Uncategorized

Começam amanhã as audiências sobre a reforma tributária

A oposição na Assembléia já teve pelo menos uma vitória em relação à reforma tributária de Requião. Antes de os deputados aprovarem qualquer coisa, serão feitas audiências públicas nas maiores cidades do estado. Amanhã acontecem as primeiras, em Cascavel e Foz do Iguaçu. Os encontros acontecerão na sede das Associações Comerciais e Industriais dos municípios, às 10h e às 18h.

3 Comentários

  1. Geraldo Medeiros Responder

    Se tudo correr como a vigente ( i )lógica paranaense determina, tudo isso é conversa para boi do Canguirí dormir.

    Passa a reforma, aumenta a carga tributária do Paraná em plena fase de desaceleração da economia, novos investimentos vão para outras plagas mais amistosas, investimentos já previstos são postergados, enfim, cai o nível da atividade econômica.

    Dependendo da “dose”, é até possível que a arrecadação nem cresça, pois caem o faturamento das empresas e a renda dos trabalhadores.

    Aí, vêm os sábios da Carta de Puebla dizer: “Está tudo como prevíamos” .

    Ainda bem que o tempo passa mais rápido nesse século. Abril de 2010 chega logo!

  2. Certo – Geraldo Medeiros.
    Mas, queremos saber quando os deputados vão se preocupar com o passivo milionário das ações judiciais perdidas do ou contra o Estado a respeito do pedágio – aquele que de “baixa ou acaba” transformou-se em “fica, aumenta e inclui o passivo”. Levantamento do Jornal do Estado, de ano atrás, dá conta que “as concessionárias calculam em R$ 170 milhões o montante que pretendem cobrar na Justiça por conta dos prejuízos materiais causados por invasões e depredações das praças de cobrança, os dias em que as cancelas foram mantidas abertas por manifestantes, desequilíbrios contratuais que não foram revistos pelo governo do Estado e os dias que as empresas deixaram de aplicar os reajustes tarifários por falta de autorização do Estado.” (coluna “Na ponta do lápis” de 07/10/07) Este rombo vai ser pago pelo povo, com ou sem a dita “reforma tributária” que, todo mundo sabe, não passa de favorecimento ao poder econômico e caixa do governo para a proxima campanha eleitoral. E o passivo judicial gente ? Non olet, deputados ?

  3. Passivo judicial foi a única coisa que o Requião fez!!!

    Agora se os deputados aprovarem esta reforma neste momento crítico pelo qual passamos será o fim da picada… !!! Espero que usem o bom senso!!!

Comente