Uncategorized

Quem dá mais? Leilão do PMDB já começou.

O PMDB nacional já entrou oficialmente em leilão para as eleições de 2010. Lula vai antender vários caciques políticos do PMDB nestas eleições de segundo turno para garantir apoio ao projeto presidencial Dilma Roussef.

Lula precisa de muito tempo de televisão para Dilma em 2010. A hoje ministra da Casa Civil precisa ser conhecida do grande público, ganhar aquela inexplicável intimidade através das antenas.

Puro pragmatismo de Lula: na Bahia, por exemplo, o presidente dos 80% de aprovação não vai dar preferência ao candidato do PT, o deputado federal Walter Pinheiro, que enfrenta o peemedebista João Henrique, prefeito candidato à reeleição.

Outra: Lula gravou mensagem de apoio ao candidato do PMDB à Prefeitura do Rio de Janeiro, Eduardo Paes. Foi uma surpresa para muitos petistas. O hoje peemedebista Paes foi deputado federal do PSDB no escândalo do mensalão. Paes chamou Lula de “chefe de quadrilha” e atacou também um dos filhos do presidente.

Lula entendeu bem o que aconteceu em São Paulo. Por lá, o jogo do Leilão funcionou mal para ele. Kassab obteve o suporte do PMDB por obra do governador José Serra, o outro presidenciável do PSDB que está na dianteira na disputa tucana pela candidatura ao Palácio do Planalto em 2010.

O apoio do PMDB ajudou na virada de Kassab. Marta provavelmente deve perder as eleições. Nunca houve em São Paulo virada de última hora em segundo turno.

Lula não quer tomar esse susto com Dilma. Vai colocar o PMDB debaixo do braço antes que outro aventureiro passe.

4 Comentários

  1. Indo de Dilma esse cara vai apanhar mais do que apanhou indo de Gleisi…

    Essa Dilma é o Ó do forrobodó!!!!! Quanto mais aparecer maior vai ser a rejeição!!!!!

  2. KKKKKK.Requião loucão presidente! KKKKK.1% de novo e vergonha para os paranaenses.E a carinha dele no blog…KKKKKK

  3. O PMDB É O PARTIDO POLITICA MAIS VENDIDO. NA EPOCA DA DITADURA , NÀO ÉRA OPOSIÇAO, FOI BASE DE APOIO DO GOVERNO SARNEY, DO COLOR, DO ITAMAR, DO FERNANDO HENRIQUE, E DO LULA.

Comente