Uncategorized

Ellen Gracie mantém Eduardo Requião no cargo em Brasília

ellengracie_durequiao

A ministra do Supremo Tribunal Federal, Ellen Gracie, decidiu manter no cargo de chefe do Escritório de Representação do Paraná, em Brasília, o irmão do governador Requião, Eduardo Requião. Gracie recusou o pedido de liminar do advogado Cid Campelo Filho para que Eduardo fosse demitido, alegando que a nomeação infringia a Súmula Vinculante 13, que proíbe a nomeação de parentes.

A ministra aceitou a tese da defesa, que utilizou o decreto de nomeação referindo a Eduardo Requião como secretário de Estado. Essa é uma brecha na súmula do próprio Supremo, que aceita a nomeação de parentes, desde de que seja em primeiro escalão. Campelo Filho contesta esse status e afirma que não há lei que o transformou o Escritório de Representação em Secretaria de Estado.

22 Comentários

  1. O Cid Campelo,não mexe mais nisso.Deixa esse incompetente,essa tralha lá em Brasília.A FARRA DO BOI já esta acabando.

  2. O status de um Escritório de Representação não pode ser semelhante ao de uma Secretaria de Estado. Que decisões “políticas” toma o chefe do Escritório em semelhança às que toma o secretário de Estado ? É mais que evidente que o “status” do chefe do Escritório é o de nepote sem emprego, sem lenço, e sem documento, mas que tem um irmão governador adepto do nepotismo familiar. Mas pode valer aqui o dito: “os deuses castigam os homens quando lhes atendem os pedidos.”

  3. A MINISTRA foi enganada…cabe enviar os
    devidos esclarecimentos à mesma, para
    repor a verdade. IMPEACHMENT JÁ!!!!!!!!!

  4. Como sempre o mal sempre vence , este LOUCO IMCOMPETENTE, ACHACADOR fica na TETA do poder …….

  5. Pedro Vigário Neto Responder

    – Mais um mal exemplo !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    – Precisamos de bons exemplos, que sirvam de referência, para que o homem bom continue a fazer o bem o homem mau, repense suas futuras intenções;
    – Como é que pode, um escritório de representações ter status de secretária de estado. Só no Brasil mesmo;
    – Estamos de luto;

    Um abraço.

  6. no caso do MAURICIO outro ministro tambem havia negado a liminar e depois ele e os demais integrante do STF mandaram o nepote para casa…

  7. A cada um passo de justiça dado neste Brasil, o país recua dez.
    Sinceramente……o Brasil que um dia sonhamos existir, livre de corruptos e vagabundos, esqueçamos…..este país infelizmente só vai povoar nosso “sonhos”.

    Resta somente a justiça de Deus.

  8. Tá na cara. Deram brecha pra deixa como tudo tava. bobeiaram com esse negocio de poder ser secretario. Logo se der tempo ainda o Requião transforma todos os primo, irmão, cunhado, tia maria e toda a familia em secretario. Dica pro beto richa, abriram a portera, aproveita beto richa, fais estagio pro governo nessa de secretarios, vai da muito dinhero.

  9. carlos imperial Responder

    Esquema Paranaguá… há um cheiro estranho no mar….

    O que revela é de cair de costas.

    1. As primeiras pistas sobre o sistema de contrabando da Daslu apareceram na Operação Dilúvio, e envolviam a empresa com esquemas que operavam no Porto de Paranaguá, fornecendo produtos tanto para ela quanto para Law Kin. (clique aqui).

    2. Em 11 de junho de 2006, depois de negar habeas corpus a Antonio Carlos Piva de Albuquerque, o desembargador federal Luiz Stefanini, do TRF-3 volta atrás e concede. O advogado de Piva de Albuquerque é Otávio Cesar Ramos (clique aqui), que aproveita para desancar o procurador do caso.

    3. No dia 7 de dezembro de 2007, a Polícia Federal prendeu uma quadrilha de búlgaros que usava o porto de Paranaguá para traficar cocaína para o leste europeu. Entre os presos, estavam o dono do restaurante Fidel. E o advogado Otávio César Ramos. A polícia descobriu que o contato entre os búlgaros e os fornecedores brasileiros era o advogado César Ramos. E o esquema atuava justamente no Porto de Paranaguá (clique aqui).

    Mais detalhes lá no Luiz Nassif, é só clicar aqui:O que revela é de cair de costas.

    http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2009/03/28/daslu-e-o-esquema-paranagua/

  10. Palhaçada, manda esse vagabundo trabalhar uma vez na vida, fora nepote preguiçoso, vai procurar emrpego em algum porto privado já que manja tudo no assunto, não precisa de carguinho em Brasília! O fim está chegando nepotistas, fim de governo, diarréia permanente, contagem regressiva!

  11. Em qual secretaria municipal sera que trabalha esse tal de vigilante,que não passa de um nacionalista estupido e arrogante,parece argentino

  12. POLACA - PARANAGUÁ Responder

    ESSA MINISTRA É PORRETA….BOTEI FÉ….
    UMA DECISÃO JUSTA E CORRETA. PARABÉNS Dr. EDUARDO POR MAIS ESSA CONQUISTA..

    VALEUUUUUUU

  13. essa polaca deve ser fornecedora de rolmops lá no porto. Gostas do Boto da cabeça branca? Fica com ele só pra ti e inclua oparaná fora dessa.

  14. Esse cara de cabelos brancos um dia foi nomeado presidente do IAP e resolveu que só ele assinava qualquer tipo de autorização. Em uma semana, ficou afogado em processos que foram levados para ele assinar. Depois disso, iniciou a operação desmonte no IAP deixando o órgão um verdadeiro lixo. Mas deixa quieto, deixa ele em Brasília. Deve incomodar menos. O povão vai acabar mandando o outro também pra Brasília, não tem jeito não. É um castigo!

  15. Segundo comentários oriundos de Paranaguá, o irmão do atual Governador levou um SÉQUITO de 3 (treis) FUNCIONÁRIAS COMISSIONADAS do Porto de Paranaguá, que percebem a importância de R$ 10.000,00 (déis mil reais) mensais, cada uma, aproximadamente, e que são pagos por aquela Administração, para “TRABALHAR” no Escritório de Representação Comercial do Paraná em Brasília, fato esse, que sendo verdadeiro, é uma VERGONHA e um ACINTE à Sociedade Paranaense.

Comente