Uncategorized

Segunda-feira violenta teve um assassinato a cada 3 horas em Curitiba e região

violencia-cutiba
João Varella da Gazeta do Povo

O Instituto Médico Legal (IML) registrou oito mortes violentas na segunda-feira (8) em Curitiba e região metropolitana. Seis pessoas foram assassinadas com armas de fogo, uma morte foi provocada por ferimentos de arma branca e outro morreu agredido. Pelo menos duas das mortes não parecem ter relação com o tráfico de drogas – a Delegacia de Homicídios estima que 90% dos crimes tenham envolvimento com o comércio de entorpecentes ilícitos.

No bairro Fazendinha, em Curitiba, Paulo Eduardo Fagundes, 23 anos, morreu com pelo menos dois tiros na Rua Luis Cardoso por volta das 5h. A vítima havia cumprido pena de duas semanas na carceragem do 11º Distrito Policial até a sexta-feira passada (5). O assassinato parece ter relação com o crime que fez Fagundes cumprir pena – ele agrediu a ex-mulher e o principal suspeito de ter efetuado os disparos é o cunhado dele.

Em Almirante Tamandaré, região metropolitana de Curitiba, um homem identificado apenas como “Roberto”, de aproximadamente 30 anos, foi encontrado com ferimentos de facão e esganadura por volta das 23h30. Levado ao Hospital Cajuru, ele não resistiu e morreu. A polícia não tem pistas da motivação desse crime.

Além das mortes violentas, o IML registrou a morte de uma pessoa por queda de nível elevado e uma morte natural, totalizando 10 corpos recebidos na segunda.

8 Comentários

  1. Começo a acreditar que a criminalidade é muito rentável para nossos governantes…..muita policia, muitos promotores, juizes, advogados, direitos humanos e o famoso cabide de emprego, sem falar dos gastos para manter o sistema carcerário.
    Se o governo quisese, acabaria imediatamente com a bandidagem, é só criar PENA DE MORTE E PRISÃO PERPÉTUA COM TRABALHO FORÇADO, mas daí vai secar a TETA e isso eles não querem..Deu prá entender?????

  2. Interessante… e para que serve o Estatuto do Desarmamento mesmo? Não era para conter a onda de crimes? E por que só tem feito aumentar?
    Com a palavra os imbecis das ONGs que incentivaram as autoridades a desarmar a população.

  3. Delegacia de Homicidios da Capital do Paraná se transformou, depois política de segurança implementada pelo Governador em órgão exclusivamente de estatística. Só produz estatísticas e não elucida autoria de homicídios.

  4. O mais grave é que a especializada de homicidios joga a autoria para o insolúvel e redundante campo da traficância, ou pior que isso, homicidios são transformados em latrocínios e viram estatísticas. Hoje temos o pior Secretario de Segurança Publica que o Paraná já experimentou.

  5. E O CASO RAQUEL GENOFRE? QUANDO A MELHOR POLICIA DO PLANETA ALIADO AO MELHOR SECRETARIO ANTI DROGAS MUNICIPAL DO UNIVERSO VÃO TRAZER OS ASSASSINOS PARA OS TRIBUNAIS? POR QUE TANTA DEMORA? UM CASO COMO ESSE NOS EUA JA TERIA PEGO O ASSASSINO SÓ ATRAVES DAS INVESTIGAÇÕES DAS DIGITAIS….SERA QUE NAO TEM EQUIPAMENTO NA SESP? ALO MINISTERIO PUBLICO? CADE VCS? ALO DEPUTADOS 100 CONTOS POR MES?….

  6. Raquel morreu. Dois botes errados aconteceram, absurdamente até mudaram a cor do cabelo e tornaram calvo o tal do Jorge. Já pensou se o exame de esperma não fosse possível neste caso!!! A SESP iria criar um homicida-pedófilo!!! Fora DELAZARI!!! Fora HARRI!!!! JA CHEGA DE TANTA BARBARIDADE

Comente