Uncategorized

Rusch pede à Copel que suste recadastramento de produtores rurais

O deputado Elio Rusch apresentou requerimento hoje para que à Copel suspenda o recadastramento dos produtores rurais paranaenses como condição para que continuem isentos de tributação na fatura de energia elétrica.

A Copel enviou correspondência a 146 mil agricultores concedendo prazo de 17 dias (de 11 a 27 de outubro) para atualizarem o cadastro. Deve chegar a 350 mil o número de produtores que recebem o benefício.


Rusch pede uma reavaliação do processo e mudanças no critério de triagem das propriedades de lazer. “Se há alguma dúvida quando à atividade agrícola, é preciso encontrar outro caminho para apurar, que não seja oneroso ao trabalhador rural. Os agricultores cadastrados na Copel são também registrados na Prefeitura e na Secretaria da Agricultura. Podem cruzar os dados”, disse o deputado, sugerindo ainda que em caso de desconfiança, sem generalizar, “o próprio funcionário da Copel, quando faz a leitura do relógio na propriedade, poderia informar à Copel”.

O comunicado da companhia provocou revolta na classe produtora por causa do curto prazo dado e também porque o processo de recadastramento exige uma série de documentos e um laudo técnico.

Em caso de perderem o benefício pelo não recadastramento os agricultores passarão a pagar 70% a mais pela energia.

2 Comentários

  1. Luís Adolfo Kutax Responder

    Sabe-se que existem muitos que usam o beneficio e não são produtores rurais. Temos municipios com funcionarios publicos, vereadores e muitos outros com beneficios, favorecidos por documentos emitidos pelo setor de agricultura que não representam a verdade dos fatos.
    A COPEL devia auditar e perceberá tal situação.
    O RECADASTRAMENTO É BOM PARA OS HONESTOS!

  2. Laércio L de Araujo Responder

    Parece-me que há muita discussão sobre informações equivocadas. Os produtores não estão sendo onerados pelo cadastramento, e o prazo que a COPEL deu para o recadastramento se faz também, porque o produtor e o morador da área rural paga 6 vezes menos que o consumidor urbano por kilowatt/hora e este benefício é dado pelo Governo Federal que está exigindo com razão, que se proceda ao recadastramento até junho de 2009. É importante que se busque informação e não cair em demandas sensacionalistas de entidades que buscam legitimidade sem saber do que se trata. Improcedente toda a discussão!

Comente