Uncategorized

Na contramão

O Paraná vai caminhar na contramão da racionalidade econômica.

O senador Osmar Dias chama a atenção para uma estranha situação que vivemos no Paraná. A crise mundial ruge. Não há como dissimular sua gravidade.

Ora, pois, enquanto o governo Lula encara a crise com a preocupação de desonerar a produção e as exportações de tributos e estimula o agronegócio, o governo nativo de Requião aumenta impostos sobre energia, gasolina, telefonia, ou seja, aumenta a carga tributária que onera a produção.

Vai ficando claro que o governo Requião quer fazer caixa, aumentar a arrecadação para o ano que vem, último que Requião desfrutará pleno e preparatório de sua candidatura a senador, a última cena de seu fim de ciclo.

Requião tem pressa. Desnecessária. O relator da Reforma Tributária nacional, deputado Sandro Mabel, do PP de Goiás, está finalizando o texto que será apresentado na Comissão Especial que analisa a proposta e espera que ela seja votada em plenário, até o fim do ano.

Na bancada paranaense, o deputado Eduardo Sciarra, do DEM, também trabalha pela reforma e defende a redução da carga tributária e uma simplificação da arrecadação.

“Apesar da atual turbulência econômica mundial, o País atravessa um bom momento. Hora certa para discutir formas de se reduzir impostos, deixar mais dinheiro no bolso do brasileiro para investimentos e consumo”, diz Sciarra que defende a criação de um Código de Defesa do Contribuinte.

Como se vê, neste mundo em crise, só Requião pensa em aumentar impostos e onerar a produção e a exportação, mesmo que isso signifique recessão, redução do crescimento econômico e, conseqüência inevitável, desemprego, pobreza, miséria.

Há uma chance de barrar essa pressa de Requião. É ampliar o debate sobre a reforminha do governo estadual nas audiências públicas.

6 Comentários

  1. Não tem chance nenhuma de ser rejeitado o tarifaço do REIquião. Os deputados governistas, suas vaquinhas de présipio, baixam a cabeça e enfiam o rabo na bunda para serem agradáveis ao duce. Que se danem os contribuintes e a economia do Estado, desde que eles permaneçam mamando nas tetas do governo.

  2. ESSE REQUIÃO E O ERON ARZUA SÃO DOIS ENGODOS.
    ESSE ERO É AQUELE QUE FAZ CARA DE SÉRIO MAS É UM CONHECIDO NEPOTISTA QUE ABRIGA A FILHA NA SEFA COM CARGO PÚBLICO E AINDA APRESENTOU DOIS BALANÇOS PÚBLICOS DIFERENTES DE 2007.

  3. Fábio, a verdade é uma só: o aumento está ai para o favorecimento do caixa para a campanha do requiao para 2010, principalmente quando o pessoal da receita queria tributar também o álcool e os chefes (requiao, cleonice e tezza) foram contra, beneficiando descaradamente o “homem”.

  4. ALÉM DE AUMENTAR A ARRECADAÇÃO, O PROJETO DO N DIGNISSIMO GOVERNADOR NÂO DESONERA NINGUEM…ELE DIMINUI A ALIQUOTA DOS PRODUTOS ELETRONICOS E AUMENTA O IMPOSTO SOBRE ENERGIA ELETRICA, POR EXEMPLO! ESTE GOVERNO TENTA A TEMPOS ACABAR COM A ESTRUTURA DE FISCALIZAÇÃO DA FAZENDA, COM INTENÇÕES OCULTAS. QUER CONCENTRAR A ARRECADAÇÃO DO ESTADO EM POUCOS FOCOS, ESQUECENDO-SE QUE, SE UM DELES DEIXAR DE PAGAR, OU TIVER UMA CRISE, O ESTADO TERA ENORMES PERDAS, QUE REFLETIRA PARA TODOS. NUNCA SE DEVE COLOCAR TODOS OS OVOS NUMA CESTA SÓ.

Comente