Uncategorized

Menos, Caíto, menos

A tentativa de articular a substituição de Rafael Iatauro na Casa Civil gorou. Não há a mínima chance do deputado Caíto Quintana voltar ao posto, como pretendiam os deputados da velha guarda do PMDB.

Iatauro foi o responsável pela engenharia que levou Maurício Requião ao Tribunal de Contas e pelas seguidas aprovações de contas do governo, sem contar as acomodações do governo com o Tribunal de Justiça e o Ministério Público.

Requião diz que ele não sai. Iatauro só sai se quiser, diz a moçada da cavalgada.

6 Comentários

  1. Atento da Silva Responder

    Então a culpa de tudo isso é do Iatauro, cujo passe está em alta no Cangüiri. Mesmo em final de governo, o pessoal não quer largar o osso, hein? Se puder, ainda dá uma rasteira nos companheiros… É a política dominante.

  2. Tem que deixar o sogrinho do “Fabinho laranja bronzeado Camargo” no lugar dele pelo menos até dia 05/10/2008, depois são outros 500?

  3. Gostaria de saber se ao final deste governo o Ministerio Publico vai enquadrar este senhor tambem,pois,ele e o Duce sao os arquitetos de tantas rasteiras no povo,entao ele aprova as contas no TC, bem ,como ja disseram dias atras Tribunal do Faz de Contas, e, estes que aprovaram as contas em nome do sr.Iatauro tambem podem ser enquadrados????AH!!!!se tivessemos um MP atuante,pena que esta comprovado eles se desvirtuam de seus propositos,na campanha do MP o atual Procurador Geral ,como tema de campanha, iria colocar o Duce no paredao e tritura-lo,heis a duvida,e nada foi feito ate o momento….so bla,bla,bla….

  4. Nego Veio:

    O mal o Parquet, no Estado, é que eles tem a mais régia remuneração paga pelo povo paranaense, todas as prerrogativas de âmbito administrativo, civil e criminal para atuar contra os Poderes em defesa dos direitos indisponíveis do povo e do interesse público, e calhamaços de leis e normas para enquadrar os improbos e delinquentes públicos. A sociedade deu demais a eles – Nego Veio – eles não se reconhecem como sendo nossos prepostos, povo em lugar do povo, eles são outra coisa, eles vivem para si próprios e falam para si e de si próprios. De vez em quando eles abrem a janela de seus gabinetes e atentam para o que acontece lá fora e no centro do Poder. Mas há exceções, poucas ainda, vai demorar para vermos o verdadeiro Parquet – a famosa Magistrstura de Pé que estudávamos nos bancos da Faculdade. É lamentável.

Comente