Uncategorized

Al Gore volta a Curitiba

JAPAN AL GORE

O ex-vice-presidente dos Estados Unidos e ganhador do prêmio Nobel da Paz em 2007 virá a Curitiba em março, informou o Zé Beto.

Al Gore se tornou quase unânime: muitos lembram que ele poderia ter salvo o mundo da presidência de George W. Bush, e sua divulgação dos efeitos do aquecimento global se tornou tão popular que ganhou as proporções de uma nova luta global.

Em Curitiba, Al Gore fará uma palestra. Mas não é a primeira vez que passa por aqui. Muito antes de disputar a presidência dos Estados Unidos, Gore visitou Curitiba como um jovem senador do Tennessee, lá no começo da década de 90. Passou pela cidade e seria recebido por Requião, na época já governador.

Requião trocou a hospitalidade ao estrangeiro por uma atitude arrogante, ao estilo Hugo Chávez: resolveu “dar um chá de cadeira no gringo imperialista”. No final das contas, não recebeu o visitante.

Quem ganhou foi o advogado Vitório Sorotiuk, que ficou fazendo sala ao senador norte-americano durante horas, engajados os dois em um ótimo papo através de um tradutor.

15 Comentários

  1. dirceu rodrigues Responder

    Caro FAbio,

    NA verdade Gore passou 4 dias visitando a nossa maravilhosa mata atlantica e Guaraquecaba. Voltando as USA conclamou empresas a ajudarem ONGs de preservacao do Parana e a SPVS a se estruturarem para atuar com mais forca nessas areas.

  2. maravilha. mais uma do requião. mal sabia ele que o jovem senador iria ser um dia um dos homens mais influentes e poderosos do mundo.

    quanto será que o paraná já perdeu com essas atitudes do requião?

  3. as duas figuras são praticamente opostas:

    1. requião e o partido verde, que é totalmente laranja, se fingem de ambientalistas enquanto destróem tudo, vendendo para os empresários a licença pra construir as PHCs, usinas hidroelétricas que vão destruir nosso hidrosistema para alguns ganharem dinheiro.

    2. al gore troca o falatório político pela prática da conscientização.

  4. Boa memória Fábio. Já tinha ouvido essa história da passagem do Gore por aqui. O Vitório poderia deixar um comentário para contar a história do papo com o então senador.

  5. Francamente…. Lá vem ele de novo. Gore é um bon vivant, um boa vida, que nunca trabalhou, descendendo de “aristocratas” dos EUA, uma família que sempre foi muito endinheirada e ocupou cargos importantes nos EUA. É um movie star, à la J.F. Kennedy, como dizia Henry Kissinger… Tanto poderia ter ganho por míseros dois mil votos, como perdeu pelos mesmos míseros dois mil votos… Mello e Silva ganhou por dez mil e está aí para atazanar-nos e ninguém divinifica o capitão Furacão Dias, porque nos poderia salvo do segundo/terceiro mandato…. Gora fala o que a mídia, o populacho, os cor-de-rosa-choque, os eco-pentelhos querem ouvir e assim agrada e faz charme… é um looser, que passa a vida tentando transformar uma derrota em vitória…. ai dos vencidos… e dos chatos de galocha…. viva a roça paranaense e seus jecas adoradores de múmias….

  6. Inclusive saiu uma matéria no Programa Fantástico mostrando a lamentável posição do Governo na época. Tratando o cara como um bandido imperialista.

  7. Do blog do chapa Jader da Rocha, no site Bem Paraná (www.bemparana.com.br):

    Visita ilustre

    Al Gore, ex-vice-presidente dos Estados Unidos, ganhador do prêmio Nobel da Paz em 2007, virá a Curitiba em março. Ecologistas já estão programando a agenda e a recepção para Gore, que fará uma palestra na cidade.
    Postado em Sem categoria | 2 Comentários »

  8. E para desventura do Requião, hoje Al Gore é grande amigo de Jaime Lerner, com quem frequentemente se encontra em eventos.

  9. Olegário M Dias Responder

    Olha, concordo com quase tudo que disse o José Carlos. QUASE TUDO. Só que esse quase é preponderante. Pelo jeito José Carlos esse tal de Al Gore é tudo aquilo que você adoraria ser e nunca será. Rico, bon vivant, movie star, poderoso, premio nobel e… americano. Ainda bem que somos jecas da roça paranaense, pois os curitibocas preferem a autofagia.Roça que o seu Capitão Furacão Dias (meu xará) reconheceu e ajudou a mecanizar, e em troca a roça o fez homem público. O Tenesse não é muito diferente do nosso Paraná nesse sentido, o que muda é a escala, a latitude, a longitude e a atitude. Parece que seus representantes públicos são bem mais diplomatas que os nossos. De resto…
    que venha o Al Gore, que vá o Al Gore, Bin Laden, Obama, Chavez (o do SBT), Bush, Roberto, Osmar, Betão 77, Lula, enfim todos, eu só estou esperando a Caiobanda passar.

  10. voces pisaram na bola, quem deu a noticia foi o jader da rocha. vale a pena um “erramos”, nao?

  11. Vitorio Sorotiuk Responder

    O Al Gore disse-me que seria a candidato a Presidente dos EUA mas que achava dificil ser eleito porque as resistências eram grandes. Disse-me também que achava que o Roberto Requião era um lider muito localizado e não tinha bagagem para ser Presidente da República. Eu defendia o Requião com unhas e dentes, quase fui aos tapas com o Al Gore. Mas o Al Gore tinha um dossiê enorme

  12. Quase foi aos tapas? Verdade? A troco de quê?
    Mas cá entre nós, o Paraná não perdeu nada com a atitude do Requião. O que esse sujeito pode oferecer ao nosso Estado que outro já não venha oferecendo?
    Que Al Gore tenha sua esfera de influência até se pode admitir mas não temos necessidade assim do sujeito.

  13. Fernando Mello Silva Responder

    Pô Vitório! Voce precisa de tradutor e não sabe falar ingles? Não acredito…..

Comente