Uncategorized

Ricardo Oliveira será o mediador de debate no Colégio Estadual

O cientista político e professor da UFPR, Ricardo Costa de Oliveira, será o mediador do debate entre os candidatos a prefeito no Colégio Estadual do Paraná. O debate acontecerá no auditório do Colégio Estadual do Paraná, no dia 12 de setembro, das 19h às 21h. Apenas o atual prefeito e candidato à reeleição, Beto Richa, ainda não confirmou presença.

Em tempo

A direção do Grêmio do Colégio Estadual relata a surpresa dos alunos com a convocação feita aos pais para reunião extraordinária, amanhã, no mesmo local e horário do debate. Foram informados também que, em função da reunião, o evento organizado por eles deverá acontecer no Salão Nobre.
Os integrantes da diretoria do grêmio suspeitam de mais uma tentativa de boicote às atividades programadas por eles, o que tem ocorrido invariavelmente às vesperas dos eventos.

Segundo relato da Jéssica, hoje explodiram bombas em banheiros e corredores, mas isso já vem acontecendo há algum tempo. A polícia, o esquadrão anti-bombas e alguns cães circularam pelos corredores da escola nos dois últimos horários do turno da manhã.
No último dia 06/09, eles haviam planejado uma feira de profissões com várias faculdades aqui de Curitiba. Apresentaram o projeto na reunião do Conselho Escolar, com toda a programação e uso do espaço físico da escola. Na véspera, ela convocou os alunos responsáveis e disse que eles não poderiam usar o espaço aprovado anteriormente. Os alunos questionaram, insistiram, e ela disse que só concordaria se eles conseguissem 50 professores e funcionários para “acompanhar” os representantes das faculdades. Ela talvez tenha imaginado que eles não fossem conseguir, por ser véspera do feriadão. Ela estava enganada, eles cumpriram a exigência e a feira foi um sucesso.São jovens que têm bastante senso crítico e estão fazendo um trabalho bastante significativo. Apesar de não estar sendo fácil para eles, sei que a aprendizagem adquirida valerá cada sacrifício. Hoje para completar a frustração deles, receberam comunicado da Gleisi desistindo de participar do debate. Espero que outros candidatos não façam o mesmo, pois eles se empenharam demais .

18 Comentários

  1. A mediadora deveria ser a Mãe da Selva, pois em matéria de mediação ela é 10!

    10 equilibrada
    10 agradável
    10 respeitosa
    10 peitada
    10 organizada
    10 testada
    10 primida
    10 miolada
    10 temperada
    10 preparada

  2. Muito boa a iniciativa do GECEP
    ë uma pena ver o “respeito”que certos candidatos têm com relação a juventude. Adianta falar em políticas públicas para os jovens e ignorar os pedidos de debate???
    Espero que a participação dos alunos não diminua por conta de todas as dificuldades para a realizaÇão desse evento.

  3. MUITO 10
    O DEBATE TEM Q ACONTECER CADE SEU BETO RICHA ??
    NÃO VAI
    ??
    TEM MEDO DO Q ??
    C ELE NUM FOR E UMA TOTAL FALTA DE RESPEITO

  4. Estudei com muito orgulho, por 06 anos no Colégio Estadual do Paraná, nos anos 70. Era época do regime militar, a disciplina no colégio era firme mas os acordos eram sempre respeitados. Hoje, vivemos numa ditadura do Governo Federal que não respeita a Federação e numa loucura, que é o Governo Estadual, que acha que tudo pode e nada produz. Acho uma temeridade este debate, com o clima beligerante provocado pela atual Diretora, figura exemplar de um desgoverno que estamos aguentando. Se nem a Gleisi vai, desesperada que está nesta eleição, é porque sabe que os estudantes ficarão de fora e os capachos do Rei ocuparão as cadeiras. Imaginem se o Beto fosse o que o Doático e sua turma, apoiados pela Diretora, provocariam. Melhor cancelar, senão, os estudantes vão aparecer no Programado do Moreira, mostrando o seu “apoio” a ele ao PMDB da Diretora.

  5. O prefeito Beto Richa deve ir ao Colégio Estadual. Mas em momento próprio e oportuno. Não em situações conflitantes como essa que vive “lamentavelmente” o nosso Colégio Estadual.

