Uncategorized

A rejeição mais alta é a de Fábio Camargo

O Datafolha perguntou aos consultados em quem eles não votariam de jeito nenhum. Deu o seguinte resultado: 26% não votam em Fábio Camargo; 20% não votam em Gleisi Hoffmann; 18% recusam Moreira, 15% não votam em Bruno Meirinho; 14% não votam em Lauro Rodrigues; 12% rejeitam Maurício Furtado; 10% não votam em Ricardo Gomyde e apenas 7% dizem que não votam em Beto Richa.

Leia no post abaixo os índices de avaliação da administração Beto Richa, que explicam os demais.

12 Comentários

  1. Acho que isso é conversa pra boi dormir…Nas eleições do Reiquião ele estava próximo do firmamento nessas pesquisas e diziam que ele venceria com 80% no primeiro turno…deu no que deu….ta parecendo que essas pesquisa atendem aos interesses de alguém…do povo é que não é…ainda muito ligado em pequim….e não nos temas tupiniquins. Dificil acreditar que o Fabio tenha tanta rejeição e o prefeito tenha apenas 7%. Que venham as urnas!

  2. Acho que esse pessoal devia fazer pesquisa nas proximidades da Cruz Machado. Fábio Camargo lá é rei!

  3. É parece que o Fabio já começa a causar problemas. Mesmo com esse percentual pequeno o candidato começa a subir. Pouco? Claro que é, mas falta muito para o final da campanha. Esperamos que tenhamos um segundo turno pois essa turma que comanda Curitiba não pode se perpetuar no poder. Curitiba está entregue aos negócios. Fora com essa turma que só quer ganhar e não fazer nada pela cidade. Os tempos chegaram e precisam mudar.

  4. Como cresce arejeição pela Gleisi. Na medida em que o povo vai conhecendo a traia, vão vendo que é traia mesmo!

  5. A Estartégia adotada por Fábio Camargo, que no começo alguns acharam que era correta e diferente em se classificar como o Prefeito dos “Bairros”, pegou muito mal perante a população, pois dizer que o Beto Richa não é o Prefeito dos Bairros, é mentir e acreditar que a mentira é verdade, nunca na história recente de Curitiba um Prefeito foi tão presente nos bairros, como tem sido Beto Richa, em todos os bairros existe a marca e Obras realizadas pela Prefeitura de Curitiba, então soa como mentirosa esta afirmação de Fábio, que ele será o prefeito dos bairros, mas se já existe o Prefeito nos bairros Beto, logicamente isso dará a ele (Fábio) perda de percentual, e índices de rejeição maiores pela mentira em querer atingir o Beto com uma inverdade! Por isso alguns comentários, e se baterem muito no Beto, ele vai agradecer, pois a população vai reagir e aumentar seu percentual de escolha! Quem viver verá! Beto Richa será reeleito no primeiro turno e com ampla vantagem de votos! Quem bater no Beto vai perder pontos e será mais rejeitado!

  6. Ô T heo. Você não stá com nada. Se o Fábio não conhece os bairros vai perguntar aos Betinho.Os bairros de Curitbia espera que o prefeito entenda que os bairros esperam que algo aconteça para melhorar a vida do povo daquele. Pois assim a vida será melhor para todos e não para os bacanas dos bairros nobres. Fábio Já.

  7. Esse manés que detonam o Fábio são uns otários. Pagos pelo cara da hora mandam mensagens para detonar qualquer um e emitem mensagens contra. São uns bobões e uns otários pagos pelo caixa do play boy da hora. Quem cohece dos bairros é o Fábio. E não adianta falar que o cara é dono de boates e casas de show. Na verdade o cara é o maior conhecedor dos bairros. Portanto fala aí Vigilantes, Francos, otários e recebedores de grana do prefeito de plantão. Bundões.

  8. Fabão e Espinafre, voces ja ouviram falar na máxima sociológica (sociologia e lógica) que os semelhantes se atraem e os contrários se repelem? Pois é isso bicharada das bocas da noite, como é que vcs não querem que o “dono de boates” Fabio Amargo, não tenha rejeição se ele está abraçado com o criador do mensalão o cassado e mau carater militante Roberto Jeferson?
    Imaginem o Famargo prefeito, o que seria da nossa cidade com o ROBERTÃO dando as coordenadas para as maracutaias todas que ele ensionou para os petistas em Brasilia?

  9. Vigilante do Portão Responder

    Os sectários são os mesmos, Requião, Lula, Fábio, querem dividir a população entre ricos e pobres, É puro exercício de marqueteiro.
    Colocar-se ao lado da parcela maior da população, e prática comum dos politiqueiros, criando inimigos, reais ou imaginários, vejamos alguns casos:
    Collor, dizia-se contra os marajás, não afirmava quem eram os eles, o povão, achava que marajá, era todo aquele que tinha dinheiro, que vivia bem, sem fazer a ligação que o próprio Collor era um Marajá, vindo de família abastada lá de Alagoas.
    Requião, insurge-se, contra o NEOLIBERALISMO, e diz adotar a opção pelos pobres do “Concílio de Puebla”, no entanto, foi “bater o sino” na Bolsa de NY, templo do neoliberalismo mundial, tem apto. em Paris e emprega a família toda no serviço público.

Comente