Uncategorized

O confronto no Colégio Estadual

Deu no Blog da Cidade:

Veja o vídeo. A versão do aluno e a versão da diretora.

Leia o que outro aluno, João Victor, leitor deste blog, diz sobre o assunto.

6 Comentários

  1. Prefeito do PMDB Reply

    Enquanto a ex-colega de trabalho de Moreira e da Yvelise, continuar suas medidas (ou desmedidas), sem o mínimo de tato para lidar com os estudantes. Só chego a uma conclusão…a incompetência para o cargo que lhe foi atribuída pode proliferar para outros cargos, como secretaria de educação e “possível prefeito de Curitiba”. KKKKKK
    Se liga Requião, vai de novo colocar a culpa em “alguns professores imaginários” por causa de uma amiga do Moreira!!!!!!

  2. Gabriel (GECEP) Reply

    Engraçado D.Madselva Vossa Majestade vive nos falando que não há condições para ter um pleito democrático para a escolha do diretor,hoje Vossa Tirania afirma na TV que a unica verdade que existia na Carta ao CEE é a luta pelas Diretas para Diretor no Colégio. O que aconteceu Madselva? Mudou o discurso completamente?
    Quer dizer então que a Festa Junina que aconteceu no CEP, que voce nunca barrou nenhum projeto do GECEP mesmo estando de férias (tadinha da criança)que não houve tentativa de prisão do Presidente do Grêmio e dos ativistas do GECEP,que a Gazeta do Povo nunca foi barrada na escola…

    Quanta hipocrisia hein?
    Típica da burrocrácia estatal e continuista do Governo Requião.

    Chega,estamos cansados de tanto discurso furado, de tanto cinismo, de tanta hipocrisia.
    Uma Instituição de Ensino com tanta tradição que é o Colégio Estadual do Paraná não pode ser manchada por um sistema autoritário e imposto.

    Chega de uma política de sucateamento do ensino público começada no Governo Lerner e continuada por Requião.

    A Sociedade Paranaense precisa dizer um basta para tanto cinismo.

  3. Causa espanto a entrevista da diretora Madselva. Ela é favorável às eleições diretas apenas quando se apresenta em público? No Colégio Estadual do Paraná as pessoas com cargos comissionados, consequentemente ligados diretamente à direção, repassam para os professores e alunos que as eleições diretas acarretariam prejuízos ao colégio.

  4. Professor do CEP Reply

    com relação a festa julina: não é que se tenha proibido, mas o grêmio queria colocar dez mil pessoas num espaço onde cabem cinco mil com segurança. Foi recomendação do corpo de bombeiros. E é verdade que os alunos voltaram a se manifestar depois de a direção começar a ser mais rigorosa com relação ao horário de entrada dos alunos afinal, por conta de uma maioria que fica fazendo hora em frente a casa do estudante, ou do farol do saber, os que realmente se atrasam vão pagar. Sem contar que é muito comum ouvir os alunos falando que só vêm para a segunda aula, ois nem dá nada. Muito correta a titude da dona Madselva com relação a isto. No mais, precisamos sim de democracia no CEP. Principalmente os mecanismos de democracia que nos são mais caros: liberdade de expressão e direito à participação…

  5. Ex Professor do CEP Reply

    Para o Professor do CEP
    O sr também acha correto a extinção das coordenações?
    O sr também acha correto o afastamento e os processos em cima de seus colegas professores? Até o Prof Carlão falecido recentemente e que sempre apoiou a Madeselva foi processado por ela?
    O sr também acha correto o clima de medo e insatisfação que vivem a grande maioria dos prof no CEP?
    O que é mais é correto na sua opinião nesta gestão?
    Faz décadas que o CEP tem direção indicada e nunca houve este clima de insatisfação e confronto na gestão da adeli, da elza ( ilias da elza teve uma paralização de um dia a penas por parte dos alunos …mas ela sabia conversar, dialogar, ceder e manter a autoridade.

  6. Paulo (grêmio) Reply

    “com relação a festa julina: não é que se tenha proibido, mas o grêmio queria colocar dez mil pessoas num espaço onde cabem cinco mil com segurança.”

    Meu caro professor, o projeto da festa era para cinco mil pessoas, mas infelizmente a professora Madselva BARRO a festa sim… e ela não tem nenhuma documentação dos bombeiros dando o aval que era para cinco mil pessoas. Ela queria que fosse só para duas mil pessoas e falo com essas palavras: “mesmo que os bombeiros autorizem para cinco mil pessoas, a festa vai ser para duas mil pessoas.”

Comente