Uncategorized

O horror nos revisita: chacina em São José dos Pinhais

A quinhentos metros de um comício político, quatro jovens foram mortos na noite de ontem em chacina no Jardim Alvorada, bairro Guatupê, em São José do Pinhais.

Morreram dois adolescentes, de 16 e de 17 anos, uma moça de 19 e um rapaz de 22 anos. Além deles, um outro jovem também foi baleado mas conseguiu sobreviver, segundo a Polícia Civil de São José dos Pinhais.

De acordo com as primeiras informações, os cinco baleados estavam todos em uma mesma casa na Rua Crepúsculo, sem número, onde moravam havia cerca de dois meses, quando um grupo armado pulou o muro dos fundos e passou a atirar. A polícia não sabe quantos eram os atiradores, nem a motivação para o crime. Nenhuma prisão foi anunciada até agora.

No dia 18 de julho deste ano, moradores do bairro fizeram um protesto pedindo mais segurança na região. Segundo eles, os assaltos e arrombamentos se tornaram comuns no bairro depois que o módulo da Polícia Militar foi retirado.

4 Comentários

  1. Para entender e busque o equilíbrio na vida. Não diminua o seu próprio valor, comparando-se com outras pessoas. Somos todos diferentes, é cada um de nós somos um ser especial. Não fixe seus objetivos com base no que os outros acham importante. Só você está na condição de escolher o que é melhor para você próprio, dê valor e respeite as coisas mais queridas ao seu coração. Apegue-se a elas com a própria vida, sem elas a vida carece de sentido. Não deixe que a vida escorra entre os dedos por viver no passado ou no futuro. Se viver um dia de cada vez, viverão todos os dias de sua vida. Não desista quando ainda é capaz de um esforço a mais. Nada termina até o momento em que se deixa de tentar, e não tema enfrente os riscos. É correndo riscos que aprendemos a ser valentes e forte,não exclua o amor de sua vida,a melhor forma de receber amor é dá-lo. Pois só com amor construiremos a felicidade e combatemos o mal. Não de atenção aquilo que é inútil a sua meta de vida, Deus conhece todas as suas intenções.Mahmud.

  2. Sou tomado de profunda melancolia ao contemplar o desempenho do Brasil nas Olimpíadas… e constatar nossa colocação no quadro de medalhas… comparar nosso país com os países que estão à nossa frente.
    Fico triste ao ver que na nossa seleção olímpica de futebol existem jogadores que ganham milhões e milhões de dólares, enquanto representantes do nosso judô choram e são humilhados por não ter dinheiro para pagar o exame de faixa preta.
    Fico irado ao ver o Galvão Bueno, nas transmissões da Globo, enaltecer delirantemente “o gênio mágico” do “fenômeno” Phelps, nadador norte-americano… e não falar no mesmo tom do nosso nadador Cielo, este sim, um fenômeno. Fenômeno porque treinou seis horas por dia nos três últimos anos, numa cidade do interior dos EUA, sustentado pelos próprios pais e pela generosidade de alguns amigos, pois não recebe um auxílio oficial.
    Fico depressivo ao contemplar na TV nossas minguadas medalhas de bronze.
    E fico pensando que, de cada mega-sena e outras loterias oficiais, o governo paga apenas 30 % do arrecado ao ganhador e propaga que os outros 70 % são destinados a isso ou aquilo, sem que a gente possa fiscalizar com nitidez essa aplicação.
    Estou por completar 66 anos. E desde pequenino tem sido assim. Lembro do Ademar Ferreira da Silva, nosso bicampeão olímpico do salto tríplice que foi competir tuberculoso!
    E jamais me sairá da mente o olhar de estupor de Diego Hipólito caindo de bunda no chão no final da sua apresentação, quando por infelicidade e questão de dois segundos deixou de subir ao pódio. E de suas lágrimas pedindo desculpas, quando ele não tem culpa de nada. Das lágrimas de outros atletas brasileiras dizendo que não deu. Pedindo desculpas aos familiares e ao povo.
    Meus Deus !
    Será que vou morrer vendo um povo que só chora e pede desculpas?
    Será que vou morrer num país que se estatela de bunda no chão, enquanto os políticos roubam descadaradamente e as CPIs não dão em nada?
    Será que vou morrer num país que se contenta com o assistencialismo e o paternalismo oficiais, um povo que vende seu voto por bolsa-família e por receber um botijão de gás de esmola por mês? Até quando, meu Deus!?

    Faça Sua Parte, Seja Bom!
    “A mais alta das torres, começa no solo” (provérbio chinês)
    Prof.James Pizarro

  3. Nem que tivéssemos um policial à nossa porta por 24 horas, pelo menos um nos acompanhando onde quer que formos, conseguiremos evitar que sejamos atingidos no que de mais querido tivermos, como os nossos filhos.
    Quem tem recursos, vai morar em condomínio fechado, onde há mercado próprio, cinema, lan-house, danceteria etc. E caso tenha de ir à escola, quem pode vai de carro blindado ou estuda pela internet, em conexão direta com a escola.
    Não vamos nunca ter a polícia de que precisamos, quanto mais a que queremos. Contudo, marginalidade gratuita, violência estúpida, tudo isso é fruto de uma sociedade doente que não impõe a seus governantes a responsabilidade pela nossa segurança mais elementar.

  4. Eu sei quem foram as pessoas que mataram
    essas pessoas só não posso falar se não me matam

Comente