Uncategorized

Bye bye, Bush

george-bush-sour

Murray Rothbard costumava dizer que tinha aliados nas duas pontas do espectro político norte-americano. Libertário, estava próximo de alguns democratas no combate ao conservadorismo e na busca das liberdades sociais; o mesmo libertarianismo o colocava próximo de alguns republicanos na afirmação da liberdade econômica e da livre iniciativa. Ao mesmo tempo, Rothbard odiava os dois partidos: eram e continuam sendo muito parecidos em tudo que ele via de errado.

George W. Bush parece ter feito a síntese mais obscena que se poderia esperar de um político norte-americano: juntou o que há de pior nos dois lados. Uniu a feitiçaria econômica da direita americana, o reagonomics, aos desastres na política externa que historicamente eram parte do repertório democrata. Expadiu imensamente o papel do estado – mas não como os democratas queriam, isto é, para trazer supostos benefícios às massas – o fez para transformar o estado em uma máquina de guerra com teor religoso.

O estado sob a batuta de Bush aumentou, exatamente como muitos republicanos não queriam, mas não por ter assumido papel filantrópico, como os democratas queriam; aumentou por ter assumido um papel teológico e agressivo que deixaria Rothbard de cabelos em pé.

O governo de George W. Bush mentiu, torturou, prendeu pessoas sem acusação, teve prisões secretas, errou na economia, deixou um rombo nas contas públicas, chutou a ONU para escanteio, invadiu dois países, bloqueou qualquer avanço nos tratados sobre meio-ambiente, esqueceu as vítimas do furacão Katrina e censurou cientistas.

Foi ruim enquanto durou.

9 Comentários

  1. Na verdade, o maior erro foi esquecer de assumir junto a população que estava em Guerra. Eram apenas intervenções, de alcance limitado, mas com despesas ilimitadas. Esqueceu de supervisionar a Economia e deu no que deu. Bem intencionado e mal assessorado, vai ser algoz na História Próxima e talvez vítima no Futuro. Vamos ver.

  2. Corretíssima a afirmação “ruim enquanto durou”, mas é verdadeira também a afirmação de que os democratas é republicanos não são tão diferentes assim.
    A ONU aprova resolução por um cessar fogo em Gaza e Israel manda a ONU e seus membros a m…, e o que faz um democrata ou um republicano? Não apoia a ação, silencia e depois dá apoio a ação do seu aliado no Oriente Médio.
    o que dizem os democratas sobre o massacre americano no Afeganistão e no Iraque durante a campanha eleitoral. O republicano defende com unhas e dentes, já o democrata Obama disse num debate que a invasão do Iraque foi um equívoco porque primeiro deveriam matar Bin Ladem para depois atacar o Iraque, e que teriam de retirar as forças do Iraque. com o término da eleição muda o discurso e diz que não vai poder retirar as forças do Iraque e dará continuidade as ações no Afeganistão. Ou seja a máquina mortífera continuará a todo vapor.
    O principal aliado militar (israel) dos EUA anuncia uma tregua em Gaza, talvez para não manchar a posse do novo presidente do mundo.
    Todos esperam que o novo presidente e comandante da máquina mortífera reveja a política americana no mundo e não apenas para seus problemas econômicos internos.
    Mas não vejo nos discursos e nas ações depois de eleito que Obama tenha tanta vontade de mudar o rumo das coisas.
    Espero estar enganado.

  3. Opa, e os ataques de 11/09/2001 foram riscados da história?!

    Só relembrando: Os ataques de 11 de Setembro designam uma série de ataques terroristas perpetrados contra os Estados Unidos da América.

    E, apesar da ameaça de novos ataque eles não ocorreram… Será que o Bush teria adotado esta postura belicosa sem os ataques e sem a ameça de novos ataques? Claro que não!!!

    Tomara que o Obama consiga deter o terrorimo também!!!

  4. Já vai tarde. Este fanático quase acabou com seu pais e o mundo. Tomara que um arqui Cristão de direita jamais volte a ocupar a Casa Branca.

  5. No caso do furacão Katrina, Sr. Campana, o que houve foi apenas o sistema de governo vigente nos Estados Unidos. A não ser em casos de crimes federais, que envolvam a segurança nacional, ou ainda em casos de sequestros em que a vítima é movida de um estado para o outro, que o presidente dos Estados Unidos NÃO pode intervir em local algum afeto aos governos estaduais. A falha ocorreu em níveis estadual e municipal. As cidades afetadas deveriam ter requisitado ajuda estadual e o estado, por sua vez, deveria ter pedido ajuda federal. Não haveria motivo algum para o governo federal negar ajuda. Neste caso específico, foi isso que ocorreu – os poderes constituídos não se entenderam pelos canais competentes, do contrário a ajuda teria vindo no máximo em 48 horas.

  6. Bush, queria que você ficasse mais oito anos!

    O mundo sem você ficará menos verdadeiro, pois a economia e a pol[ítica externa dos EUA não vão afundar ao acontecer os cortes na área militar, as pessoas vão deixar de falar mal e jogar sapatos no presidente americano e o ódio contra os States vai diminuir com a com a camuflagem da política externa eternamente agressiva que virá com o governo Obama.

    Enfim, começará um período de hipocrisia onde os EUA não mostrará a verdadeira face.

  7. FABIO.

    FOI DURO AGUENTAR ESTE MALA DURANTE LONGOS OITO ANOS.

    PENSEI QUE O POVO NORTE AMERICANO JAMAIS SAIRIA DA FOBIA TERROTISTA QUE A “DIREITONA” E O BUSH JOGARAM NO PSICO-SOCIAL DO POVO AMERICANO.

    ESTE DESASTRADO ME LEMBROU O LEPOLDO GALTIERI, GENERAL DITADOR, QUE PROVOCOU UMA PSICOSE SEMELHANTE NO POVO ARGENTINO, LEVANDO-OS A GUERRA DAS MALVINAS, E ACABOU SENDO PRESO.

    AGORA SÓ FALTA O JULGAMENTO DO BUSH, POR CRIMES DE GUERRA.

    LINEU TOMASS.

  8. Geraldo Medeiros Responder

    Hoje o George W. Bush recebe seu título de maior relevância para os Estados Unidos e para o Mundo: Ex-presidente.

Comente