Uncategorized

“Novas apreensões devem acontecer”, diz Francischini

O secretário municipal da Antidrogas, Fernando Francischini, disse hoje que novas apreensões de medicamentos de uso controlado devem acontecer nos próximos dias no Paraná em Santa Catarina.

Hoje, a Polícia Federal prendeu em flagrante José Dejair de Matos por tráfico de entorpecentes. Ele estava com um carregamento de 46 mil comprimidos de tarja preta — vendidos apenas sob prescrição médica. A carga, vinda de Curitiba, foi interceptada pela polícia em Tubarão, Santa Catarina.

De acordo com Francischini, Matos pedia os medicamentos usando o nome da Fundação Municipal de Saúde de Laguna. “Ele tinha facilidade para fazer os pedidos de medicamentos porque já foi distribuidor. O rapaz usava o órgão de Laguna para fazer os pedidos, mas retirava em Tubarão”, disse.

7 Comentários

  1. Não estou entendendo. a secretaria municipal anti drogas não esta em usurpação de função, por que pelo o que eu entendo a função dela e outra, pelo o que entendi no seu lançamento ela iria fazer um trabalho educacional, dentre outros programas sociais . Não seria melhor o delegado voltar então para a polícia federal e sim lá ele poderia fazer o que esta fazendo aqui. Eu achei que a secretaria anti drogas teria em sua equipe psicólogos. educadores etc, mas pelo visto visto ele tem uma equipe de policiais fazendo isso. Ultima pergunta os guardas municipais que estão lá podem fazer prisão e operações??????Seria uma boa pergunta ao ministério público em………………

  2. Na afázama da campanha eleitoral, adversários do Beto Richa criticaram o prefeito pela criação da secretária Anti Drogas e ter convidado um delegado de elite da PF, o Fernando Francischini.
    Trabalho a médio e longo prazo que já está apresentando resultados no combate ao crime organizado.
    Segurança Pública, responsabilidade constitucional do Estado tem como grande aliada a prefeitura de Curitiba.
    Administrar para o povo, é isso ai…

  3. Na azáfama da campanha eleitoral, Beto Richa chegou a ser criticado por criar a secretaria Antidrogas e trazer um dos mais conceituados delegados da tropa de elite da PF, Fernando Francischini.
    Certo que segurança pública é responsabilidade constitucional do Estado, porém, Curitiba não poderia ficar alheia e está sendo a grande parceira. Resultados no combate ao crime organizado estão aparecendo.
    Além do serviço operacional em campo, a secretaria dispõe de orientadores, psicólogos, educadores e trabalho intenso junto às cianças da rede municipal e estadual de ensino, num trabalho de esclarecimento sobre drogas.
    Carlos Andrade, em flagrante delito qualquer cidadão pode dar voz de prisão, salvo melhor juizo.

  4. Se o trabalho do Charles Bronson realmente funcionasse o consumo diminuiria. O que vemos são apenas ações de apreensão – mas nada que indique que o consumo é menor. Aliás, estas apreensões apenas comprovam o fracasso da secretaria, pois fica claro que a demanda por drogas é grande na cidade.

  5. O Francischini é secretário municipal ou continua como delegado da polícia federal? Ele fez algo no caso, com desvio de função, ou apenas está usando informação privilegiada para fazer oba-oba político? Pode ter sido um excelente agente da PF, mas como secretário vive de factóides.

  6. ô, Alexandre,
    Acorda, a campanha terminou…
    desvio de função, factoides,
    oba-oba político…
    Cara, nem fatos como esse vc reconhece?
    Ou você quer que o tráfico de drogas e o crime organizado fique totalmente liberado? tem interesse nisso?

  7. Nagib, tá na hora do almoço. Aí perto da prefeitura tem vários restaurantes bons, chame o Déo e vão se refestelar.

Comente