Uncategorized

TJ mantém condenação de ex-prefeito de Maringá

gianoto

O Tribunal de Justiça confirmou a condenação do ex-prefeito de Maringá, Jairo Gianoto (foto – sem partido), na ação civil pública que o Ministério Público acusava o ex-prefeito de pagar jornais para divulgar notícias produzidas pela assessoria de imprensa da prefeitura, na época em que ele era prefeito, de 1997 a 2000.

“A publicação de anúncios instituconais é legal. Porém, a publicidade pessoal contida nos releases feitos por jornalistas da prefeitura é ilegal”, afirmou o promotor de Defesa do Patrimônio Público, José Aparecido Cruz.

A denúncia levantou que, na época cerca de R$ 2,1 milhões foram gastos irregularmente para a promoção pessoal do prefeito, através de pagamentos mensais a veículos de comunicação, utilizando-se de licitações igualmente irregulares para a contratação de agências de propaganda.


Além de Gianoto, foram condenados a ressarcimento dos cofres públicos, os seus ex-secretários Arnaldo Romualdo Martins, Advanir Alves Ferreira e Henri Jean Viana -esse último, ex-secretário de Comunicação.

Foram sentenciados também a perda de direitos políticos e devolução de dinheiro recebido irregularmente, a Editora Setentrião Ltda (que edita o O Jornal do Povo) e seu proprietário Verdelírio Aparecido Barbosa e Ezio Coelho Ribeirete, que prestava serviço de produção e vídeo ao ex-prefeito e hoje é dono da produtora PRF3, em Curitiba.

Também estão incluídos a Tao-Assessoria e Comunicações Ltda. e Querino & Querino Ltda., junto com seu proprietário, Paulo Querino – as duas eram as agências de propaganda que ganhavam licitações na época do ex-prefeito.

Também foi condenado a Editora Central Ltda e seu proprietário Franklin Vieira da Silva, do O Diáio do Norte do Paraná. O relator foi o juiz de direito substituto em 2º grau Edgard Fernando Barbosa.

Segundo ele, quando a íntegra do acórdão for disponibilizada, será conhecida a pena de cada um dos réus. A denúncia levantou que, na época cerca de R$ 2,1 milhões foram gastos irregularmente para a promoção pessoal do prefeito, através de pagamentos mensais a veículos de comunicação, utilizando-se de licitações igualmente irregulares para a contratação de agências de propaganda.

7 Comentários

  1. Promotor competente é este José Aparecido Cruz. Ele já condenou Dobrandino Silva, Paolichi, Ricardo Barros, Silvio Barros, Jairo Gianoto, Said Ferreira, e até um tal de salvador Ramos em Foz do Iguaçu.
    Ele é fera. O melhor promotor do Paraná. Ele tem que ser procurador geral de Justiça.

  2. Não posso me comprometer Responder

    MAS E O TAL DO ADVANIR ? QUE É ATÉ PRESIDENTE DA IGREJA PRESBITERIANA RENOVADA (santo homem) É INOCENTE TBM? …TADINHO…ELE DIZ QUE É O DIABO LEVANTANDO FALSO CONTRA ELE….HAAAAAA…DIABO…PARA DE PERSEGUIR O CARA…AFFE.

  3. Adelino Venuti (Presbitero) Responder

    Pastor Advanir, que explicacao tem agora para nos, o nome de Jesus e da Instituicao IPRB esta em jogo, vc ainda tem coragem de seguir sendo candidato ou vai antecipar a eleicoes? ou ainda vai seguir fazendo jogo politico com a obra de nosso Deus? gostaria muito pastor de te ouvir, nao te conheco, quero apenas dizer que estou triste porque a obra de nosso Deus recente com essas coisas e nossa instuicao, construiu um nome na historia desse pais e fora dele diga me algo por favor, que Deus te abencoe ricamente.

  4. É e saber que esse mesmo ADVANIR ALVES FERREIRA é o presidente da minha Igreja Presbiteriana Renovada e está me processando po calúnia e difamação justamente por eu questionar sua condenação…é o fim da picada.

  5. Felizmente o Tribunal de Justiça de São Paulo, recusou a queixa que o senhor Advanir Alves Ferreira fez contra mim pelo crime de Calúnia e Difamação. Pior ainda é o Deputado Estadual do Estado do Paraná Wilson Quinteiro ter colocado seu escritório de advocacia a disposição do senhor Advanir para me processar. Não sei se por não ter o que justificar em sua defesa, ou desespero mesmo em tentar me calar.

Comente