Uncategorized

No desespero, Marta apela para o preconceito

Em São paulo, Marta Suplicy (na foto, com Lula e lideranças evangélicas) está 17 pontos atrás de Gilberto Kassab. O suficiente para colocá-la à beira de um ataque de nervos e apelar para o preconceito. Estreou o horário eleitoral do segundo turno com insinuações sobre a vida pessoal do adversário.

Kassab é solteiro. Marta insinua. Diz que a população tem o direito de saber se ele é casado e tem filhos. Logo a Marta, sexóloga, primeira mulher a tratar do assunto abertamente na TV e sempre avessa à esse tipo de questionamento.

17 Comentários

  1. Legal é ela que abandonou o marido e logo depois aparece com o coordenador de campanha, que estava com ela diariamente na fracassada eleição de 2002.

  2. Marta tem duas caras. Ao mesmo tempo defende a união homossexual,discrima quem é solteiro insinuando que é homossexual. Não entendi. Será o desispero das pesquisas e para ganhar eleição vale tudo.Ela se coloca na posição de bem casada e quem a conhece nos bastidores sabe a mãe e mulher que ela é.

  3. luis carlos (break) Responder

    os Paulistanos que votarem na Marta vão novamente esperimentar o gosto amargo de ser administrados pelo PT

  4. luis carlos (break) Responder

    é só o Paulistano relachar que ela vai gozar da cara deles se for eleita. hahahahahaha

  5. bem isso Luis Carlos hehehehe, é um jogo muito sujo mesmo, é uma contradição sem tamanho…Espero que o paulistano não coloque o PT no governo municipal…

  6. Ela é a quinta ou sexta mulher do argentino Luis Favre… vai saber o que passa pela cabeça de uma mulher dessas!!! O que eu gostaria de saber é qual a fonte de renda do argentino supracitado…??????????

    No mais, ela vai ter a resposta nas urnas, provavelmente, no mesmo índice da outra – a Gleisi.

  7. Pede a opnião da Gleise, pra ver quem tem razão !!
    Por falar …… CADE A GLEISI cigana ??

  8. A Marta Botox botou um par de chifres no Sen. Eduardo Suplicy, largou um casamento de 30 anos, 3 filhos, netos, e foi viver com um argentino chefe da campanha petista e vem querer dar uma de moralista, ela que relaxe e goze da cara de outras pessoas não dos eleitores paulistanos, que vão mandá-la de volta a Brasília para continuar no seu Turismo Bitolado! Kassab é trabalhador, honesto e de palavra, não a agressões baratas de candidatas desesperadas e desiquilibradas!

  9. Acho hipocrisia criticar esse modo de agir da Marta, ou de qualquer outro. Esse é o “modus agendi” da política. Política sempre foi sarjeta e lama, seja em qualquer lugar do planeta. Mesmo nos EUA acontece o mesmo. A imprensa também adora essas coisas. Vive escarafunchando a vida de políticos para encontrar um podre… é a ética política reinante. Como dizia o ´presidente Harry Truman: “quem não agüenta o calor, que saia da cozinha”… tenho dito…

  10. NA VERDADE PARECE QUE NEM O LULA DESEJA MARTA COMO COMPANHEIRA.
    Os tempos são outros e Marta já teve a sua chance de mostrar suas capacidades e suas limitações. O PT de São Paulo depois do valerioduto deveria estar em outro cenário.
    Falta-lhe sustentação dos valores que defendia e prometia nos tempos em que aparentava ser a esperança. Em nível nacional, salvou-se Lula, longe do Dirceu e de outros bem conhecidos.

    No Paraná, a exemplo de algumas instituições corporativas de trabalhadores, o PT sofre de uma anomalia de origem.
    José Richa, há trinta anos chamou o pessoal mais à esquerda das pastorais e deu-lhes espaços no governo. Ali começou o PT funcionário paranaense. Ideológico exagerado, em princípio, mas as cabeças sob comando.
    Episódio similar repetiu-se com Requião na Prefeitura.
    Assim, formou-se a cultura hoje conhecida.
    Partido com desempenho político a conferir e administrativo sem eficácia, notadamente funcionário, com ênfase nas áreas do trabalho e da agricultura. É só fazer um retrospecto dos resultados das gestões nestas áreas. A mais recente, do Secretário Padre Roque, candidato à vereador em Ponta Grossa.
    Hoje o PT tem objetivos duvidosos no Paraná, até como auxiliar em coligações.

