Uncategorized

Élio Rusch diz que Requião debocha da Justiça

O deputado estadual pelo DEM e líder da oposição, Élio Rusch (foto), fará pronunciamento hoje à tarde na Assembléia Legislativa para falar sobre as várias decisões judiciais que Requião não cumpriu, culminando na criação das secretarias especiais, para fugir da súmula vinculante do STF.

Segundo Rusch, no atual governo, a afirmação de que “decisão judicial não se discute, cumpre-se”, deveria ser mudada para “decisão judicial não se discute, debocha-se”.

7 Comentários

  1. De novo o Rei do Sutiã??
    Esse tal Élio Rusch deveria se aposentar por invalidez permanente.

  2. CAMPANA, ESTOU MAIS UMA VEZ LHE INFORMANDO, […] E SE VC NÃO TIVER O RABO PRESO COM O PARLAMENTAR PUBLIQUE, ELE TBÉM TEM NEPOTISMO EM SEU GABINETE, COMO EU JA DISSE, SEJA HOMEM CAMPANA OU MELHOR, SEJA PROFISSIONAL…

    [Informação do editor ao autor do comentário: por favor, leia a política de aprovação de comentários do blog. O blog não publica nos comentários nomes, informações e acusações que não tenham fonte ou que não sejam de conhecimento público. Se você espera ver suas acusações publicadas, cite suas fontes, se identifique publicamente de forma clara e apresente provas. Se seu comentário contém acusações sem provas ou informações que não são de conhecimento público, o blog não tem interesse em publicá-lo por simples dever jurídico.]

  3. Élio Rusch, o senhor não entendeu. Não é que o Requião deboche da justiça. É que o governo dele é uma piada.

  4. Impeachment de Requião Chaves já!

    Cadê a OAB para pedir o impeachment?

    OAB, chega de discurso e mais ação!!!!!!!!!!!

  5. Requião Fã Clube Responder

    Caro Deputado, quando uma decisão judicial é justa e coerente, cumpra-se…
    Quando é incabível, inconstitucional e absurda, como cumpri-la ?

  6. Rusch, ele está cumprindo na malandragem todo o ritual da justiça.
    Não viu que ele criou uma secretaria inteirinha só pra manter a curriola unida sob a tutela do Estado?
    Infeliz da Suprema Corte que deixou escapar a solução malandra: só secretários de Estado podem ser parentes…
    Vivemos no país dos espertinhos, Senhor Parlamentar, quem pode mais chora menos. Infelizmente…

Comente