Uncategorized

PT não decidiu voto da bancada sobre reforma tributária

Os deputados estaduais do PT se reuniram com a executiva estadual do partido para discutir o projeto de reforma tributária proposto por Requião. Compareceram também o coordenador do Dieese, Cid Cordeiro, e a chefe de assuntos econômicos da Secretaria de Estado da Fazenda, Gedalva Baratto para analisarem a proposta do governo.

A bancada petista ainda não definiu posição sobre a matéria a ser votada, mas pretende encaminhar pedidos de informação à liderança do governo na Casa. “A energia elétrica, por exemplo, é um dos itens que merece atenção, uma vez que tem impacto direto na renda das famílias”, disse a presidente do PT-PR, Gleisi Hoffmann.

O PT tenta se recuperar depois da votação pífia que recebeu nas últimas eleições. E não é só o diretório municipal que ficou mal visto. A bancada petista na Assembléia também vê sua imagem desmoronar, depois de ter votado para que Maurício Requião fosse indicado ao cargo de conselheiro do Tribunal de Contas.

7 Comentários

  1. Se a discussão da reforma for com a Gleisi e o tal do Cid, a Gedalva da SEFA pode se preparar que só vem besteira desses dois. Eles não entendem nada dessa disciplina.

  2. Discutir sempre é bom.Ainda mais quando se fala em aumentar impostos. Sobre a eleição pífia da Gleisi, é só uma pálida ideia do que vai acontecer com o maridão Paulo Bernardo, que não tem outra saída do que sair de Vice.Afinal, vice não precisa de votos.Basta se pendurar num candidato que seja eleito e pronto. Então lá vamos nós, petistas de coração, autênticos, daqueles bons tempos em que o PT era Partido dos Trabalhadores, sermos preparados para fazer campanha para o “Companheiro Osmar” ou para seu irmão….depende de que imbróglio o Requião, que é quem decide as alianças estratégicas para o PT do Paraná estiver preparando para nós…Que não somos mais necessários aliás, nem para empunhar bandeiras, porque essas as empresas especializadas e terceirizadas , que trabalharam tanto para o Beto como para a Gleisi e o Fabio Camargo e o Moreira, tem bastante…Meu Deus…aonde foi parar o PT do Paraná…Vice do Osmar, que perseguiu de maneira fascista o Claus Germer e seuscompanheiros como o Samek, que é o autentico representante do coronelismo moderno, a esperança da direita paranaense…

    Meus Deus!

  3. Estava lendo voces aqui e achei esse artigo do estadão que mostra como a brincadeira de e expor a Glesi sópara fazer a campanha dela antecipada para deputada estadual vai custar muito caro ao PT em 2010. As votações de prefeito foram as ultimas majoritárias e com certeza vão contar muito na hora da eleição de presidente…Mas, infelizmente, o PT doPR já não tem força interna para resistir à pressão dos cargos distribuidos pelo Paulo Bernardo e à ditadura de veludo do discreto charme da pequena-burguesia do Novo Batel..

    http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20081028/not_imp267955,0.php

    Leia e veja a irresponsabilidade desse pessoal com o PT e com a eleição de 2010…

  4. Esse PT é completamente sem preparo prá discutir qustões tributárias ou qualquer outra matéria de gestão pública. Só levam invertida. Só dão “bola fora”. como diz um amigo meu: Esse PT do Paraná prá ficar ruim tem que melhorar.

    Vão estudar e aproveitem ponham o Paulo Bernardo prá fazer um Curso Superior. Teoria é importante para dar conteúdo no raciocínio. E a Gleisi deveria fazer a prova da OAB. Coragem Greisi!

  5. O PT do Paraná com a Gleisi e Cid Moreira discutindo reforma tributária é o FIM DOS TEMPOS, como dizia minha avó.
    Nós Paranaenses não merecemos mais essa.

  6. Vigilante do Portão Responder

    O certo é que os aumentos das alíquotas da energia, combustíveis e telefonia, vai acarretar em reajuste nos produtos e serviços, enquanto a redução dos preços dos produtos que terão diminuidas as alíquotas, como alimentos e roupas, dependerá da vontade dos comerciantes.
    É o tal “certo pelo duvidoso”

  7. alberto roncador Responder

    Nunca fui muito fã da bancada petista na assembléia. Mas devo admitir que o Dep. Sticca faz falta. Esse pelo menos tinha opinião e as defendia.

Comente