Uncategorized

CUT protesta contra desemprego na Boca Maldita

A CUT, Central Única dos Trabalhadores, realizou na manhã de hoje uma manifestação de alerta contra o desemprego causado pela crise no país. Dados divulgados pelo DIEESE apontam que mais de 600 mil pessoas foram despedidas só em dezembro do ano passado. No Paraná, foram cortados 50 mil postos de trabalho. Ouça a matéria da repórter Franci Colpani, da rádio Banda B:

Ou clique aqui para baixar o arquivo em formato mp3.

6 Comentários

  1. Meu Deus!
    Desempregaram os frequentadores da Boca Maldita? É o fim dos tempos. O que eles vão fazer da vida agora?

  2. Esses vagabundos da CUT nunca trabalharam, agora vão querer trabalhar? Essa é boa.

  3. Almasor Abbas Adilah Reply

    A COISA ESTÁ FEIA!

    A projeção é de que tenhamos até o final do ano mais 1.500.000 desempregados!

    A MAROLINHA VAI VIRAR UM TSUNAMI!

  4. Zé Ninguém Reply

    Eles poderiam ir a Cut que os pariu , pois e na presidência que esta o líder mor deles !

  5. devaneios/loucuras Reply

    Isso deve reduzir drasticamente a contribuição sindical, talvez, essa seja a real preocupação dos sindicalista, redução de suas receitas. A economia informal, como na era da inflação, irá absorver boa parte desses trabalhadores, e como os recursos humano é o lado mais frágil, caberia, então, uma negociação com as empresas, juntamente, com sindicatos e governo, a implementação de um modelo, um plano facilitador com novos conhecimentos ou até mesmo, desenvolver a própria atividade que já se vem exercendo, no sentido de engendrar o próprio negócio, ou seja, empreendedorismo.

    A mão de obra é a parte mais sensível, frágil e vulnerável quando acontece recessão, pois, são custos elevados, e não há como reduzir, sem que ocorra a demissão.

    Algo contraditório, antagônico, a mesma mão de obra que representa custo, ela também gera receita, pois, consomem pagam impostos, e participam como propulsora da economia.

    Com isso alguns países tentam incentivar o consumo interno para preservarem os empregos, criando políticas protecionistas. É neste momento que devemos nos concentrar no que é essencial e não podemos nos abster: alimentação, vestuário, moradia, educação, transporte, saúde, internet, religião, blog do Fábio Campana, cinema, namorar, sexo. Chegamos à conclusão que somos dependentes de quase tudo, em razão disso, a crise é como uma tempestade, não é para sempre. Então, vamos fumar o charuto da paz, revitalizarmos, restaurar nossas forças, pois, não deixa de ser um ciclo do sistema, e como tal, já passamos por tempos bem piores, as hiperinflações, guerras….porfim, significa, processo seletivo global, sobrevivem os mais aptos, mais preparados…..doce vida, vida louca.

Comente