Uncategorized

Depois de aumentar impostos, Requião critica aumento de ônibus

requiao-2Requião fez apelo para que empresários paranaenses não demitam trabalhadores. Chegou a falar em incentivos para empresas em dificuldades por conta da crise que se comprometam a manter empregos.

Foi além. Para cutucar o prefeito Beto Richa, disse considerar um absurdo o aumento de tarifas como a do transporte público, em um momento com este.

O detalhe é que, no final do ano passado, com a crise já instalada, propôs e conseguiu aprovar a lei que aumenta o ICMS de energia elétrica, combustível e telecomunicações no Paraná. Tarifas públicas que, em pouco tempo, serão reajustadas justamente por sua causa.

Ouça o que disse Requião:

Ou clique aqui para baixar o arquivo em formato mp3.

17 Comentários

  1. Cadê a UNE, UBES, MST, PC do B, PSOL para protestarem contra o reajuste dos ICMS de energia elétrica, combustível e telecomunicações????

    Bando de Hipócritas.

  2. Este individuo é mesmo um cara de pau povo do Paraná. Nem lembra do que faz por isto critica os outros.

  3. João Miguel Reply

    O feitor desta noticia realmente oculta informaçoes. Por que não divulga na mesma noticia que a maioria de insumos alimenticios, material de limpesa e produtos de consumo a aliquota do ICMS diminuiu? Os produtos que a populaça mais consome diminui a aliquota.
    O feitor da noticia pode ter sua opiniao contraria ou não sobre o assunto, mas seja pelo menos imparcial com a noticia. Este tipo de noticia postada não da para ser lida como uma noticia seria.

  4. Pô alguns aumentão e outros baixaram, não foi isso? que isso? não houve aumento no cômputo geral, vamos devagar amigo, faça as contas e veja. É matemática, é verdade que os ítens que mais caíram e de consumo direto das classes menos favorecidas,…

  5. Quero saber dos pedágios Sr. Governador Roberto Requião de Mello e Silva

    Acabe com os pedágios só isso ai comece e dar palpites

  6. Geraldo Medeiros Reply

    Tá bom… Suponha que eu fosse um empresário e chegasse ao requião e dissesse: “olha, eu assino onde for que não vou demitir ninguém, mas quero incentivo, crédito, enfim, o que o senhor tem na sua cesta de apoio ao empresário?”

    Será que teria alguma bondade concreta ou só discurso flatulento?

  7. Gustavo Zanoni Reply

    Não foram apenas estes impostos aumentados pelo governo do estado, esta semana recebi o IPVA 2009, minha surpresa foi o aumento da taxa, que subiu de 1% pago em 2008 para inacreditáveis 2,5%, sem contar que aplicaram tal índice sobre o valor do veiculo antes da desvalorização. O valor do imposto passou de 460,00 reais pagos em 2008 para 1.100,00!!! Absurdo

  8. Faça o teu um excelente governo , voltado ao povo do Paraná, naõ com denúncias de nepotismo , mentiras do pedágio, aumentos ICMS de energia elétrica, Cohapar , Porto de Paranaguá , certo de cargo do Eduardo Requião , faça teu trabalho.
    não somos bobos por isto Beto 80% de votos

  9. Mano da Vila Reply

    O pacote de ajuda aos empresários que não demitirem está quase pronto, só falta fazer mágica para a grana aparecer. Ou seja, o coelho poderá siar da cartola da COPEL (a única com $$$ em caixa). Se o empresário não for da base aliada, não contribuir para caixinha da campanha para senador, se não for um ginete amigo, esqueça!

  10. O que eu sei é que vou ao mercado e tenho pago MUITO MAIS pelo rango do mês do que antes do aumento dos impostos e da suposta diminuição de alguns impostos.
    A cesta básica no Paraná subiu em média 26%.

  11. Vigilante do Portão Reply

    Deixe de ser lerdo João Miguel, a tal redução dos preços, em função da diminuição da alíquota, não é bem assim como a propaganda afirma.
    1- não vai atingir os produtos da cesta básica, pão, massas em geral, carne, leite, arroz, café, etc., esses produtos já tinham alíquota menor;
    2- não abrange também os produtos vendidos pelas microempresas (90% das empresas do estado), essas já tem tratamento diferenciado e pagam um porcentual fixo sobre o faturamento;
    3- o “desconto” nos preços dos produtos, se houver, será bem menor do que o apregoado, pois a alíquota do ICMS dos produtos, quando saem da indústria para o comerciante, já era de 12%, a redução se dá apenas sobre a margem de luco, assim na compra de uma geladeira por R$1.000,00, sendo o preço de fábrica R$700,00, será de apenas R$18,00 (6% s/os R$300,00);
    4- mesmo assim, vai depender da boa vontade da loja; No caso das redes nacionais, não vai ter desconto, pois os preços não são estadualizados, é o caso das casas Bahia, por exemplo. O mesmo acontece com as grandes redes de supermercados, a central de custos do BIG, Mercadorama, Wall Mart, – todos do mesmo dono – fica no México, os preços são da rede e não definidos por estado.
    Portando, espere sentado pelos descomtos prometidos pelo Reuião, não vai ser assim.
    Por outro lado, nas faturas de energia, telefone,e na bomba de combustíveis bem como na “branquinha” ou na cerveja gelada, o reajuste é certo e inexorável.
    É mais uma farsa do Governador, tudo para aumentar a arrecadação.

  12. A mini reforma tributária do Governo do Estado do Paraná objetivou, segundo o que li, a redução de alíquotas de tributos e impostos que incidem sobre produtos consumidos pelas classes média-baixa e classe baixa.
    Estas parcelas da população são os mesmos que utilizam o transporte coletivo.
    Assim, de um lado foram desonerados ( assim espero) e de outro foram onerados. Dessa forma são aumentos de natureza diferentes.

  13. Sr. Gustavo.
    É difícil ler comentários completamente sem fundamento como o seu. A única possibilidade de ter aumentado de 1% para 2,5% é o caso de caminhonetes, mas trata-se de um equívoco que já foi revisto, além de ter acontecido em todo o territorio nacional.
    Isso eu assisti em jornais diversos na “Televisão”.
    Quanto ao IPVA continua sendo 2,5% sobre o valor do veículo (um dos mais baixos do país) inclusive deu margem a reclamações do governo de São Paulo, onde a porcentagem é maior e muitos proprietários de veículos de lá estavam emplacando no Paraná para pagar menos IPVA.
    E quanto ao valor dos veículos, tenho um Fiesta 2006 avaliado em 2008 por R$26.500,00 e neste ano recebi com avaliação de R$23.344,00

  14. Pequeno sábio.

    Ler jornal e assistir telejornais também é bom

    O IPVA continua sendo 2,5% do valor do carro como nos anos anteriores.

Comente