  11. Não sou de São Paulo, embora acompanhe o panorama político de lá, assim como de todo o Brasil. Por isso mesmo, também não sei qual é o entrave da vida pessoal do Kassab que interessa tanto à Martaxa explorar. Se for pedófilo, investigação e cadeia. Se for assaltante ou ladrão, mesma coisa. Se for corrupto, mesmo processo. Ah! e se for homossexual? Qual é o problema da Martaxa? Afinal, não era ela, em programas de TV, a defender a classe? Não foi ela como parlamentar a iniciar projetos contra a homofobia? Ela acredita naquilo que fez, ou não? Por outro lado, vamos ao lado pessoal dela própria: aquilo do argentino entrou no aquilo dela antes de ela estar separada do respeitável Senador Eduardo Suplicy? Se foi antes, imoral é ela, situando-se no mesmo nível da sua linha de debate!

  12. Aliás, em continuação ao comentário anterior, nada com um dia depois do outro. Foi só o LULLA, num dia, falar que a Marta é objeto de preconceito que, no outro, ela própria preconceitua.

  13. Atentem para o absurdo: ela discrimina o Kassab sem descer a detalhes. Lança sementes de dúvidas na cabeça do eleitor e tira de lado o feio corpo embotoxado e pretende que O POVO assuma a neura dela.
    Coloca veladamente a sexualidade do prefeito em dúvida e aí perguntamos: ela não é sexóloga? sob que código de ética ela está agindo desta forma?
    Vocês deixariam suas filhas e seus filhos ser consultados por essa senhora?
    Lançando essas dúvidas sobre a sexualidade do atual prefeito de São Paulo, ela está não só transgredindo o código de ética de sua profissão original, como também discriminando os homossexuais ou travestis, sei lá, esperando que O POVO de São Paulo assuma para si a tarefa de discriminar o homem.
    Isso é tática rasteira, das mais ordinárias, que não se conceberia numa profissional que subsistia das práticas sexuais das outras pessoas.
    Repugnante…

  14. UMA MULHER QUE CRIA CARGO PARA EMPREGAR O MARIDO NÃO MERECE NOSSO VOTO NEM NOSSA CONFIANÇA.

    É VERGONHOSA A INSINUAÇÃO HOMOFÓBICA DA CAMPANHA DE MARTA SUPLICY.

    QUEM DIRIA HEM…PARA GANHAR A ELEIÇÃO O PT ESQUECE ATÉ DA DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS !!!

    O argentino Wermus (nome real de Luís Favre), marido de Marta Suplicy, ganhou emprego com Duda Mendonça porque não pôde assumir a subchefia de Assuntos Federativos da Casa Civil, para a qual fora nomeado no governo LULA. Ele não tinha a qualificação mínima exigida: curso superior.

    MARTA CRIOU CARGO PARA NOMEAR MARIDO.

    Além de casar com a então prefeita Marta Suplicy, o argentino Luis Favre passou a embolsar ótimo salário como seu “assessor internacional”. Ela mudou a lei para permitir a contratação de estrangeiros – ou seja, ele. O que não mudou foi a imunidade de estrangeiros em processos civis por improbidade administrativa, por exemplo.

    Rafaella Biscontly, professora de história.

  15. Acho incrível que a Marta ainda tenha eleitores. Quem pode esquecer o memorável deboche com a crise nos aeroportos? Insinuar sobre a conduta sexual dos outros, com a falta de conduta que ela mostrou na separação é o fim da picada.

  16. Nossa, não sabia que as eleições da capital paulistana interessavam tanto aos curitibanos.
    Será que é porque vocês queriam ser paulistanos e não podem? *risos

  17. Afinal o post mais comentado é este.
    hahahahahahahahahahahaha
    Vontade do curitibano em ser paulistano, não?
    hahahahahahahahahahahaha

Comente