Uncategorized

Fim de audiências noturnas provoca adiamento de processos

coelho

Os juizados especiais do Paraná podem entrar em colapso. É o que alerta um estudo feito pelo próprio Tribunal de Justiça do Estado em dezembro do ano passado. Um dos motivos é o corte do pagamento de gratificação noturna. 84% dos funcionários trabalhavam após o expediente normal para dar conta do grande número de processos.

As audiências que estavam marcadas para depois deste horário foram adiadas, algumas para 2010. O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador José Vidal Coelho (foto), alegou corte de custos para a redução do expediente. 66% das unidades analisadas afirmam que podem travar trabalhando apenas no horário normal.

2 Comentários

  1. O Judiciário do Paraná está indo na contramão. O Juizado Especial civil e criminal deveria ser expandido significativamente. Ali se resolvem a imensa maioria das pequenas causas que afetam a massa da população – é justiça social intensa e rápida. Ou deveria ser assim. Mas não, corta-se verba de alcance social, enquanto abrem-se as burras para benefícios corporativos, como auxilio-moradia. Aliás, é raro partir do Judiciário medidas que auxiliem a administração da Justiça. Eles (juízes, desembargadores) que vivem o problema dia a dia são incapazes de liderar mudanças imperativas para melhoria do acesso à Justiça e da prestação jurisdicional em forma e tempo razoável. É um poder do Estado, no entanto, não agem em consequência. Falta massa crítica neste paquiderme, independente de suas inegáveis qualidades.

Comente