Uncategorized

Donos de bares e restaurantes vão tentar derrubar a Lei seca nas eleições

Donos de bares e restaurantes do Paraná vão entrar com um mandado de segurança, na semana que vem, para tentar derrubar a decisão da Secretaria de Segurança Pública do Paraná que proíbe a venda de bebidas alcoólicas durante as 24 horas do dia 5 de outubro, dia das eleições.

Os comerciantes, representados pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrabar), acham que a proibição não faz sentido. Alguns já anunciaram que vão distribuir vale-bebidas antes da meia-noite para trocar depois. A lei proíbe a venda de bebida alcoólica no dia 5, e não o consumo, segundo interpretação de alguns donos de bares e restaurantes.

Eles citam como exemplo Santa Catarina. Lá não haverá lei seca pela segunda eleição consecutiva.

5 Comentários

  1. Em Santa Catarina e outro nivel de Governo Estadual, apesar de ser do PMDB o pessoal de la da de dez nos governantes atrasados daqui, que não se esforçam nem um pouquinho pelo beneficio de comercio, turismo, harmonia e dignidade!
    Aqui e so no cacete que nem diz o ”Maluco do Canguiri”!

  2. VIGILANTE DO PORTÃO Responder

    Convidaram só alguns dos candidatos a prefeito. Contarão com a antipatia eterna dos outros quatro…

  3. Os representantes desta ABRABAR deveriam pensar melhor,pois, eles estão sujeitos ao tratamento do rigor da Lei e esta é para todos e deve ser respeitada.
    Pois,vi um documentário que uma picada de ópio é equivalente a tomar cachaça em excesso tem o mesmo efeito, torna os seus usuários corriqueiros em dependentes,portanto, a droga tem seu nome, uma cheirada de cocaina é equivalente a umas doses a mais de uisque faz o mesmo efeito e causa dependência,a droga tem nome, tequila em altas doses faz o mesmo efeito do LSD,depende do grau de uso e sua dependência a bebida torna-se uma das drogas alcoólicas ou químicas.Não estou criticando aqueles que conseguem beber , como se diz “socialmente” ou moderadamente, consciente de seus atos,vez ou outra claro, somente não considero neste patamar quaquer outro tipo de droga…
    Outra pergunta :que diferença vai fazer se em 24h vocês não servirem bebidas alcoólicas, vendam suco, mesmo porque os bebuns de carteirinha já se estocaram de cachaça,uisque e cerva mais do que no final de ano,vocês já estão no prejuizo, é uma asneira total. Bebida alcoólica somente depois de votar,então vão beber em casa que é um pouco mais salutar,pelo menos as famílias podem controlar melhor os seus bebuns inveterados, e os bebuns que fiquem nas suas casas torrando o saco da sogra , se não tiver sogra vai encher o saco do sogro, do vizinho que não vota no BETO ou no Bobeira ou na Barbie ou no Camarguinho ou no Gomyde,etc…etc…
    Suco de “laranjas” já, abaixo aos botecos que querem vender cachaça, os donos destes estabelecimentos deveriam aproveitar este único dia de folga e vão dormir,passa tão rápido, só as bancas de fumo vão funcionar isto não está previsto pela legislação eleitoral,é outro tipo de droga ….

  4. Pô, esse Nego Veio entende mesmo do assunto. Teceu quase uma tese de doutorado em “bagulheira”. Vixe! Mais numa coisa êle está certo, quem toma vai tomar de qualquer jeito. Em casa, no butequinho “fechado”, no clube, noc churrasco amigo e por aí vai. Essa medida é antipática e não resolve nada. Falou Nego Veio. Abraços.

Comente