Uncategorized

Estudo aponta sonegação de R$ 200 bilhões no país

Da Folha Online
A sonegação fiscal das empresas atingiu R$ 200,29 bilhões em 2008. O montante que deixou de ser recolhido decorre de receita de R$ 1,32 trilhão não declarada aos fiscos.

A estimativa é de estudo do IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário), que utilizou como base uma amostra de 9.925 empresas autuadas entre 2006 e 2008. A alta carga tributária -que representa 36,5% do PIB (Produto Interno Bruto) do país- é apontada como o principal motivo para o elevado nível de sonegação no Brasil.

A indústria é indicada no estudo do IBPT como o setor com mais indícios de driblar o pagamento de impostos, seguida pelo comércio e pelos serviços. Os tributos mais sonegados são, pela ordem, a contribuição previdenciária, o ICMS e o IR.

3 Comentários

  1. Esta turma, que gosta de trocar de BMW todos os anos joga tênis e golfe no country e sai para passear de iate nos finais de semana, foi que comandou aquela campanha contra a CPMF (Xô CPMF) e atingiu mortalmente o sistema público de saúde.Prá eles não faz diferença, afinal os gastos deles com saúde são pagos pelas empresas e descontados integralmente do IR… Dos 100 maiores contribuintes da CPMF, pelo menos 50 nunca haviam declarado imposto de renda (eram “isentos”)…

  2. Não é só a carga tributária elevada, Sr. Campana. O diabo são as exigências da autoridade fazendária para que paguemos nossos impostos em dia – e toda a montoeira de documentos, informações, declarações, recibos e o escambau tem um custo – elevado – aos contribuintes, não incluído na carga tributária por não consistir em receita da Fazenda Pública.

  3. No Paraná, a SONEGAÇÃO FISCAL tem um grande aliado, o GOVERNADOR REQUIÃO, que a cada dia que passa procura sucatear e desmotivar a RECEITA ESTADUAL.

Comente