Uncategorized

Em represália, Requião suspende licença de empresas no Porto

Em represália à decisão da Justiça Federal em Paranaguá que suspendeu o funcionamento do Terminal Público de Álcool, Requião decidiu suspender a licença de cinco empresas do setor.

São terminais que lidam com cargas perigosas no Porto de Paranaguá. Todos tiveram suas licenças ambientais suspensas hoje pelo Instituto Ambiental do Paraná. Com isso, o Terminal Público de Álcool, a Transpetro (que pertence à Petrobras), a Fospar, a Cattalini e a União Vopak terão de esvaziar seus tanques e ficarão sem autorização para funcionar.

Ontem, durante a escola de governo, Requião foi claro. “Se o IAP não pode liberar o terminal de álcool, então ninguém embarca mais”, disse. A decisão da Justiça aponta falhas no licenciamento do IAP e indica que o processo deve ser conduzido pelo Ibama.

14 Comentários

  1. Mais passivos judiciais para o povo pagar com a suspenção das licenças. Licenças não se suspendem por motivos biliosos ou belicosos. A licença, desde que regular, assegura um direito subjetivo de operar a atividade. Como também, licença dada irregularmente, demanda apuração criminal da autoridade ambiental. O governador apagar fogo com fogo, mas quem vai sair queimado é o povo que vai ter que pagar a conta. Mais passivo. Vamos tolerar ?

  2. Se tivéssemos um MP e uma Assembléia ativos e independentes este senhor já teria sido cassado e caçado pelos professores e policiais

  3. É nosso Duce dormiu com o bumbum descoberto e levantou envaretado. Também deve ter esquecido de tomar o Gardenal. Quando as coisas não saem como ele quer é assim. Todos tem que se sujeitar aos caprichosos do Professor de Deus, mas a justica assim como qualquer mortal o Duce também tem que obedecer. Ou não ???

  4. se é tão correto asssim , pq não briga e abre as cancelas do pedágio ??
    como prometeu e enganou o povo, há 6 anos ???

  5. deu a louca na maria! é pra isso que serve o IAP: arranjar chifre em cabeça de cavalo e ferrar com os desafetos de maria. já desmatar pode, construir shopping em nascente de rio pode etc. e ninguém faz nada – muito menos o MP

  6. Essa é a melhor definição de “porto público”. ficar a merçe da vontade de um desqualificado como esse governador. Esse cara vai acabar com o estado, so não vê quem não quer…..

  7. Almirante Nelson Responder

    Melhor fecharem o porto de uma vez por todas. Está todo fuzilado mesmo. Não é dragado. Não tem licença. Não tem modernização. Não atende ao ISPS code para valer. Não tem Superintendente de verdade, somente um boneco do Dudu.

  8. Pau que dá em Chico,não dá em Francisco?
    Pq o para o terminal público de alcool a licença do IAP não vale e para os outros vale?

    Realmente,como diria Mário Quintana: ” Cada um pensa como pode…”

    É como a carta postada no caso dos impostos, fazem oposição a qualquer preço.
    Já não basta a incompetência,ainda aparecem as pessoas que para prejudicar o Requião,prejudicam o estado do Paraná.
    Exemplo disso: Valdir Rossoni!
    Aquela ação contra a dragagem do porto,vai prejudicar muito mais o estado do que o Requião.
    É como o português que de dentro do navio afundando,dá gargalhadas por achar que o azar é do dono do navio. Só que ele se esquece que está embarcado e irá afundar junto.
    Essa teoria, de quanto pior ,melhor, me corrói.

    Já que citei o Quintana,vai outro que deve ser o norte do governador:
    “Estes que aí estão,atravancando o meu caminho.
    Eles passarão,eu passarinho!”

  9. A irresponsabilidade que vemos hoje no comando do Estado se refletirá no nosso bolso mais adiante. O Estado do Paraná precisará de muitos anos para reparar o estrago. Será que estes senhores que se dizem de esquerda, que defendem os trabalhadores e participam da base de apoio dessa loucura chamada governo Reiquião, não são sensíveis aos protestos que se avolumam por todos os setores da população desse Estado? Espero que em 2010 o povo desse Estado finalmente acorde do pesadelo e vote com mais responsabilidade.

Comente