Uncategorized

ONG pede na Justiça paralisação da Usina
de Mauá

A ONG Liga Ambiental propôs hoje uma ação civil pública em que requer a demarcação contínua das terras kaingang do Tibagi e a paralisação das obras da Usina Mauá até que o Congresso Nacional autorize a construção, por meio de decreto legislativo.

A ação, proposta hoje ao Ministério Público do Paraná, aciona judicialmente a União Federal e a FUNAI por não defenderem os direitos dos índios às terras que ocupam tradicionalmente, nas quais está sendo edificada irregularmente a barragem da usina hidrelétrica de Mauá, que não foi autorizada pelo Congresso Nacional.

5 Comentários

  1. Não foi autorizada pelo Congresso Nacional ? Só agora descobriram este argumento ? Depois de todos os tramites já levados a efeito no âmbito estadual e federal e até o início das obras ? Isto tudo está a demonstrar como anda ou tropeça a questão ambiental em nosso Estado e em nossas instituições governamentais estaduais, inclusive o Ministério Público ESTADUAL. Os kaigangs e o Rio Tibagi são patrimônios culturais e hídrigo estaduais. Só agora acordaram …

  2. Essa ong é um bando de picareta, não tem nenhum índio por lá, os que são decendentes são tão “civilizados” quanto qualquer um. E o que a maioria deles quer é conforto, carro, tv, chuveiro elétrico. Essa ladrãozada das ongs é que querem os “índios” atrasados, subserviente, na idade da pedra, para serem seus gigolôs, exploradores! É picaretagem pura. E tem o problema também que a obra foi dada para o sogro do sobrinho nepote (redundância), aí o rei do nepotismo sobe nas tamancas, não quer que mecham no seu butim!

  3. ONG e quadrilha acaba se equivalendo, porque não considera os interesses maiores da sociedade. Deveriam ser condenados a fornecer ELES a energia de que precisamos para alimentar nossos filhos, conservar nossos alimentos, iluminar as ruas etc. etc. etc.

  4. Josoe de Carvalho Responder

    Aqui vai uma sugestão aos ambientalistas e aos políticos Tupiniquins,digo neste caso, ” Kaingankins”.Porquê vocês só lembram dos nossos Índios só quando interferem aos seus interesses?. Dê capacitação empresarial aos nossos nativos, assim eles jamais precisarão de FUNAI, FUNASA,ESMOLAS,CONDOLÊNCIA , etc,etc.etc. É triste ver a situação (pindaíba) dos Índios. Já que os senhores são doutores do saber, ensinam eles enfrentar a realidade em que eles vivem.Digam a eles que o mercado de orgãnicos é a nova tendência para a alimentação da humanidade.Informem também que o homem urbano necessita da natureza para enfrentar o Stress do dia a dia. Pousada rural e pesca esportiva têm boa aceitação no mercado.Eles são hábeis em artesanato.Os Europeus pagam em Euros produtos com bom acabamentos. Eles adoram produtos ecológicos e culturais. Outra informação. O IBAMA autoriza criação e comercializaçao de animais silvestres.Porquê não criar cobras para fazer o soro anti-ofídicos(vacina).Galinhas e ovos caipira tem mercado garantido. Vamos Srs,criatividade,criatividade, chega de hipocrisia. Vamos mostrar para os políticos que somos os melhores. Outra coisa, vamos aprender com eles o seu modo simples de viver. Tirem eles da miséria econômica.Ensinem eles o caminho da prosperidade, da dignidade. Ah, se os nossos Kaingang soubesse que energia é a mercadoria mais cobiçada e valorizada do mundo , não era a Copel e o Sr Malucelli que iriam ganhar dinheiro e sim eles. Estava esquecendo e duvido que alguem dos internautas iria lembrar. Dia 19 de Abril é o dia do Índio.
    Abraços fraternos.

  5. Se os “conscientes” ridículo e Zé do Coco forem de Londrina, vão se informar e parar de falar asneiras. Não faço parte, mas essa ONG é séria, e sofre com o dinheiro das empreiteiras que estão por trás dessa obra, comprando MPF, TRF, IAP e o que vier pela frente. Ah, a água de Londrina vai custar mais e ser pior, em razão do impacto que a represa impingirá nas fontes da cidade.
    Portanto, picaretas, ridículos e analfabetos são vocês.

Comente