Uncategorized

Requião esconde gastos com seminário

De Antonio França, para o JE:

Mais de um mês depois do seminário “Crise: Rumos e Verdades”, promovido em dezembro por iniciativa do governador Roberto Requião (PMDB), para discutir a crise econômica mundial, os custos do evento para os cofres públicos continuam sendo um mistério para os contribuintes paranaenses. De acordo com promessa feita Casa Civil, a relação dos gastos já deveria ter sido publicada no site “Gestão do Dinheiro Público”. Levantamento feito pela reportagem do Jornal do Estado, porém, não identificou até ontem, qualquer informação sobre as despesas com o seminário na página do governo, que traz a relação de gastos efetuados em dezembro. Informações extra-oficiais apontam que teriam sido gastos cerca de R$ 220 mil somente em passagens aéreas, a maioria pagos com cartão corporativo do Estado.

O secretário da Casa Civil, Rafael Iatauro, coordenador do evento, não quis comentar o assunto. No entanto, por meio de sua assessoria, informou que ainda falta levantar dados de patrocinadores. O evento foi custeado pelo governo do Estado, e contou também com recursos do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Fundação Copel e Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). O investimento de R$ 220 mil reais somente com diárias foi divulgado pelo site “Blogo do Marcus”, do jornalista Marcus Vinícius Gomes. Mesmo dizendo não ter números em mãos, a assessoria do secretário diz acreditar que “os gastos com passagens não podem ter chegado a tanto”.

Às vésperas da realização do evento, no início de dezembro, a Casa Civil também se recusou a informar a estimativa de gastos com o seminário. Na época, questionada pela reportagem do Jornal do Estado, a secretaria afirmou que as despesas seriam divulgadas no site Gestão do Dinheiro Dinheiro Público. Até ontem, porém, nada havia sido publicado. Além disso, o próprio governador Roberto Requião prometeu, durante o evento, que divulgaria os gastos com o mesmo, o que acabou não acontecendo.

Dentre as passagens pagas, o governo usou recursos para realizar a locomoção e pagar diárias de personalidades como Márcio Pochmann (presidente do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas – Ipea), Aldo Ferrer (ex-ministro da Fazenda da Argentina), Andrey Kobyakov (professor de Finanças da Universidade Estatal de Moscou), Mário di Constanzo (economista e jornalista mexicano), Gromyko Yury (membro da Academia de Ciências da Rússia), José Felix Rivas (diretor do Banco Central da Venezuela) e o senador Aloísio Mercadante (PT).

O deputado Valdir Rossoni (PSDB), disse que, tão “pernicioso” quanto os gastos e a falta de divulgação dos recursos investidos, foram os resultados do seminário. Segundo ele, o balanço foi negativo e não apresentou resultados práticos que indicassem caminhos para o Paraná e o Brasil enfrentem a crise econômica mundial. Para especialistas, o seminário ficou restrito a uma síntese do pensamento de esquerda e críticas ao “neoliberalismo”.

Para o deputado Élio Rusch (PDT), líder da oposição na Assembléia Legislativa, eventos do Governo do Paraná servem apenas para confirmar as posições pessoais do governador. “É um jogo de mídia, com pessoas de seu grupo, que não abre espaço para o contraditório, nem colabora com o debate. Esses acontecimentos não contribuem como solução política para do Estado. E pior: o governador pegou para si um evento que deveria ser organizado pelo governo federal, apenas para que pudesse ter a mídia nacional com holofotes voltados para ele”, afirma Rusch.

6 Comentários

  1. Se o requião, esconde gastos desse simples e desastrado seminario, imagine oque deve fazer quando coloca os irmãos para cuidarem do Porto e da Educação no Paraná, a Suiça a Agradece…

  2. o que v/cs esperavam do governador ele esconde muito mais só que se perguntar pra ele tome cuidado poderar ter o dedo da mão quebrado.

  3. e ainda criam um site da gestão do dinheiro público para se dizer que esse governo é transparente, kkkkkkkkkkkkk

  4. Sr Requião, pra falar da passagem de ônibus fala, taí arrume tua casa primeiro, é só sujeira !
    Cadê o pedágio, abaixa ou acaba ?

  5. Aproveite a hora da escolinha, Sr. Governador, e mostre ao Brasil todo a planilha de custos desse seminário. Cuide de seu quintal primeiro, Excelência.

Comente