Uncategorized

Planalto encomenda pesquisa sobre câncer
de Dilma Rousseff

dilmaamar

De Josias de Souza, na Folha Online

Dilma Rousseff diz que não pretende converter seu tratamento em “espetáculo”. Lula afirma que a “prioridade zero” de sua ministra é cuidar da saúde. A despeito da retórica politicamente correta, o governo só pensa naquilo.

Há certa avidez em saber qual será a reação do eleitor ao câncer da candidata. Para tentar solver o enigma, o Planalto encomendou uma pesquisa. Está sendo feita pelo jornalista João Santana, marqueteiro de Lula. Sob o acompanhamento de Gilberto Carvalho, chefe-de-gabinete de Lula.

Optou-se pela realização de uma sondagem qualitativa, não quantitativa. As sondagens quantitativas servem para medir o percentual de votos. As qualitativas detectam o humor, os medos e os anseios das pessoas.

Funcionam assim: grupos de eleitores são reunidos em salas fechadas. Um especialista sugere temas. E ordena o debate entre os presentes. As salas são equipadas com enormes vidros translúcidos. É algo semelhante às cabines de identificação de criminosos, na polícia.

Quem está dentro não vê, mas há observadores do outro lado do vidro. Passam horas anotando as observações que emergem das discussões. Cruzando-as, extraem conclusões acerca do que vai na cabeça do eleitor.

Os grupos são formados conforme a conveniência do pesquisador. Podem reunir pessoas de perfil semelhante ou díspare. Consideram-se a faixa de renda, a escolaridade e a tendência política. Assim, pode-se, por exemplo:

1. Confrontar as opiniões de eleitores de tendência governista e oposicionista;

2. Verificar se os humores variam conforme o estrato social do pesquisado.

O Planalto vem realizando sondagens do gênero desde o ano passado. Agora, decidiu-se levar às salas de debates o câncer linfático de Dilma.

Lula e seus assessores aguardam os resultados com viva expectativa. No Planalto, prevalece a sensação de que, sob o ângulo político, a doença de Dilma pode render dividendos. O eleitor tenderia a se compadecer da drama da candidata. E a imagem carrancuda de Dilma seria como que suavizada. Uma dúvida inquietante ronda a pesquisa encomendada pelo Planalto: Quem paga?

Não é coisa barata. É preciso montar salas em diferentes capitais do país. Afora o custo da equipe de João Santana, há despesas de logística. Os eleitores são atraídos para as sessões de debate pela oferta de brindes.

11 Comentários

  1. IMUNDICE – TRANSFORMOU A PRÓPRIA
    DOENÇA EM MARKETING – TEM UM
    PASSADO OBSCURO, NEM OS PRÓPRIOS
    COMPANHEIROS MOVERAM UMA PALHA
    P´RÁ TIRAR O TRASTE DA PRISÃO………….

  2. João Santana é aqule da campanha da Gleisi, não é não? Se for mesmo ele, a Dilma tá ferrada.hahahahahaha

  3. Luciana.
    Você está certa.
    Aquele slogan que o João Santana e seus comandados criaram para a Gleisi, manter o que está bom e fazer o que nunca foi feito, soou na cuca dos eeleitores que a Gleisi fazia campanha como força auxiliar do Beto Richa.

    São marketeiros de compota.
    Não conhecem Curitiba-cidade praça de teste de marketing, nacional.

    Esta frase, manter o que está bom, levou o eleitor a votar no Beto que já estava no poder.
    Em time que está ganhando não se mexe, diz o sábio ditado popular.

    Dilma, cuidado com os compoteiros.

  4. O Secretário do PT Florisvaldo de Souza faz uma dura critica ao jornalista Fabio Campana no seu blog http://florispt.zip.net/
    por ter publicado em seu blog uma pesquisa e a entrevista que teria feito com Montenegro do Ibope, onde Montenegro diz que Serra sera eleito presidente. Só que esta claro no blog de Campana que a entrevista foi feita pelo jornalista Ricardo Kotscho. Ninguem entendeu. O florisvaldo surtou ou tem problema de leitura????

  5. Uma doença gravíssima como o câncer, vira instrumento de motivação e aumento de popularidade para a campanha de Dilma. Isso é um absurdo. O que há por trás dessa política imunda que faz com que pessoas ajam dessa maneira?

  6. Parem para pensar: e se for truque? E se aquilo tudo não passar de um quisto sebáceo? Quem vier à frente das câmeras para afirmar que um câncer linfático está debelado só com a remoção de um nódulo está brincando com a boa fé do povo.
    Ora, vamos, gente, votem em quem merece confiança. Se vocês acham que essa senhora, com o passado que tem, é de sua confiança, votem nela.
    Depois vão reclamar ao bispo paraguaio.

  7. O Cancer da Dilma foi tirado,éra uma Bala de Fuzil alojada em sua axila,só que acabou enferrujando e prejudicou a Ministra.Palavra do
    Dr.Najib.

  8. era só o que faltava, usar a doença para conseguir votos.. vai ver nem doente tá.. deve ser uma virose qualquer… q gentinha…

  9. A que ponto se sustenta um Governo Petista, a custas da exploração de uma doença da Ministra Dilma!
    Os valores humanos e pessoais não são preservados, o poder custe o que custar?
    Vergonhoso!

  10. Essa petezada brinca com coisa séria, eles para conseguirem seus objetivos fazem degraus da própria mãe se for preciso. Precisa tanta firula, tanto aparato para tratar de um problema que milhares de pessoas enfrentam todos os dias no Brasil a fora, mande essa guerrilheira enfrentar a fila do Hospital Erasto Gaertner, que é referência no tratamento dessa doença, que ela verá o que é sofrimento. Vai te catar dona Dilma, com teu passado, só se o povo tiver mer…. na cabeça pra votar em voce.

Comente