  6. Grande GECEP!! O grêmio estudantil do Colégio Estadual está dando uma aula de democracia! Estão de parabéns! E quanto aos candidatos fujões?
    Estes são uma vergonha!

  7. O MEDIADOR É PETISTA DE CATEIRINHA E
    ISSO TA COM CARA DE ARMAÇÃO DE ULTIMA HORA…. ABRE OLHO BETO RICHA….

  8. Já bati boca com ele, durante a reeleição de Lula, na frente da reitoria. É petista de carteirinha, de bandeira na mão e tudo. Repete até as palavras-de-ordem sem errar a ordem.

    Armação pura e simples. É pra piazadinha massa-de-manobra do PT vaiar o prefeito, causar constragimento, fazer torcida organizada, gritar motes, etc. Pura masturbação, que não dá em nada numa eleição onde 70% do eleitorado já sabe em quem votar.

  9. Além de petista de carterinha dos que ficam de bandeira na mão na esquina da reirtoria, o mediador é ou foi do Gov. Requião, trabalhava com aquele do departamento de Economia que namorava a reitora da UEL – acho ele (o do dep. de econ.) era Secretário da Ciencia e Tecnologia.

    Maior cilada!!!!!!

  10. Gente, o mediador é nada mais nada menos que o autor de uma obra importante para o Paraná. Trata-se do livro “O Silêncio dos Vencedores – Genealogia, Classe Dominante e Estado do Paraná”. Tenham a curiosidade de consultar a obra e verão quem realmente manda nessas plagas. A “besta” manda há muitos anos e com essa postura dos nossos eleitores continuárá a mandar por muito tempo ainda, pois a Rede Política instalada é muito forte para ser desmanchada. Portanto, deixemos de tolices e vamos ler o autor.

  11. Marcos Strasson Responder

    nossa, a turminha do beto fujão não perde tempo. Vão ter que guentar a galera malhando o baby dol do batel..
    hahhaha
    beto fujão

  12. O fato é que o gremio do Colégio Estadual pensou apenas em “chamar” os alunos para um debate com todos os candidatos à prefeitura da cidade em que vivem.

    Inclusive estavam com dificuldades em conseguir alguém para ser o mediador.

    Se a escolha parece com uma cilada, não conheço o mediador, mas eu posso garantir que os alunos do gremio, não tiveram a menor intenção de colocar nenhum dos candidatos em situação vexatória, pelo contrário, eles foram os primeiros a criticar a palestra no colégio, sobre o voto aos 16 anos, no inicio do ano, em que participaram somente dois dos candidatos(Gleisi e Moreira).

    O colégio já perdeu muito desde a entrada da interventora Madselva, o gremio estudantil, tem sido a única resitência aos desmandos da ditadora, eles têm tentado oferecer aos estudantes um pouco de participação política, ou através de palestras, que a diretora acaba “boicotando”, e desta vez tentaram o debate, com a atuação da comunidade. Se acaso houver pessoas mal intensionadas nesta meio, tenho certeza, de que não se trata da maioria dos alunos e muito menos do alunos que participam do gremio estudantil do colégio, que até onde sei, se recusaram a participar da UPES, UJS e afilhados de politiqueiros.

  13. Fábio!
    Estou perplexo com o número alarmante de detonações de “bombas caseiras” no interior do Colégio Estadual do Paraná. Sòmente nos dias 10 e 11 deste mês foram mais de 15. Uma delas, inclusive, destruiu, por completo, um vaso sanitário. Fico a imaginar as conseqüências, se atitudes drásticas não forem tomadas. Sugiro, que a Polícia Militar tome providências antes que alguém se machuque e aí a direção da escola irá ausentar-se de quaisquer responsabilidade. Que este meu alerta sensibilize as autoridades competentes, visto tratar-se de artefatos com grande poder de destruição. Registre-se, que a direção da escola tem o dever de proteger a integridade física de alunos, professores, funcionários e demais pessoas que por lá transitam.

  14. Profª Malu Rocha Responder

    Quem mediou o debate, com grande maestria, foi o professor do Colégio Estadual do Paraná, Antônio Whitney.
    Estão de parabéns os alunos do Grêmio Estudantil, que deram uma aula de maturidade, bom senso e criticidade ao organizar o debate, ao redigir e selecionar as perguntas encaminhadas aos candidatos, ao contornar os empecilhos encontrados durante a preparação e realização do evento.

