Uncategorized

Pacote de impostos de Requião entra em debate público

Requião continua em viagem pelo oriente, enquanto aqui seus fiéis escudeiros no parlamento preparam o aumento de impostos para salvar o caixa que já estava apertado antes da crise, imaginem agora. As audiências públicas para discutir o pacote tributário proposto pelo governo Requião começam hoje na região Oeste. Os deputados estarão em Cascavel e Foz do Iguaçu para debater com empresários, industriais e representantes de entidades.

O pacote prevê aumento das alíquotas do ICMS para ernergia elétrica, gasolina, telefonia e outros itens. O governo diz que compensará essa alta de impostos com a redução de alíquotas para bens de consumo de primeira necessidade.


Segundo o Governo não haverá aumento da carga tributária. Mas não consegue convencer os deputados da oposição que estão apreensivos. A única certeza é que haverá aumento de impostos, o que pode sinalizar a pretensão do governo de aumentar a arrecadação.

Sobtram dúvidas se haverá redução. “Temos que avaliar criteriosamente todos os pontos desta proposta. São produtos essenciais que sofrerão aumento e o consumidor não pode arcar com mais essas despesas, sem que haja uma compensação real”, afirmou o líder da oposição, deputado Élio Rusch (DEM), alertando para a possibilidade da redução da alíquota em alguns produtos não chegar ao consumidor.

5 Comentários

  1. Com Requião não tem redução, tem aumento – nepotismo, comissionados, caixa para campanha disfarçada em reforma tributária, mais turismo acidental em comitiva a Dubai, Japão e Paris, etc.
    Mas, queremos saber quando os deputados vão se preocupar com o passivo milionário das ações judiciais perdidas do ou contra o Estado a respeito do pedágio – aquele que de “baixa ou acaba” transformou-se em “fica, aumenta e inclui o passivo”. Levantamento do Jornal do Estado, de ano atrás, dá conta que “as concessionárias calculam em R$ 170 milhões o montante que pretendem cobrar na Justiça por conta dos prejuízos materiais causados por invasões e depredações das praças de cobrança, os dias em que as cancelas foram mantidas abertas por manifestantes, desequilíbrios contratuais que não foram revistos pelo governo do Estado e os dias que as empresas deixaram de aplicar os reajustes tarifários por falta de autorização do Estado.” (coluna “Na ponta do lápis” de 07/10/07) Este rombo vai ser pago pelo povo, com ou sem a dita “reforma tributária” que, todo mundo sabe, não passa de favorecimento ao poder econômico e caixa do governo para a proxima campanha eleitoral. E o passivo judicial gente ? Non olet, deputados ?

  2. Bem, afinal, alguém tem que pagar a conta da jacuzada que foi para Dubai, hosperdar-se no Burj-al-Arab, e passear de camelo nas dunas… programa de jecas deslumbrados, cangaceiros pagos com dinheiro do contribuinte…

  3. Quero de volta o tempo em que essas decisões “importantes” eram tomadas aos 45 do segundo tempo na Alep, sem aviso, na calada da noite, pelo menos não se criava essa confusão, ninguém sabia de nada.

    Vale lembrar do aumento dos pedágios, leilão da Copel e da destruição do Banestado, todas votadas secretamente depois das 22h, na véspera de natal, que saudade!!

  4. Acabam as eleições municipais, os nenúfares e corifeus da política porca nacional botam as manguinhas de fora.
    O energúmeno que ocupa a presidência da república, por exemplo, assinou a MP 444 doando ao Haiti, Jamaica, Cuba e Honduras 45 mil toneladas de arroz, 2 mil toneladas de leite em pó e 500 kg de sementes. E ainda levou US$ 350 milhões para os cubanos.
    Se isto aqui fosse um país sério, ele estaria sendo embarcado para o exílio em avião de carreira, com toda a sua quadrilha.

  5. Vergonha!! Vergonha da nossa “classe média”!!! Na Argentina o panelaço já tinha colocado este cidadão, que não se elege mais nem pra síndico de prédio no Estado do Paraná, e o cidadão que se diz presidente do Brasil, mas pra mim não é, no olho da rua!! Eles são “funcionários” públicos!! E quem determina se ficam ou não é a gente!! Mas parece que tá bom assim!! Que venham mais impostos, a sociedade enlutada agradece!!!

Comente