar de exercê-lo. E pensar que os magistrados se unem corporativamente para se defender e a galera da imprensa faz de contas que tudo vai bem, no melhor dos mundos e que a liberdade de expressão até existe.

18 Comentários

  1. Depois que o “Órgão Especial do Tribunal de Justiça” do Paraná, deu ganho de causa como sendo normal a situação de indicação de Maurício Requião ao Tribunal de Contas do Estado, eu tenho certeza que qualquer outra situação envolvendo a Justiça, seus parentescos e os nobres Desembargadores são consideradas comuns e certas!

  2. Corretísimo seu comentário….e se todos os jornalistas revelassem o que sabem o que está escondido dentro da “caixa preta” do Judiciário, teria que ser criada uma vara exclusiva para análise de danos morais…

    Aliás, a Ruth voltou a escrever em outro jornal?? em caso positivo e onde, quem souber, favor informar!!

    Abçs!!

  3. Que rápida foi a justiça nesse caso! Acho que o processo furou a fila dos milhares que aguardam decisão.

  4. Francisco Alpendre Responder

    Ainda que a procuração dê poderes ao advogado para transigir e fazer acordo, já existem decisões não isoladas que indicam que, em caso de não consulta à cliente, acordo feito por advogado sem a anuência, ainda que tácita daquela pode ser revestido de nulidade.

    A jornalista pode procurar “seus direitos”.

    F.A.

  5. O fato beira ao escabroso. A culpa recai na jornalista e na imprensa que noticiou o fato. O Judiciário como elemento repressor de liberdades públicas ? Aliás, o Judiciário gosta de apurar suas mazelas em sigilo – “sigilo de Justiça”. Bem assim foi o caso do Anexo. Ninguém ficou sabendo o que foi ou que não foi feito com o dinheiro público, à vista de votação secreta da Corte. Ainda que mal pergunte: e os outros 180 prejudicados não se rebelaram contra a irregularidade ? Juízes com medo de juízes no meio de juízes ?

  6. A sociedade Brasileira nao aguenta mais a inJUSTICA do Brasil.
    E nepotismo, funcionarios fantasmas, sentencas equivocadas…..
    REFORMA DO JUDICIARIO JAAAAA!!!!
    malu

  7. O Poder Judiciário é tão corrupto quanto o Legislativo. A diferença é que nesse temos a chance de tirar alguns de quatro em quatro anos e naquele os corruptos ficam bem entrincheirados por cerca de 30 anos. A eleição direta para ocupar os cargos do Judiciário consta no plano de reforma? Provavelmente não!

  8. Cléber Córdova Responder

    Acreditar nesta justiça que ai esta? Só os déspotas a quem ela serve e legitima nos atrios do poder. Acredito em qualquer coisa, menos na lisura da “justiça” brasileira.Nós estamos ferrados com este poder judiciário repugnante que ai esta.Da nojo.

  9. Alguem sabe me dizer a respeito dos critérios de lotação dos assessores aprovados no concurso do Tribunal? Foi pela melhor nota? qual foi o critério? Ruth, por favor não responda!

  10. Neuzi Porto Buccioli Responder

    Tenho procurado pela amiga Ruth na folha e não a encontrava, senti que algo estava errado, hoje a explicação e junto dela a decepção para com a folha. Ruth envie-me seu endereço, as verdades nuas, cruas e com bom humor que só você sabe misturar, agrega leitores fiéis.
    Um abraço.

  11. luiz carlos b. da si Responder

    O Ruth, passe o numero da conta corrente que nós os seus leitores vamos ajudar a pagar esta papagaiada do judiciario. Queremos saber de voce Ruth. Queremos ler seus acidos comentarios e analises sobre a politicagem de nossa terrinha. Abraço e seja forte. Não se entregue.

  12. ela não foi condenada à revelia. ela foi citada e apresentou contestação. o valor também está errado.

Comente