Uncategorized

HC vai indenizar família de paciente que morreu com gaze deixada em seu coração após cirurgia

O Juiz Federal Substituto Vicente de Paula Ataide Junior, da 5ª Vara Federal de Curitiba, condenou a Universidade Federal do Paraná a pagar indenização por danos morais e materiais por morte causada por erro médico no Hospital de Clínicas da UFPR.

De acordo com os autos, M.F.N. procurou o HC em janeiro de 2003, à época com 26 anos, para uma consulta, quando foi constatado um problema congênito no coração. Um mês depois, em 26 de fevereiro, foi realizada cirurgia, com o paciente recebendo alta dia 7 de março. Contudo, nesse mesmo dia, antes de sair do hospital o paciente teve uma crise, foi internado na UTI e faleceu. De acordo com a necropsia, foi encontrada uma gaze sobre a parede inferior do coração, que teria causado a septicemia e a morte.

A UFPR deverá indenizar a companheira de M.F.N., que na época estava grávida, e seu filho menor, com pagamento de pensão mensal de dois salários mínimos, sendo que 50% será da criança até que complete 25 anos, e 50% da companheira até a data que a vítima completaria 65 anos de idade. O juízo condenou, ainda, a UFPR ao pagamento de indenização por danos morais aos dois autores e à mãe da vítima. Os três receberão R$ 232.500,00 cada.

De acordo com o magistrado, a gaze deixada no interior do coração de M.F.N. foi negligência do cirurgião. “Pelos elementos colhidos no processo, e especialmente pela prova pericial produzida, estou convencido que o erro médico de deixar a gaze no coração, se não foi a causa exclusiva, foi uma das causas da morte de M.F.N.”.

O inteiro teor da sentença, proferida durante audiência realizada no dia 28 de abril, pode ser consultado nos autos nº 2004.70.00.025393-1.

7 Comentários

  1. tarso de castro Responder

    Fábio… esse juiz é filho do famoso professor de literatura Vicente Ataíde, da PUC?

  2. R$ 232.500,00 como indenização é pouco. Uma merreca. O advogado da família precisa recorrer e pedir mais.

  3. Bom, este é apenas um dos casos de erro médico que ocorem no HC, e as infecções cirúrgicas, pacientes que entram andando e saem em cadeiras de rodas ou na viatura do IML??? Não são divulgadas pois a maioria dos pacientes internados lá são de origem humilde e são enrolados pelos médicos quando ocorre algum erro.E por que, neste caso, ninguém foi preso ou teve o registro profissional cassado? Isso caracteriza homicídio culposo!!! Alguém (o paciente) morreu em decorrência da negligência de outra (o médico)!!! Ou eu tô enganado!?!?

  4. Esta indenização é pífia. O HC deveria sutentar esta familia até a 4ª geração com pelo menos 10 salarios mínimos por mês!!

  5. Esse caverão não tem inteligencia para dizer nada, o comentário é seu e espero que o cianorte confirme

Comente