  15. Colégio Estadual Responder

    A PIOR BOMBA QUE FOI JOGADA SOBRE O COLÉGIO ESTADUAL DO PARANÁ TEM NOME: Madselva.

    TODOS SABEMOS QUEM JOGOU!

    O QUE VAI ACONTECER? NADA, MAS…

    2010 VEM AÍ!!!

  16. A todos akeles q nos chamam de “piazadinha massa de manobra”, manipulados, etc…. oq eu tenhu a fazer eh simplismente lamentar q vcs naum ponham feh na nossa juventude…. tentamos fazer um debate q fosse o mais digno possível… e agora eu posso dizer… NÓS CONSEGUIMOS!!!!

    Todos os candidatos q compareceram foram mtu bem recebidos, e o debate foi, dentro do possível, um sucesso…mesmo havendu algumas ausencias, como a do atual prefeito Beto Richa, a da candidata Gleisi e a do candidato Lauro Rodrigues.

    Naum fizemos nada com a intenção de armar cilada pra candidato nenhum… mtu pelo contrário, quisemos trazer pra dentro do colégio um debate q pudesse fazer com q alunos, pais, professores e comunidade em geral pudessem votar com uma maior consciencia, conhecendu todos os candidatos…

    E qm faiz as eleições somos nós, votando… e naum as pesquisas… a eleição soh vai estar ganha qndu 100% das urnas estiverem apuradas…. Akeles q criticaram aos montes aki, espero q tenham ido ao debate para poder comprovar o quão sério e honesto foi o evento promovido pelo GECEP.

  17. Cara Comentarista:

    Apenas para rever suas palavras “e aí a direção da escola irá ausentar-se de quaisquer responsabilidade” Eu posso concluir com sua afirmação que você faz parte ou tem grande intimidade com a direção do colégio.
    Ora, com certeza a integridade física dos alunos e funcionários do colégio deve ser mantida.

    Eu só não compreendo a necessidade desta gestão (diretora atual, Maria Madselva) em atuar sempre com auxílio de processos administrativos ou através da força policial, em questões que anteriormente eram tratadas pelas direções através simples diálogo, que é o que alguém com a função de dirigir qualquer local de trabalho domina. Em outras gestões, raras vezes em que sequer ouvi falar do afastamento de professores do colégio por “estarem contra políticas públicas”, ou a constante, mas constante mesmo, mudança de pessoas que trabalham juntamente com a direção, ou de professores que têm a dificuldade de tirar a licença (por direito) por não conseguirem professores que queiram lecionar no colégio estadual do Paraná ou mesmo em relação aos rojões que alunos soltavam, em outras gestões eram ao final do ano pelo final das aulas, mas mesmo assim os alunos responsáveis pelo ato, eram investigados pela direção auxiliar, pois havia muito diálogo entre direção e alunos, e com isso os infratores eram responsabilizados e os pais informados, bem como as autoridades responsáveis, sem sequer colocar policiais armados e com cachorros em corredores do colégio, assustando novamente os alunos e professores.

    Questões que a atuação da gestora seriam resolvidas com um mínimo de diálogo, ou seja, competência para o cargo:
     Reivindicação de alunos, como no ano passado, pela falta de clareza da diretora, na explanação das atitudes pedagógicas tomadas em relação aos alunos, gerando a união da maioria deles na reivindicação da saída da diretora;
     Manter diálogo com o quadro de funcionários (professores, funcionários administrativos e auxiliares de educação), gerando constrangimento aos funcionários, que muitas vezes são pessoas humildes e realizam seu trabalho neste local há muito tempo, aumentando os conflitos com a própria direção;
     Falta de diálogo com o grêmio estudantil (que são alunos com interesses em auxiliar a direção na responsabilidade política e educacional dos discentes do colégio), e quando ocorrem reuniões entre o grêmio e direção, as reuniões sempre ocorrem com a presença da advogada, que permanece no colégio em apoio à direção, desde que começaram os processos contra professores, intimidando os alunos do grêmio.

  18. Desculpas aos leitores.
    Ops! Erro de digitação!

    “houver pessoas mal intenCionadas nestE meio , tenho certeza, de que não se trata da maioria dos alunos e muito menos do alunos que participam do gremio estudantil do colégio”

Comente