Uncategorized

Requião enfrenta desgaste para satisfazer os parentes

A tigrada do governo perdeu a compostura. Já não mede conseqüências. Nem dá importância para o que pensa o povo deste Paraná que nunca, jamais, teve um governo com tamanha desfaçatez como este.

A nítida impressão é a de que Requião jogou a toalha. Desistiu de qualquer projeto político importante no futuro. Talvez nem pense em se candidatar a Senador. Trocou todos os seus trunfos de prestígio e popularidade pela satisfação dos parentes e agregados que não lhes dão trégua, querem porque querem cargos, sinecuras, prebendas, mordomias e tudo o mais que o poder nativo possa lhes oferecer.

Para ler este artigo na íntegra, clique no

Os escândalos são indissimuláveis. Como justificar, por exemplo, a revelação de que a mulher do juiz Xisto Pereira, o mesmo que garantiu a posse de Maurício Requião no Tribunal de Contas, dias depois foi nomeada num cargo em comissão de alto coturno no mesmo Tribunal?

E que dizer do desaparecimento dos anais do governo do decreto que nomeava o irmão Eduardo Requião secretário especial para driblar a resolução antinepotismo? Ora, pois, surgiu outro decreto, que nomeia o secretário de Estado dos transportes secretário especial para assuntos rodoviários. Em resumo, Rogério Tizzot foi desqualificado para ceder o título de secretário de Estado para Eduardo, única forma de mantê-lo na direção do porto de Paranaguá.

E agora essa demissão da jornalista Dinah Ribas Pinheiro, professora respeitadíssima, assessora do BRDE desde 2004, que perdeu o caro pela simples razão de que ele foi solicitado para albergar uma sobrinha do secretário der Imprensa de Requião, Benedito Pires, o guru da esquerda funcionária.

Por essas e outras, qualquer analista da política paranaense já não titubeia ao afirmar que Requião é, longe, a pior referência política e administrativa que o Paraná já teve em toda a sua história. Pela comparação, todos os governantes anteriores estão absolvidos. Sem dúvida, Requião será a marca definitiva e por muito tempo do descalabro, do nepotismo, do favorecimento a parentela a qualquer custo, da conseqüente destruição do tecido institucional.

Pode ser coincidência, mas ninguém mais crê em coincidências, tantas elas são e sempre a favorecer a moçada de Requião instalada no poder.

8 Comentários

  1. Pessutão de olho Responder

    Da forma como ele tem tratado o Pessuti e seu bando acredito que com a experiência já adquirida com o Mário Pereira ele faça como o Álvaro fez por causa das incertezas com o Ary de Queiroz e fique até o fim de seu governo.

  2. Segundo um grupo representativo dentro do PMDB, que nao concordou com a imposição do Requião com o Moreira, se, até o dia 10 deste o candidato do governador não melhorar nas pesquisas, a campanha vai parar. Não quer o grupo, expor ainda mais o partidão ao ridículo.
    E tem mais: tudo isso está facilitando a aproximação do Alvaro Dias com o PMDB, considerado o melhor presidente que o partido teve.
    Foi graças ao Alvaro que o partido tem a bela sede na Vicente Machado

  3. Eu preferiria que o Álvaro Dias esquecesse o PMDB, a menos que seja para expurgar os quadros, expulsar os oportunistas que até hoje só utilizaram a sigla.
    Se alguma coisa tiver de afundar no Paraná, que seja o PMDB, para nunca mais surgir em cena a não ser como mausoléu de vaidades mal resolvidas.
    Depois do que fizeram com o Álvaro Dias só para dar espaço ao Requião, melhor que esse partido se parta, ou vá para o raio que o parta.

  4. cidadã abismada Responder

    Poderia parecer estranho o governador estar disposto a enfrentar tamanho desgaste em tempo de eleição. Ironicamente, a campanha “20.000 Léguas Submarinas” do Moreira é o que possibilita as manobras em prol do nepotismo. Se o Reitor tivesse a mínima chance de um segundo turno, talvez Requião se contivesse um pouco (ou não).

  5. Palhacinho do Batel protesta contra censura
    Quarta-feira, 3 de Setembro de 2008 – 22:35 hs
    O Palhacinho do Batel, candidato a vereador pelo PMDB esta tiririca com o pessoal do Beto Richa.
    O Palhacinho se considera censurado porque levou multa de R$ 10 mil da Justiça Eleitoral por andar com um cartaz de sua campanha dependurado na bicicleta.

    Palhacinho consultou Requuião, tirou o cartaz e colocou um pano preto escrito “censurado” e o valor da multa que vai pagar. Ele disse também que não tem dinheiro nem pra comer e jura que quem o ajudava agora não ajuda mais. A multa ele pediu que some com as do Requião, porque ele não pode pagar.

  6. Pretação de Contas 2006 e 2007 do Governo Requião ,e falhas encontradas!
    Ressalvas

    – Falta de repasse de recursos arrecadados para Fundos Especiais – como o Fundo de Saúde e o Fundo Penitenciário – conforme determina a lei.

    – Impossibilidade de se verificar a movimentação da dívida ativa, por causa da diferença de valores nos sistemas de acompanhamento da Secretaria da Fazenda.

    – Falta de informações para comprovar se houve cumprimento da ordem cronológica do pagamento de precatórios.

    Vai que é sua Parana!

  7. Um exagero imaginar que Mello e Silva não vá ser candidato a um cargo eletivo, especialmente Senador. Há três centenas de petições iniciais de ações judiciais prontas para serem protocolizadas contra ele, no momento em que ele deixar de ter foro privilegiado. Eleger-se, ou ocupar um cargo público vitalício, para Mello e Silva – diria para os Mello e Silva – é uma questão de sobrevivência e de safar-se da insolvência que sobreviria com a condição de simples cidadão comum. Nem o apartamento de Paris, que poderia ser considerado bem de raiz, escaparia da montanha de mandados de penhora…

Comente