Uncategorized

PT do Paraná agora quer distância do PMDB de Requião

Um raio de lucidez baixou sobre o PT nativo. Tarde demais para as eleições deste ano e talvez ainda em tempo para as próximas, os petistas descobriram que a origem de todos os seus males é a aliança com o PMDB de Requião. A matéria publicada no Paraná Online, de Elizabete Castro e Joyce Carvalho mostram esse quadro revelado na reunião da direção estadual do partido.

Algumas das lideranças da ala que comanda o PT do Paraná emitiram ontem, 31, em Curitiba, os primeiros sinais de que ensaiam um afastamento do PMDB do governador Roberto Requião, no Paraná, na sucessão estadual de 2010.

Sob a liderança do ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, os participantes do encontro com os prefeitos e vereadores eleitos do partido em Curitiba defenderam não apenas o lançamento de candidatura própria do PT ao governo, mas cogitaram a construção de aliança com o PDT do senador Osmar Dias, que já é pré-candidato ao governo do Estado em 2010.

Além de Bernardo, a presidente estadual do partido, Gleisi Hoffmann, o secretário do Planejamento, Ênio Verri, e o deputado federal André Vargas se posicionaram a favor da construção de um palanque forte para a candidatura presidencial do PT em 2010.


Verri, um dos representantes do partido no governo Requião, insistiu na tese de que a posição do partido deve se pautar, primeiro, pela construção de um nome para disputar o governo, mas que seja uma alternativa interna e sólida.

Para Verri, o PT precisa de um nome para somente depois negociar as alianças. Sem nome, o partido começaria as discussões numa situação de vulnerabilidade, afirmou.

Na semana passada, o ministro do Planejamento cogitou a possibilidade de apoio do PT à candidatura de Osmar. Ontem, a composição com o senador foi abordada em outra perspectiva. A de um aliado do governo Lula com quem o PT não pode deixar de conversar, mas sem promessas de apoio antecipado.

Bernardo, entretanto, insistiu que entre uma composição com Osmar e a continuidade da aliança com o PMDB, a primeira opção serviria mais aos interesses do PT, embora os dois partidos sejam integrantes da coalizão do governo Lula.

Durante sua exposição no encontro, o ministro deu alguns cutucões no governador Roberto Requião (PMDB). Disse que Requião agrega inimigos, ao comentar uma observação do deputado federal Dr. Rosinha, que atribuiu às dificuldades do governador com alguns setores da sociedade o seu relacionamento conflituoso com os meios de comunicação.

Bernardo sugeriu que, em 2010, o PMDB pode se ver novamente na mesma situação da eleição à prefeitura de Curitiba, este ano. Ou seja, que o vice-governador Orlando Pessuti, cotado para ser o candidato do partido ao governo, teria a mesma sina de Carlos Augusto Moreira Junior.

Lançado candidato com apoio do governador, Moreira foi abandonado pelo partido. Bernardo citou que o único apoio público do PMDB a Moreira foi dado pelo presidente municipal do partido, Doático Santos.

Já na entrevista que concedeu antes de participar de um encontro no Instituto de Engenharia do Paraná, em Curitiba, Bernardo foi mais comedido. “O PT vai ter um candidato ou uma candidata à Presidência da República. Não sei se será a ministra Dilma Rousseff (da Casa Civil) ou não. No Estado, vamos trabalhar subordinados às necessidades da nossa candidatura presidencial. O que a gente tem percebido é que a maioria do partido gostaria de um candidato ou uma candidata a governador. A tendência hoje seria uma candidatura própria. Mas não podemos olhar apenas uma alternativa”, comentou.

O ministro defendeu ainda que as negociações sobre aliança ou uma candidatura própria devem ser precedidos de uma discussão sobre um projeto para o Estado. “Não adianta falar que quer ganhar o governo do Estado. Mas para quê? Só para ter gente no governo? Temos sim que ter um projeto, o que vamos propor para o agronegócio, para a indústria, o comércio e o empresariado de maneira geral. O que temos de propostas para resolver os problemas de infra-estrutura, porque estão passando vários anos e essa discussão está ficando sem solução”, disse o ministro.

13 Comentários

  1. Quero ver a petezada deixar as tetas que tem no governo do requiao, pq do jeito que sao “eticos” vao querer continuar no governo e apoiar um candidato de oposicao posteriormente.

  2. Perguntar não ofende, essa lucidez do PT deve-se a razão dos fatos ou a ingestão de proteínas ?

  3. Se o Osmar se unir aos PeTistas vai pro fundo junto com eles!!! Será uma pena… ao que tudo indica ser Governador não está no destino dele… 1º foi aquele vice pepista, agora esta…???!!!

  4. A única forma de o PT se restabelecer como partido respeitável e ético é patrocinar uma frente de retirada do Requião e seus nepotes do governo do Paraná.

  5. O PT mudou tanto assim ou quem mudou e pra melhor, foi o Sr. Osmar Dias de triste memória, enquanto secretário de Estado dos governos Alvaro Dias e Requião, especialmente no trato com seus antogonistas e servidores públicos ? E como representante do grande capital da agropecuária, dentre êles o povo da UDR , FAEP, …?

    Com a palavra o “novo” PT do Paraná …

  6. O erro do PT não foi o Requião, foi de vocês do acerto, quererem o poder + poder …..

  7. PT = partido de oportunistas. A hora que tá entrando água, abandonam o barco.
    Partido dos Tranqueiras.

  8. isso mesmo o PT que deixe nosso Pmdb sozinho pelo menos ninguém pode jogar culpa em ninguém pele derrota alias alinça partidaria devia ser acabada cada um com seu partido e trabalhando pra se estabelecer

  9. Que PB está em campanha todo mundo sabe mas dar guarida ao partido mais corrupto do país, aí já é demais. Não sei o que é pior o PMDB do requião ou o PT do paulo bernardo.

  10. SYLVIO SEBASTAINI Responder

    O Comando do PT do Paraná, somente agora, depois do segundo mandato (6 anos], participando e apoiando o Governo Requião,descobriu quem é Requião e quer se afastar? Já é muito tarde, já estão embrulhados , errolados e derrubados com ele.Vejam o que resta ao PT do Paraná: “serem despejados após serem usados”. O estilo de política do Requião é diferente do normal.Deixo aqui registrado um exemplo interessante, para comprovação. No ano de 1999, ele Senador da Republica, em discurso da tribuna do Senado disse que o então deputado federal Onaireves Moura foi quem introduziu o bingo no Paraná.Disse “que demonstrou com clareza o envolvimento de uma quadrilçha comandada pelo Ministro Rafael Greca na liberação de bingos no País”.Disse:”O Ministro perdeu o eixo e mentiu……..ao Senado Federal”(o Presidente do Senado mandou retirar a expressão imprópria).Atacou o então Ministro da Previdência Reinhold Stephanes, que:”se aposentou com 46 anos de idade, valendo-se de legislação especial e irregular da Prefeitura de Curitiba. quinze dias antes de eu (ele) assumir a Prefeitura”.Chamou o ele de “matemágica” e do “bingão da fisiologia”.Disse que ele corrompeu a Bancada do Estado no Congresso Nacional!.” A Direção do PT do Paraná sabe o que aconteceu depois? Todos os três foram convidados e ingressaram no PMDB de Roberto Requião, agora são “Velhos Correligionários”. O que vai acontecer ao PT do Paraná? Não sei, só esperar para ver o PT e o Lula a partir de 2009!

Comente